F1

Confira declarações dos pilotos após GP de Abu Dhabi, 20ª etapa da F1 2019

Dominante no GP de Abu Dhabi, Lewis Hamilton conquistou neste domingo (1) sua 11ª vitória na temporada 2019 da Fórmula 1. Mais de 16s atrás, Max Verstappen ficou com o segundo lugar, com Charles Leclerc completando o pódio em Yas Marina

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Lewis Hamilton fechou com chave de ouro a temporada 2019 da Fórmula 1. Dominante em Yas Marina, o #44 conquistou no GP de Abu Dhabi deste domingo (1) sua 11ª vitória no ano.
 
Mais de 16s atrás, Max Verstappen assegurou o segundo posto, com Charles Leclerc completando o pódio. Em uma prova de recuperação após largar no fundo do grid por causa de uma troca de motor, Valtteri Bottas ficou em quarto, à frente de Sebastian Vettel, que perdeu terreno num erro de pit-stop da Ferrari.
Lewis Hamilton (Foto: Mercedes)
Paddockast # 44
RETROSPECTIVA 2019: MUITO QUE BEM, MUITO QUE MAL


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Alex Albon garantiu a sexta colocação, com Sergio Pérez, Lando Norris, Daniil Kvyat e Carlos Sainz Jr. completando o top-10. Daniel Ricciardo vem na sequência, com Nico Hülkenberg se despedindo da F1 em 12º.
 
Kimi Räikkönen foi o 13º, à frente de Kevin Magnussen, Romain Grosjean, Antonio Giovinazzi e Pierre Gasly. Robert Kubica, que também se despede do Mundial, ficou com o 19º e o último lugar. Lance Stroll foi o único a não ver a bandeirada.
 
Confira as declarações dos pilotos:
 
 
 
 
 
 
Alex Albon, sexto: “A corrida não correu conforme queríamos, mas temos de dar uma olhada nisso. Fizemos nossa parada muito cedo para tentar o ‘undercut’ sobre Seb [Vettel], mas não funcionou, e então ficamos encaixotados atrás do tráfego e sem DRS. Isso durou por um longo segundo stint, e os pneus simplesmente não duraram até o fim, e Seb passou vários carros mais rápido do que nós esperávamos. Mas olhando para o que foi a temporada, posso ficar feliz. Sei que há algum trabalho a fazer e áreas em que eu tenho de melhorar, mas esta é minha primeira temporada, então isso sempre vai ser o caso. Sinto que as corridas foram boas, o ritmo ainda precisa melhorar, mas é algo que virá com a experiência. Vamos testar na próxima semana, então vamos continuar a trabalhar duro para voltar ainda mais forte no ano que vem. É bom passar o inverno sabendo que vou correr no ano que vem, então posso focar no trabalho que tenho às mãos. Curto demais trabalhar com a equipe, então estou ansioso para 2020.”
 
Sergio Pérez (Foto: Racing Point)
 
Daniil Kvyat, nono: “Estou muito satisfeito. Tive um primeiro stint muito forte com os pneus médios.  Estou muito feliz em terminar a temporada com uma boa corrida. Vim com o pensamento de terminar a prova em alta. Acho que tocamos com Ricciardo e a asa dianteira estava bamba, então não pudemos alcançar os caras da frente. Estava tentando ultrapassar Räikkönen e estava a 1s na zona de DRS, mas me falaram que a asa móvel estava desabilitada. Tivemos sorte em poder bater a Renault, não pensei neles durante toda a corrida. Esperava alcançar esses caras da frente, mas tinha um dano na asa dianteira."
 
Carlos Sainz Jr., décimo: “Foi uma corrida sofrida, porque ficamos sempre no tráfego, atrás de Lando e das Renault, gastando muito os pneus, sem carga aerodinâmica, sem ar limpo, dava para perceber muito, porque não podia controlar o desgaste de pneus. No fim, nós estávamos em décimo e eu perderia contra Pérez, pois ele tinha pneus novos. Tivemos que arriscar, porque era a única maneira de nos colocarmos na zona de pontuação, e conseguimos na última volta. Saiu perfeita a última opção de ultrapassagem”.
 
Daniel Ricciardo, 11º: “Foi uma corrida normal hoje. Sofremos um pouco com o pneu duro após a primeira parada, o que foi uma pena, e no final tentei escalar o pelotão com o pneu mais rápido, mas apenas ficamos sem tempo. De qualquer maneira, olhando para a imagem geral para nós, foi positivo que conseguimos ficar com a quinta posição no Mundial de Construtores, que era nosso objetivo no final de semana. Estamos otimistas quanto a pós-temporada e ansiosos para o próximo ano."
 
 
Kimi Räikkönen, 13º: “Fizemos o máximo hoje, então podemos ficar com a cabeça erguida. Nosso ritmo de corrida era melhor do que mostramos no resto do final de semana e estávamos no meio de algumas corridas interessantes. Brigamos pelos pontos e pensamos que poderíamos alcança-los, mas, no final, chegamos perto. Agora temos um dia de descanso, então alguns testes e a temporada vai finalmente terminar. Aprendemos muito e podemos melhorar para os próximos anos. É impossível adivinhar onde estamos, mas queremos voltar mais fortes. Demos alguns passos adiante nesta temporada, mas queremos mais."
 
Kevin Magnussen, 14º: “Mais uma vez, fiz uma largada realmente boa, minha primeira volta foi boa. Infelizmente, a partir daí nós realmente não tivemos o ritmo que todos os outros tinham e eu, eventualmente, perdi posições. Nós lutamos o mais duro que podíamos. Estou feliz com a performance do time, corridas assim são muito difíceis, mentalmente, para ficar focado e continuar extraindo coisas quando tudo vai mal. Todos empenhados, todos buscando aquela última coisinha só para o caso de alguma loucura acontecer, como um safety-car no momento certo ou algo assim. Nós sempre nos damos a melhor chance para isso. Foi uma tendência ao longo do todo o ano ― o time se manteve assim, apesar ser muito difícil. Acho que estamos todos feliz por encerrar este ano e completamente mudar o foco para 2020. Tomara que seja um ano muito melhor”.
 
Romain Grosjean, 15º: “Foi uma corrida dura. Acho que o acidente de sexta-feira com Bottas comprometeu muito a corrida de hoje. Nós só tínhamos um pacote de assoalho e era o que estávamos treinando. Nós tivemos de mudar a especificação e voltar ao antigo, que conhecíamos, mas seria difícil a partir dali, só tivemos o TL2 como sessão representativa. Do meu lado, preciso trabalhar nos meus inícios de corrida. Foi uma grande fraqueza minha todo o ano. Se nos classificarmos bem no próximo ano, quero ter certeza de que tenha boas largadas. Nós trabalhamos tão bem quanto podíamos na corrida, e os caras do time fizeram um bom trabalho mais uma vez ― nós só não tínhamos o ritmo. Tomara que o próximo ano tenha uma história muito melhor”.
 
Antonio GIovinazzi, 16º: “Brigamos por um bom resultado hoje, mas não conseguimos terminar o ano com um ponto. Tentamos uma estratégia diferente para ter chances, começando do fundo, apesar de que a aposta não valeu. Foi uma temporada que aprendemos muitas lições: vai me ajudar muito quando largar na Austrália. Estou feliz da maneira que melhoramos durante o ano, tanto em classificação quanto corrida, e estou ansioso pelo próximo passo. Vamos trabalhar duro no inverno, entender onde podemos melhorar e ter nosso melhor na temporada 2020."



George Russell, 17º: “Foi uma corrida divertida, mas dura. E o ritmo foi relativamente bom. Não tive uma largada forte e algumas pessoas me ultrapassaram. Depois do pit-stop, o ritmo foi forte para nós e fiquei feliz com a última metade da corrida”.
 
Pierre Gasly, 18º: “Teríamos tido um bom ritmo. Vimos onde terminou Sainz e não pude brigar com ele. Vendo também onde terminou Daniil, sabemos que teria sido suficiente para conseguir um bom resultado. Tínhamos a vantagem de sair em 11º. Daniil, por exemplo, ganhou posições e terminou em nono. Queria terminar na frente de Carlos, tínhamos a oportunidade de conseguir com êxito, mas Lance arruinou tudo”.
 
 
Lance Stroll, abandonou: “Tive um contato na primeira volta com Gasly e tive que parar porque danificou minha asa dianteira. Após isso, estávamos fora de posição, correndo por fora e foi realmente difícil voltar para a briga. Exploramos as opções de estratégia e parei duas vezes, mas quando se perde tanto tempo trocando a asa dianteira é difícil recuperar. Infelizmente, tivemos um problema de freio, então, precisamos ver o que deu errado porque estava sofrendo para parar o carro. É por isso que abandonei. No geral, apenas uma corrida decepcionante."


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.