F1

Confira declarações dos pilotos após GP de Abu Dhabi, última etapa da temporada 2018 da F1

Lewis Hamilton venceu a última corrida da temporada 2018 com alguma tranquilidade. O britânico não foi ameaçado por Sebastian Vettel, isolado na segunda colocação, ou Max Vertappen, terceiro. Fernando Alonso se despediu da F1 com um 11º lugar
Warm Up / Redação GP, de Berlim
 O pódio do GP de Abu Dhabi (Foto: Pirelli)
A temporada 2018 da Fórmula 1 está no passado. O GP de Abu Dhabi, disputado nesse domingo (25), representou o último ato de um ano dominado por Lewis Hamilton. Nada mais justo, então, do que mais uma vitória tranquila do britânico, que só precisou administrar a vantagem sobre Sebastian Vettel, segundo.
 
O pódio ainda teve Max Verstappen em terceiro, levando a melhor em disputa particular com Daniel Ricciardo, que se despediu da Red Bull com um quarto lugar. O top-5 ainda teve Valtteri Bottas, que voltou a ter uma atuação pouco empolgante pela Mercedes.
 
Fernando Alonso se despediu da F1 com um 11º lugar. O espanhol chegou a sonhar com um ponto nas últimas voltas, mas não teve ritmo para alcançar Kevin Magnussen.
 
O momento mais preocupante da corrida veio logo na largada. Nico Hülkenberg tocou rodas com Romain Grosjean, decolou e capotou. O alemão terminou vendo o mundo de cabeça para baixo, mas sem qualquer ferimento.
Lewis Hamilton (Foto: AFP)
Confira declarações dos pilotos após GP de Abu Dhabi

Lewis Hamilton, primeiro:
Hamilton vibra com vitória em Abu Dhabi e prevê que “honesto” Vettel “vai voltar mais forte ano que vem”
 
 
 
 
 
Carlos Sainz Jr., sexto: “Hoje foi um resultado ótimo para nós. Merecemos! Tive um ritmo muito forte de todas as formas e foi uma corrida executada perfeitamente. Conquistamos o quarto lugar no Mundial de Construtores, o que é um grande resultado para nós. A última corrida da temporada demonstra de maneira firme todo o progresso que fizemos neste ano. Deixo esta equipe me sentindo muito feliz com o que alcançamos e como piloto isso me deixa especialmente motivado. Esta foi minha última corrida pela Renault e agradeço a todos por esse último ano e meio. Não estou deixando a família e estou ansioso para seguir vendo meus colegas da Renault me unindo à McLaren.”
 
Charles Leclerc, sétimo: “Acho que poderíamos ter algo a mais na corrida de hoje, mas terminamos a temporada com um decente sétimo lugar e mais alguns pontos. Gostaria de agradecer à Alfa Romeo Sauber por este ano incrível e por tudo o que eles me ensinaram. Foi ótimo trabalharmos juntos e ver todo o esforço refletido no progresso que fizemos. Todos podemos ficar orgulhosos por ter sido parte disso, e desejo a eles tudo do melhor para o futuro.”
 
Sergio Pérez, oitavo: “Levando em conta tudo que aconteceu no fim de semana, é um prazer terminar dentro da zona de pontos. Não fiquei feliz com o carro e não tínhamos o ritmo esperado. Não resolvemos o problema do acerto e acho que tínhamos algum dano no carro. O começo da corrida foi muito importante e depois de uma largada boa fiquei no top-10. A estratégia funcionou conforme o esperado e meu único grande adversário foi o Leclerc. Estávamos muito próximos nas últimas voltas, mas eu não tinha ritmo para ultrapassar. Fico feliz por proteger o sétimo lugar da equipe no Mundial e é importante terminar o ano com pontos.”
 
Romain Grosjean, nono: “Foi complicado depois dos danos na primeira volta. Claro, fiquei com danos na asa dianteira e talvez em outras partes. Fico feliz que o Nico [Hülkenberg] esteja bem. Não foi fácil pilotar o carro hoje, mas fiquei feliz por ver que o Kevin conseguiu um décimo lugar para que a gente tenha os dois carros nos pontos. Temos relações tão boas dentro da equipe e gostamos de estar juntos. Conseguir pontuar com os dois carros é ótimo. Claro que queremos mais e hoje acho que dava para alcançar mais, mas fico feliz com o que consegui, levando em conta os danos no carro.”
 
Kevin Magnussen, décimo: “Eu fico muito feliz com a temporada. É fácil esquecer como essa equipe é jovem. É só nosso terceiro ano e nosso objetivo era dar um passo adiante, que seria um sétimo lugar no Mundial, mas conseguiu o quinto lugar tranquilamente. Estivemos fortes o ano inteiro. Desafiamos gente como Renault e Force India até o fim e fico feliz com isso. O ano superou expectativas.”
 
 
Brendon Hartley, 12º: “Infelizmente, minha corrida foi meio que encerrada na primeira volta. Não tinha para onde ir com o acidente na curva 8 e tive de cortar caminho para evitar os carros à minha frente. Passei por cima de alguns detritos, o que danificou a asa dianteira, então tive de parar na primeira volta. E então, fiz uma corrida toda com um jogo de pneus e com uma versão antiga da asa dianteira, o que sempre é difícil. Administrei bem os pneus, mas depois do problema na primeira volta, o 12º lugar foi o máximo que nós poderíamos buscar. Terminei a temporada muito mais forte do que quando comecei. As últimas corridas foram boas, no entanto hoje não correu como o planejado. Estou feliz com minha evolução ao longo da temporada e sinto que fecho esse ano muito mais forte como pessoa e como piloto.”
 
Lance Stroll, 13º: “Eu fiquei satisfeito com a largada e a corrida como um todo, mas foi mais um dia desses em que não tínhamos ritmo para pontuar. Foi um desafio, mas acho que foi uma boa corrida para nosso conjunto. Estou feliz por brigar com a McLaren e terminar na frente de uma delas. Tivemos um primeiro trecho de corrida muito longo, o que foi bom, mas o vento ficou mais forte no segundo e isso impactou demais a performance do carro e pioramos. Agora preciso recarregar minhas baterias após um ano longo.”
 
Stoffel Vandoorne, 14º: “Não tivemos pontos para fechar o ano, mas fomos bem. Eu me diverti hoje e sabíamos que hoje seria um dia difícil para nós, principalmente se a corrida não tivesse muitos incidentes. Lutamos muito e ficamos próximos de alguns carros. Isso deixou a corrida mais divertida e eu lutei até dizer chega para segurar os outros carros. Estou feliz pelo que fizemos esse ano com o que tínhamos. É ótimo terminar a temporada. Nós fizemos de tudo e estou feliz por ver a bandeira quadriculada.”
 
Sergey Sirotkin, 15º: “Foi uma corrida muito ruim. Não tive a melhor largada e logo e cara perdi terreno, além de ficar em uma posição ruim para as curvas seguintes. Tive problemas de superaquecimento e durante um terço da corrida precisei refrigerar o carro ao máximo. Foi uma corrida muito dolorosa. Tentei meu melhor para refrigerar, mas outros carros que tinham parado apareceram atrás. Eu tentei lutar, defender posição e refrigerar o carro ao mesmo tempo e foi uma bagunça. Não curti a corrida e é muito doloroso terminar o ano assim.”
 
Pierre Gasly, NC: “Foi um fim de semana bem difícil para nós entre a classificação e a corrida. A poucas voltas do fim tivemos um problema quando começou a sair fumaça do carro. Não sei exatamente o que aconteceu, mas até esse momento vinha sendo uma corrida bem divertida e estava curtindo. Larguei em 17º e consegui escalar o pelotão para décimo e lutar com Romain [Grosjean], que terminou em nono, mas, infelizmente, nós terminamos a temporada do mesmo jeito que começamos, abandonando. Hoje foi um dia bem emotivo porque foi minha última corrida com a Toro Rosso. Tive uma ótima temporada com eles e a Honda e queria muito terminar bem. No geral, foi uma temporada positiva, curti muito trabalhar com a Toro Rosso e vou lembrar dos bons finais de semana que tivemos juntos. Estou empolgado para começar um novo capítulo com a Red Bull no ano que vem, mas, ainda assim, vou sentir falta dos caras aqui. Eles deram muito para mim e eles são grandes pessoas, que têm muita paixão pelo que fazem. Foi um grande prazer trabalhar com eles.”
 
Esteban Ocon, NC: “Tudo estava correndo bem. Tivemos disputas e ultrapassagens fantásticas, o ritmo estava muito bom. Não estávamos na melhor estratégia porque largamos com hipermacios, mas nos recuperamos bem e estávamos em boa posição para pontuar. Tudo estava indo bem, mas o carro teve um vazamento de óleo que forçou um abandono. É assim que as corridas são. Dias assim são decepcionantes, mas te fortalecem.”
 
Marcus Ericsson, NC: “A corrida não terminou da maneira que eu gostaria, e é decepcionante ter de abandonar. Largamos com o pneu mais duro (os supermacios) e sofri um pouco com o equilíbrio no primeiro stint. Apenas algumas voltas antes de abandonar o carro começou a se mostrar melhor, e o ritmo era bom. Teria sido ótimo seguir e marcar mais alguns pontos hoje, mas ainda assim estou satisfeito com nosso desempenho. Foi um longo ano e sou muito grato pelo trabalho duro feito pela equipe. Podemos estar muito orgulhosos nesta temporada por todo o progresso que fizemos. Foi minha melhor temporada até agora na F1 e sempre vou lembrar disso.”