Confira declarações dos pilotos após GP do Japão, 15ª etapa da temporada da F1

Largando na quinta colocação, Sergio Pérez abandonou e não pontuou mais uma vez na temporada. Nico Hülkenberg, da Force India, conquistou a sétima colocação e voltou à zona de pontuação após duas provas

Sebastian Vettel confirmou os prognósticos e venceu o GP do Japão, que aconteceu neste domingo (7). Dos pilotos do bloco dos dez primeiros, quem voltou a pontuar foi. O alemão não somava pontos desde o GP da Bélgica e, com a sétima colocação no circuito de Suzuka, agora tem 37 pontos na tabela.

Quem não pontuou foi Sergio Pérez. Ao tentar ultrapassar Lewis Hamilton, o piloto da Sauber cometeu um erro e deixou a prova antes da metade. Mas quem vai comemorar bastante é Daniel Ricciardo, da Toro Rosso, que conquistou um ponto ao chegar na décima colocação e pontuou pela segunda corrida seguida na temporada.

Com problemas desde o primeiro dia de treinos livres, o final de semana da Mercedes em terras japoneses acabou sem pontos, mas com um alento: Michael Schumacher largou na penúltima colocação e acabou a prova em 11º, sendo o piloto que mais ganhou posições ao final da prova. Já Nico Rosberg não teve a mesma sorte e acabou abandonando a prova logo no início ao ser tocado por Bruno Senna, da Williams.

Nas equipes nanicas, Timo Glock chegou a ser o 11º colocado, entretanto, sem Kers e com um rendimento muito abaixo de alguns carros que estavam atrás, o piloto alemão acabou a prova apenas na 16ª posição. O melhor foi Heikki Kovalainen, da Caterham, o 15º.

Sauber

Sergio Perez, abandonou: "Sinto muito pelo time. Funcionou bem quando eu passei Lewis Hamilton pela primeira vez na volta seis, mas não quando eu tentei outra vez. Lewis foi para dentro um pouco tarde e eu só tinha espaço por fora. Mas, certamente, foi um erro meu. A corrida também não começou muito bem para mim quando Romain Grosjean causou uma confusão e eu perdi posições.”

Force India

Nico Hülkenberg, sétimo: “Estou muito feliz com o resultado de hoje. Fiz uma grande largada, ultrapassei vários carros e consegui escapar dos incidentes na curva 1. No fim da primeira volta eu já estava em oitavo e tínhamos bom ritmo. O carro se mostrou forte durante toda a corrida: havia um bom equilíbrio e consegui seguir Lewis [Hamilton] e Kimi [Räikkönen] e pressioná-los. Eles abriram no fim, e, nas últimas voltas, tive de me manter à frente do Maldonado. Portanto, outro sétimo lugar foi um resultado merecido para a equipe depois de um fim de semana complicado para os mecânicos e com seis pontos importantes para o campeonato.”

Paul di Resta, 12º: “A corrida foi um teste para mim. As coisas começaram a dar errado ainda na volta de apresentação, quando tive um problema na embreagem, por isso não foi uma grande surpresa quando eu alinhei fora da linha [que demarcava a posição no grid]. Indo para a curva 1, estava quase no fundo do pelotão, e assim eu consegui ficar longe dos problemas e evitei os acidentes à minha frente. Mas quando você perde tanto espaço no começo é difícil recuperar. Estava sempre envolvido no tráfego e, sem correr com o ar limpo, não podia mostrar o potencial do carro. Nós não fomos muito longe com o acerto, mas eu nunca encontrei o ponto ideal durante a corrida. Espero que eu possa ir para a Coreia e voltar a pontuar.”

Toro Rosso

Daniel Ricciardo, décimo: “Foi uma corrida bastante movimentada. Logo na largada, fiquei encaixotado, perdi uma posição para Hülkenberg. Então, com o incidente que mais tarde trouxe o safety-car, consegui avançar algumas posições. Vi Alonso rodar na minha frente, e foi por um triz que não aconteceu um acidente. Consegui escapar e passei Grosjean na entrada da curva 3. A partir daí, tive uma corrida muito boa, lutando com Maldonado no começo, mas não consegui ultrapassá-lo. Os dois últimos stints foram bons, e primeiramente tive um duelo com Webber, que vinha com uma estratégia diferente. Em seguida, já no fim [da corrida], lutei com Michael e fiquei muito feliz por ter vencido o duelo. É sempre mais difícil quando você é o carro mais lento em uma disputa, mas com um bom conselho a partir do pit-wall na forma como usar o Kers para me defender na zona da asa móvel, eu conseguir. Nosso ritmo de trabalho em equipe melhorou e estou muito satisfeito pela maneira como eu guiei sob pressão. Não é todo dia que você tem um heptacampeão do mundo na sua cola.

Jean-Éric Vergne, 13º: “Fiz uma boa largada, mas, no geral, poderia ter sido uma corrida melhor para mim, já que eu perdi muito tempo atrás de Kovalainen no primeiro stint, já que ele estava com os pneus macios, que tinham uma tração melhor na saída das curvas do que os meus [pneus duros]. Além disso, na curva 2, vi Rosberg vindo em minha direção e tive de freiar, o que significou que todos me passaram. Depois disso, acelerei o que pude, mostrando o que o carro poderia fazer, imprimindo um ritmo forte. Perder três posições no grid, com uma punição, não me ajudou, mas novamente nós mostramos que podemos ser fortes no domingo, já que nós fomos mais rápidos que as Force India e Senna. Agora eu apenas tenho de esperar alguns dias para tentar novamente na Coreia do Sil, onde eu guiei pela Toro Rosso em um treino de sexta-feira pela primeira vez no ano passado. No geral, foi um fim de semana bastante agradável e já estou ansioso para correr aqui novamente no ano que vem.”

Mercedes

Michael Schumacher, 11º: “Tive um misto de sentimentos depois da corrida aqui no Japão porque, obviamente, é lamentável chegar tão perto de marcar pontos e não conseguir, depois de uma corrida em que nós fomos melhores do que esperávamos. Nas últimas voltas, tive um duelo interessante com o Ricciardo, mas, no final, não consegui ultrapassar porque a Toro Rosso era muito rápida nas retas. Por isso que nós temos que dizer que não poderíamos ter conseguido muito mais do que isso hoje. Agora vamos ver como as coisas vão acontecer na Coreia do Sul.”

Nico Rosberg, abandonou: “Tive uma boa largada, mas, infelizmente, tudo terminou rapidamente hoje. Na primeira curva o Grosjean rodou, acertou Webber e também contribuiu para o meu acidente. Comecei a frear, mas Senna bateu em mim por trás, o que destruiu meu pneu traseiro, significando que eu tinha de abandonar. É uma pena, já que eu estava me sentindo muito confortável com meu carro na volta de apresentação e estava confiante de que poderíamos marcar alguns pontos. Agora vou esperar por um fim de semana melhor na Coreia.”

Caterham

Heikki Kovalainen, 15º: “Eu tive um início fantástico, evitei os problemas e ultrapassei [Timo] Glock assim que o safety-car saiu. Eu estava muito bem até a primeira parada. Eu estava mantendo o carro e os pneus macios sob controle. Fomos para os pneus duros na segunda parte e, novamente, consegui manter tudo equilibrado. Nós estávamos pensando fazer apenas uma parada, mas os pneus começaram a se desgastar com dez voltas para o final. Daí por diante foi cruzar a linha de chegada sem problemas.”

Vitaly Petrov, 17º: “Precisei evitar os problemas na frente, passei pro isso e tudo ficou certo. Minha primeira parada foi boa, mas, depois que ficamos sem o Kers, obviamente me custou tempo e eu também tive um problema no rádio e não pude ouvir os avisos de bandeira azul, o que gerou o drive-through. Do lugar onde comecei no grid e com a questão do Kers, não consegui tirar tudo do carro. Foi um final de semana um pouco difícil, mas foi bom ver a equipe trabalhando duro. Teremos outra chance de ir bem na Coreia.”

Marussia

Timo Glock, 16º: “Estou muito feliz em dizer que foi uma boa corrida para nós hoje. O início foi um choque quando vi os carros passando. Heikki [Kovalainen] estava muito bem, mas fui capaz de ultrapassá-lo. Fui até a 11ª colocação, mas eu sabia que isso não iria durar muito, porque eu estava com dificuldades na saída da última curva e, obviamente, eles têm o Kers e nós não. Heikki me passou e eu continuei perdendo entre 0s3 e 0s4 por volta. Claro, muitos me passaram, porém nós tínhamos bom ritmo e fomos bastante consistentes.”

“Todos fizeram um grande trabalho e fui capaz de diminuir a diferença para Heikki, mas as bandeiras azuis acabaram fazendo a diferença aumentar novamente. Mesmo assim, 8s de distância no final foi muito bom! Nós temos que estar felizes, eu acho. Nós fomos bem, o carro estava muito bom de pilotar e é sempre ótimo ter um carro consistente. Continuamos a ter melhor ritmo na corrida do que nos treinos, por isso vamos continuar trabalhando duro para aproveitar esta fase muito positiva no final da temporada.”

Charles Pic, abandonou: “Obviamente, foi decepcionante abandonar quando estávamos bem na corrida e foi meu primeiro abandono em muito tempo. O início foi difícil, porque tivemos que evitar os problemas na primeira curva. Logo em seguida, não estava indo muito bem com a aderência do pneu duro. Isso melhorou quando coloquei o pneu macio na segunda perna da corrida. Eu estava indo bem e estava atrás de Timo [Glock] e à frente de Vitaly [Petrov] e Pedro [de la Rosa]. Infelizmente, perdi muito tempo na segunda parada nos boxes e, pouco tempo depois, abandonei por conta de um problema no motor. Foi um bom final de semana e gostei da minha primeira experiência neste circuito incrivelmente técnico. Estou ansioso por outro circuito novo para mim [na Coreia] no próximo final de semana.”

HRT

Pedro de la Rosa, 18º: "A corrida de hoje foi boa e podemos dizer que demos um passo à frente, apesar de ainda termos muito a fazer. O primeiro trecho foi bom, mas tivemos um problema no primeiro pit-stop, o que me fez perder um longo tempo. Meus tempos com os pneus duros na parte final foram bons e nós estávamos lá. O carro estava indo bem e nós nos aproximamos do Pic e do Petrov, o que, para nós, em uma pista como esta, é fantástico.”

Narain Karthikeyan, abandonou: "Tive uma boa largada e passei Pic na primeira volta. O carro estava funcionando bem, tinha um bom ritmo e, depois do primeiro pit-stop, eu estava na frente de Pedro e completando uma boa corrida. No entanto, tivemos um problema com o carro mais tarde e, entrando para a segunda troca de pneus, o time decidiu que, por uma medida de precaução, era melhor parar. Agora é hora de pensar na Coreia e trabalhar para dar outro passo à frente.”

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube