Confira declarações dos pilotos após GP da Itália, 14ª etapa da temporada 2016 do Mundial de F1

O erro de Lewis Hamilton na largada do GP da Itália deste sábado (4) desembocou numa simples vitória de Nico Rosberg, que agora se aproxima do rival num 'empate técnico' de dois pontos para mais ou menos

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Nico Rosberg teve a competência que faltou a Lewis Hamilton na largada do GP da Itália deste domingo (4) para caminhar sozinho em mais uma vitória simples na temporada 2016 do Mundial de F1. Agora, após o triunfo na Itália, vê um déficit de apenas dois pontos na briga pelo título.

 
Para Lewis Hamilton, a recuperação – com muita ajuda da Mercedes – valeu ganhar quatro das cinco posições que perdeu na largada e manter a liderança do campeonato mesmo com duas derrotas seguidas. Se o segundo posto na Bélgica foi uma pequena vitória, na Itália se tratou de uma grande derrota.
Nico Rosberg comemora vitória no GP da Itália (Foto: Beto Issa)
Segunda força clara em Monza, a Ferrari garantiu o P3 e P4: Sebastian Vettel à frente de Kimi Räikkönen. Daniel Ricciardo colocou a Red Bull atrás, com Valtteri Bottas, Max Verstappen, Sergio Pérez, Felipe Massa e Nico Hülkenberg fechando um top-10 inteiramente das cinco principais equipes do grid.
 
Haas e McLaren se sucederam entre 11º e 14º, com Romain Grosjean, Jenson Button, Fernando Alonso e Esteban Gutiérrez. Carlos Sainz Jr, Marcus Ericsson, Kevin Magnussen e Esteban Ocon também terminaram a prova. Daniil Kvyat, Pascal Wehrlein, Felipe Nasr e Jolyon Palmer abandonaram.

Confira as declarações de cada piloto:

WILLIAMS
 
Valtteri Bottas, sexto: “Pessoalmente, estava esperando um pouco mais de hoje. Eu defini como meta terminar no pódio, mas não tivemos ritmo, o que significou que tive de forçar os pneus um pouquinho mais em cada stint simplesmente para garantir minha posição na pista. Isso significou que, no fim do stint, estava sofrendo um pouco. O ritmo puro não esteve lá hoje, mas no geral nós deixamos Monza com um resultado positivo para a equipe, colocando-a de volta ao quarto lugar do Mundial de Construtores. Isso nos dá um pouco de confiança e mostra que nós podemos definitivamente nos manter em quarto se continuarmos fazendo as coisas certas”.
 
RED BULL
 
Max Verastappen, sétimo: “Entrei no anti-stall na largada. Não sei o que aconteceu, então tenho de analisar isso. Depois disso, ficou muito difícil porque você tem de acelerar forte com os pneus para passar o pessoal, e isso compromete sua estratégia, mas no fim das contas nosso último stint foi muito positivo. Acho que fizemos o que podíamos com os pneus que tivemos, então podemos ficar bem felizes com isso. O carro se comportou muito bem hoje, ainda que a pista não seja a nossa favorita. Nós definitivamente estamos ansiosos para Cingapura, e espero que nós possamos ter uma performance forte lá”.
 
FORCE INDIA
 
Sergio Pérez, oitavo: “Não curti muito lá fora hoje. Foi uma prova solitária em sua maior parte, mas ao menos isso me deu a chance de cuidar dos meus pneus. Acho que nós conseguimos o melhor resultado que poderíamos esperar porque não tivemos ritmo para conquistar mais. Tentamos uma estratégia agressiva antecipando bastante a segunda parada para tentar passar Verstappen, mas voltamos muito cedo e no fim nós ainda tivemos muita pressão do Massa. Foi muito importante seguir à frente dele e trazer para casa o máximo possível de pontos. Nós sempre soubemos que seria uma corrida desafiadora e isso mostrou que nós precisamos seguir trabalhando duro. Acho que nós podemos lutar fortemente em Cingapura porque é uma pista muito diferente em comparação com Monza, e nós estivemos muito bem nos circuitos de rua neste ano”.
 
Nico Hülkenberg, décimo: “Minha largada fora da tangência foi ok, mas Max Verstappen, à minha frente, acabou me segurando, então tive de reagir e passar ao lado dele. Isso acabou prejudicando minha tração e eu perdi algumas posições. Depois, na volta, fiquei lado a lado na curva 4 com Felipe Massa e fiquei do lado de fora na curva 5. Felipe passou por cima da zebra, me deu um pequeno toque e me jogou para fora, permitindo que Fernando Alonso passasse à frente. Então não foi uma grande primeira volta. Então, no primeiro stint, não foi fácil ultrapassar e fiquei preso atrás de Fernando até o primeiro pit-stop. A segunda metade da corrida foi muito solitária para mim, mas o problema foi ter perdido tanto terreno na primeira volta. Então é um pouco decepcionante porque eu acreditava que nós poderíamos ter sido mais competitivos hoje. Precisamos aprender as lições, entender onde nós podemos melhorar e voltar bem mais fortes em Cingapura”.
Grosjean roda na variante Ascari e vai parar na caixa de brita em Monza (Foto: Reprodução)
HAAS
 
Romain Grosjean, 11º: “Para ser justo, acho que faltou um pouquinho de velocidade para nós para marcarmos pontos na corrida. Tentamos uma estratégia muito agressiva de uma parada. Tive um pouco de granulação com os pneus macios no primeiro stint nas últimas voltas. Isso me custou alguns segundos, mas não acho que eu poderia tirar os 12s necessários para terminar em décimo. Foi o máximo que conseguimos hoje. Nós só temos de aprender e fazer o melhor possível na próxima corrida. Já estou ansioso para Cingapura. Uma das melhores corridas da temporada”.
 
Esteban Gutiérrez, 13º: “Tive uma largada muito decepcionante e perdi um monte de posições. Foi muito difícil me recuperar, mas fiz o meu melhor. Sofri muito no primeiro stint com o ritmo como um todo, largando com pneus usados na classificação e lutando com o pessoal que estava com pneus novos. Não foi nada fácil, mas conseguimos nos manter juntos e aceleramos o máximo para recuperar tudo o que pude, mas o que nós perdemos no começo foi muito para recuperar em relação a onde nós largamos. Agora nós vamos focar em Cingapura, e nós vamos buscar voltar mais fortes”.

MCLAREN
Jenson Button, 11º: “Cometemos muitos erros na primeira volta. Fiz uma largada ruim e, então, na primeira Di Lesmo, uma das Sauber me jogou pra fora, e então fui forçado a sair da pista e ir para a brita. Era o último ao fim da primeira volta. Depois disso, não poderia ter desejado nada melhor: me diverti muito com algumas boas ultrapassagens, incluindo uma por fora na Parabolica, algo que não acontece com frequência. Fiquei muito feliz com a minha performance. Terminar em 12º não é grande coisa, mas não foi tão ruim considerando a primeira volta. Sempre há o sim e o mas: se eu não tivesse sido jogado pra fora na primeira volta, acho que nós poderíamos ter ido para os pontos hoje. Cingapura definitivamente vai se adequar melhor ao nosso carro. Este aqui é o nosso circuito mais complicado no ano, de modo que terminar tão perto do top-10 não foi muito ruim”.
 
Fernando Alonso, 14º: “Não fizemos uma corrida perfeita hoje. Cometemos alguns erros aqui e ali, incluindo o problema no primeiro pit-stop, quando a luz verde não funcionou. Perdemos um pouquinho de tempo, o que provavelmente comprometeu o stint. Nós não tivemos ritmo para estar nos pontos hoje, então terminar em 11º e 14º não faz muita diferença. Ao menos nós terminamos a corrida, o que é positivo, fazendo a melhor volta. Nós colocamos pneus novos para as duas últimas voltas e consegui aproveitar ao máximo a aderência. Não faz muita diferença, é bom para a estatística, já que basicamente nós nunca corremos para os pontos hoje. Este é um circuito onde nós sempre soubemos que não seríamos competitivos, mas acho que bons tempos estão por vir agora, já que a maioria dos circuitos restantes no calendário é melhor adequada ao nosso carro”.
TORO ROSSO
 
Daniil Kvyat, abandonou: “Não foi a corrida que nós queríamos. Tivemos um problema com o assoalho, que ficou danificado depois da curva 1, já que eu fiquei prensado por alguns carros, e nós acabamos por perder muito downforce. Além disso, a bateria também superaqueceu constantemente, por isso decidimos abandonar. Sabíamos que seria difícil aqui, mas é uma pena ter de abandonar minha corrida. Nós só precisamos ser pacientes e espero que as próximas pistas sejam mais adequadas para nós”.
 
Carlos Sainz, 15º: “Acho que nós tentamos tudo o que foi possível hoje para terminar nos pontos, mas quando você simplesmente não tem ritmo, é impossível. Tínhamos decidido ir para uma estratégia de uma parada e em algum momento pareceu possível, mas no fim das contas perdi muito tempo, por isso tivemos de ir para os boxes uma segunda vez. Não foi a corrida ideal, mas tudo o que eu posso dizer é que tiramos o máximo do carro e, no fim das contas, o 15º lugar foi o máximo que poderíamos alcançar. Aqui o carro se comportou melhor do que na semana passada em Spa, então isso foi algo positivo para nós, as três últimas corridas foram bem complicadas, correr em circuitos muito dependentes de potência, e tudo isso faz com que seja muito difícil lugar. Esperamos que em Cingapura isso mude um pouco e possamos voltar para onde merecemos estar”.
 
SAUBER
 
Marcus Ericsson, 16º: “Foi uma corrida decente. É certamente bem decepcionante que não pudemos lutar por pontos mais acima do pelotão intermediário. Parece que nós demos um passo em frente na comparação com as últimas corridas antes da pausa de verão, mas nós ainda não estamos onde queremos estar. Monza é única em termos de características de pista, sendo um traçado de alta velocidade. A pista em Cingapura requer muito mais downforce, então vai ser interessante ver nosso potencial lá em relação ao nosso pacote”.
Kevin Magnussen (Foto: Beto Issa)
RENAULT
 
Kevin Magnussen, 17º: “Minha largada foi ok, mas houve uma série de incidentes à minha volta… tive uma largada melhor que as Sauber à minha frente, o que significou que estive em volta deles e, em seguida, de outro carro do grid. Depois disso, consegui seguir em frente na curva 2, mas tive de evitar um carro rodando e indo para a grama. A partir de então, foi uma corrida sossegada e com um pouco de ação mais cedo com uma das Manor. É uma pena que nós não tenhamos conseguido um bom resultado hoje, mas nós ainda estamos aprendendo mais sobre o carro a cada fim de semana, e esta corrida não foi exceção”.
 
Jolyon Palmer, abandonou: “Tive uma largada muito boa e ganhei muitas posições. Fiquei lado a lado de Nasr indo para a curva 1 sem problemas, quando ele decidiu ir para cima de mim por fora da pista na curva 2. Não posso explicar o motivo de ele ter feito isso ou imaginar o que ele estava pensando. Passei tão longe da pista e passei pela grama e ainda assim ele me acertou. Não havia como correr e nossas corridas terminaram muito cedo. Para mim, sinto que estou guiando melhor a cada dia e espero que eu possa mostrar isso em Cingapura”.

MANOR

Esteban Ocon, 18º: “O objetivo era chegar à bandeira quadriculada, mas numa posição muito mais forte. Foi um GP muito longo e complicado desde a posição onde larguei. Nós estivemos com os pneus médios por um stint bem mais longo, 32 voltas, e não tivemos as chances que nós esperávamos para mudar a forma como a corrida aconteceu. No fim, com os pneus macios, nós estávamos muito no nosso limite. Então é bom terminar, especialmente depois de um problema no carro do Pascal. Fizemos duas quilometragens de corrida e aprendemos muito com os pneus e como administrar as corridas, mas agora estou pronto para usar essa experiência para lutar por mais. Acho que nós somos capazes de fazer muito melhor aqui, então é uma pena. Tivemos dificuldades nas duas últimas corridas, mas também foram as minhas duas primeiras na F1. Conquistei meu sonho em Spa depois de um longo caminho para chegar até aqui, e quando as coisas correm do jeito que correram para nós neste fim de semana, nós vimos que o carro está melhorando, o mesmo para mim. Estou decepcionado hoje, mas estou ansioso para fazer coisas melhores nas próximas sete corridas. Isso vai ser melhor para mim”.
 
Pascal Wehrlein, abandonou: “Estou muito decepcionado, claro. Quando eu escutei meu engenheiro me dizer ‘pare o carro, pare o carro’, não pude acreditar. Tive de conferir o que eu estava ouvindo. Claro, foi por um bom motivo, foi para proteger o carro, então sabia que tinha de fazer isso, eu só não queria acreditar. A equipe está fazendo passos bem positivos com o carro, embora os sinais positivos na esteira do abandono de hoje serão mais difíceis de alcançar. A situação hoje é difícil de lidar, sabendo o que é possível tirar do carro e ter acelerado forte durante todo o fim de semana novamente. Mas sei que a equipe quer resolver os problemas o mais rápido possível. Não podemos pagar por um bom resultado fugir de nós novamente se queremos proteger nossa posição no campeonato. Vamos voltar a lutar em Cingapura, uma corrida para a qual estou bem empolgado. Espero que possamos fazer dar tudo certo para nós lá”.
PADDOCK GP #44 DEBATE VITÓRIAS DE ROSBERG EM SPA E DE RAHAL NO TEXAS

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube