Confira declarações dos pilotos após GP do Azerbaijão 2021 da Fórmula 1

Parecia que ia dar Max Verstappen em Baku. Depois, Lewis Hamilton. Só que acabou sendo o dia de Sergio Pérez, que venceu pela primeira vez como piloto da Red Bull

Max Verstappen perdeu a corrida ganha em Baku após estouro de pneu (Vídeo: F1)

Foi uma corrida memorável. O GP do Azerbaijão deste domingo (6) cumpriu expectativas e teve reviravoltas até dizer chega. Primeiro, Lewis Hamilton perdendo posição para Max Verstappen. Depois, o holandês teve pneu furado e abandonou. Na sequência, o britânico escapou da pista e nem pontuou. Melhor para Sergio Pérez, vencedor do dia em Baku.

Sebastian Vettel, com brilhante jornada com a Aston Martin, foi o segundo colocado, subindo assim ao lado justamente do seu sucessor na equipe de Silverstone, enquanto Pierre Gasly, outro com um domingo excepcional com a AlphaTauri, completou o improvável pódio deste domingo em Baku.

Charles Leclerc, pole-position da corrida, chegou a travar batalha com Gasly no fim da corrida, depois da relargada, mas terminou em quarto lugar, fechando à frente da McLaren de Lando Norris. Fernando Alonso conquistou seu melhor resultado no regresso à Fórmula 1 e foi o sexto com a Alpine, à frente da AlphaTauri de Yuki Tsunoda. Carlos Sainz foi o oitavo com a Ferrari, sendo seguido por Daniel Ricciardo e Kimi Räikkönen.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

SERGIO PÉREZ; PÉREZ; CHECO PÉREZ; VITÓRIA; BAKU; AZERBAIJÃO; GP DO AZERBAIJÃO;
Sergio Pérez festeja sua segunda vitória na F1, a primeira com a Red Bull (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)

Sergio Pérez, vencedor: Pérez diz que Verstappen “merecia vitória”, mas vibra com “dia fantástico” em Baku

Sebastian Vettel, segundo: Vettel se diz “nas nuvens” com 2º lugar no Azerbaijão: “Um pódio que não esperávamos”

Pierre Gasly, terceiro: Gasly revela falta de potência no fim e celebra pódio em corrida “insana” em Baku

Charles Leclerc, quarto: Leclerc diz que perdeu liderança do GP do Azerbaijão ao desviar de galho de árvore

Lando Norris, quinto: Norris vibra por se recuperar de punição e terminar “corrida maluca” de Baku no top-5

Fernando Alonso, sexto: 6º, Alonso vê trabalho “muito bom” com estratégia ‘tudo ou nada’ em Baku

Yuki Tsunoda, sétimo: “Estou frustrado com o resultado final de hoje, porque creio que o ritmo era muito forte no fim de semana. O começo da corrida foi bom para mim e, até a bandeira vermelha, meu desempenho era realmente bom. Infelizmente, perdei duas posições nas últimas duas voltas e não sei o que daria para fazer diferente, mas vamos analisar tudo hoje à noite para entender tudo isso daqui em diante. O sétimo lugar ainda significa que marcamos pontos importantes para a equipe. Quero congratular Pierre pelo pódio, a equipe merecia demais e é um grande resultado.”

Carlos Sainz Jr., oitavo: “Não foi a corrida que eu esperava. Não tive o mesmo feeling do carro que no resto do fim de semana e todas as vezes que eu tinha pneus frios – duas largadas, relargada e depois do pit-stop -, tive enormes dificuldades com a frente do carro travando e os freios também. Isso levou a erros custosos que comprometeram toda a minha corrida. No fim, consegui voltar aos pontos, mas não estou feliz com o resultado. Temos que entender os motivos por trás dessas dificuldades e melhorar para a próxima corrida. Temos algum tempo para ir a Maranello e trabalhar nisso, então tenho certeza que voltaremos mais fortes na França.”

Em uma corrida discreta, Carlos Sainz foi apenas o oitavo no GP do Azerbaijão (Foto: Ferrari)

Daniel Ricciardo, nono: “Sim, foi um fim de semana difícil. O que posso dizer? Foi um fim de semana de altos e baixos. Sábado foi frustrante, você nunca se sente bem ao bater o carro. Isso dá aos mecânicos trabalho extra, e eu não gosto de fazer isso, pois sou um cara legal. Não fiquei bravo porque estava buscando o encontrar o limite, então fico feliz que explorei. Mas passei dos limites. Terei a oportunidade de tentar de novo nas próximas corridas. Então, sejam mais abertos e me perdoem.”

Kimi Räikkönen, décimo: “Não aconteceu muita coisa na minha corrida até as duas últimas voltas, então é bom sair com um ponto. Foi surpreendente difícil ultrapassar. Alcançar quem estava à nossa frente foi relativamente fácil, mas não dava para passar. A relargada depois da bandeira vermelha causou frenesi: podíamos ter terminado ainda melhor, mas dava para tudo dar errado também. Vamos aceitar esse ponto. Não acho que dava para fazer muito mais, no fim das contas.”

Antonio Giovinazzi, 11°: “Larguei bem e voltei para a briga por pontos logo de cara. Não foi uma corrida fácil, eu tive um pequeno problema com os freios, o que não é ideal numa pista assim, mas o ritmo foi bom. Paramos cedo para fazer o undercut em alguns rivais, mas, depois disso, ficou tudo bem quieto até a bandeira vermelha. Na relargada, ganhei posições na curva um, mas toquei com Ricciardo na curva dois e o carro empacou. Creio que tiramos tudo que dava da corrida, especialmente largando em último, e terminamos perto dos pontos. Corrida doida, mas temos de ficar felizes pelo ponto de Kimi. A segunda corrida seguida com pontos para a equipe.”

Valtteri Bottas, 12°: Bottas fica intrigado com falta de ritmo em Baku: “Os carros passaram a torto e a direito”

Mick Schumacher, 13°: “Acho que foi difícil para todos. O desgaste dos pneus pareceu maior que esperávamos. Entramos para o pit-stop extra no fim e colocamos pneus macios e até ficou bom, mas aí veio a bandeira vermelha. Não foi fácil, mas ficamos perto dos pontos. Esse é o tipo de corrida do qual temos de tirar vantagem e ficar na pista para aproveitar. Conseguimos fazer isso, estamos lutando e dá para ver uma pequena luz no fim do túnel.”

Nikita Mazepin, 14°: “A corrida não foi ruim. Meio irritante que algumas coisas nos jogaram para trás, mas o ritmo existia. Experimentamos algo diferente quando eu tive de controlar os freios logo no começo por conta de superaquecimento. Mudei a configuração e o carro ficou travando a todo momento, o que custou muito tempo. Quase acertei um muro também. O principal é que fiquei chateado por perder a posição para meu companheiro na reta dos boxes. É assim que as coisas funcionam, mas a posição de chegada é um número legal para a equipe. Conseguimos chegar até essas posições por coisas que aconteceram com os outros. No geral, positivo.”

Lewis Hamilton continua na vice-liderança do Mundial de Pilotos após sair zerado do Azerbaijão (Foto: Mercedes)

Lewis Hamilton, 15°: 15º, Hamilton define corrida como “lição de humildade” em Baku: “Coloquei tudo em risco”

Nicholas Latifi, 16°: “Foi uma corrida de solidão para mim. Antes da bandeira vermelha, estávamos comprometidos com a estratégia de uma parada e era o que eu estava fazendo, controlando os pneus. No fim das contas, o resultado não era para ser mesmo, o que é uma pena, porque senti que estava guiando muito bem ao longo do fim de semana. Na parte da operação da equipe, temos algumas arestas a aparar, foi uma situação infeliz.”

George Russell, NC: “Infelizmente, tivemos um problema com o câmbio que me forçou a abandonar antes da relargada. Eu estava voltando, mas fiquei sem potência. É especialmente frustrante depois de tanto tempo esperando para aquelas duas voltas. Não era para ser, corridas às vezes são assim. Vamos avaliar o que passou. Eu estava numa boa corrida antes disso, o carro era rápido e me deu confiança, então temos, sem dúvidas, coisas positivas para tirar o fim de semana.”

Max Verstappen, NC: Verstappen se frustra com pneu furado em Baku: “Poderíamos abrir vantagem”

Lance Stroll, NC: “Estou frustrado com a corrida, mas bem. Estávamos no caminho para marcar bons pontos por andar tanto tempo e fazer o overcut para cima de tanta gente. Foi a decisão certa largar com os pneus duros, porque o ritmo no primeiro stint estava bom. Não sei o que aconteceu que causou minha rodada na reta, porque não havia sinal algum de um problema antes daquilo. Precisamos investigar. Foi um fim de semana desafiador, mas temos coisas positivas para tirar, especialmente no ritmo de corrida e, claro, o pódio de Sebastian. Enormes parabéns a toda a equipe.”

Esteban Ocon, NC: “Não consegui ter um tempo tranquilo. Estava bem complicado e tive uma perda de pressão, o que me obrigou a retirar. Larguei bem e estava na frente das duas McLaren e lutando com aqueles a nossa volta. Minha corrida estava boa de ritmo, dava para entrar no top-10, algo que Fernando mostrou no fim. Não era nosso fim de semana, isso está claro, mas vamos virar a página e olhar adiante para o GP da França. Será incrível para mim, mal posso esperar para correr lá novamente.”

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar