F1

Confira declarações dos pilotos após GP do México, 19ª etapa da temporada 2018 da F1

Max Verstappen celebrou, Daniel Ricciardo lamentou. Lewis Hamilton comemorou, Sebastian Vettel se entristeceu. Esse é um resumo do que os pilotos falaram após o GP do México deste domingo (18), prova que garantiu o pentacampeonato do britânico dono do carro #44
Warm Up, da Cidade do México / Redação GP, de São Paulo
 Max Verstappen (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
O dia na Cidade do México foi muito sentimental. Enquanto Max Verstappen celebrava a vitória no Hermanos Rodríguez e Lewis Hamilton comemorava o pentacampeonato, Daniel Ricciardo e Sebastian Vettel ficavam desolados com suas derrotas.

Desta forma, as declarações dos pilotos foram bem quentes e polêmicas: incluindo Ricciardo revelando que não quer correr as etapas finais do ano e Vettel assumindo que seu momento é "horrível".

Também houve espaço para Stoffel Vandoorne e Pierre Gasly, por exemplo, mostrarem toda a felicidade pelos pontos conquistados.

Confira as declarações dos pilotos:
Max Verstappen (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
Max Verstappen, primeiro: Verstappen vê largada como “chave” em triunfo no México e destaca estratégia de pneus da Red Bull
 
Sebastian Vettel, segundo: Desolado, Vettel se vê em “momento horrível” e avalia penta de Hamilton como “incrível e merecido”

Kimi Räikkönen, terceiro: Räikkönen elogia pneus e vê ida ao pódio em terceiro como “melhor resultado possível” no México

Lewis Hamilton, quarto: “Nunca imaginei que isso aconteceria”: Hamilton vibra com penta que veio “no meu melhor ano” na F1
Lewis Hamilton (Foto: AFP)
Valtteri Bottas, quinto: "Parabéns a Lewis! Mais uma  temporada sólida, especialmente na segunda metade, e realmente merecia o título. Quando perdi a oportunidade de ganhar o título deste ano, procurei ajudá-lo um pouco, mas já  tenho vontade de lutar de novo no próximo ano. Estou realmente contente por Lewis, mas não podemos ficar satisfeitos com a corrida de hoje, foi muito dura. O começo foi bom, mas logo começamos a sofrer com os pneus. A duração foi bastante pobre. Acabei fazendo três paradas, que é mais do que havíamos planejado. Tentei controlar os pneus, me assegurei de não deslizar, mas eles se desgastavam. Não sei por que sofremos tanto com os compostos, então temos que revisar isso e descobrir os motivos para este problema. Acredito que a maioria das equipes sofreram um pouco, mas talvez não tanto quanto nós, então temos que investigar. Mais uma vez, parabéns a Lewis, agora precisamos nos assegurar do título do Mundial de Construtores.

Nico Hülkenberg, sexto: “Nós tivemos dois finais de semana em sequência, com muitos pontos. Da minha parte, foi uma corrida muito tranquila e sólida, ainda que um pouco solitária para nós com uma estratégia de uma parada. Tivemos de administrar o carro e os pneus durante a corrida e a equipe inteira fez um bom trabalho durante todo o fim de semana. É uma pena perder Carlos, poderíamos ter finalizado em sexto e sétimo novamente e marcar muitos pontos para a equipe. No entanto, ampliamos nossa vantagem tanto no Mundial de Pilotos como no de Construtores, o que é muito positivo.”

Charles Leclerc, sétimo: “Foi uma boa corrida e estou feliz com meu resultado, meu segundo melhor até agora na F1. Foi um bom esforço por parte da equipe, e espero que nós consigamos ter uma próxima corrida parecida no Brasil.”

Stoffel Vandoorne, oitavo: "Estou muito satisfeito, colocamos muito trabalho duro e preparação neste final de semana, e falo em termos de estratégia, sabíamos que era possível pontuar aqui. Estou muito feliz de terminar em oitavo e marcar alguns pontos. É importante para nós no Mundial de Construtores e agora podemos aproveitar as últimas corridas. Não parecíamos competitivos nos treinos e na classificação não obtivemos o melhor resultado, mas estávamos mais próximos do habitual, sabíamos que quando a corrida chegasse iríamos melhorar. Fico feliz pelo que vi hoje. Foi uma grande corrida. Depois da primeira volta estivemos em último lugar e tínhamos muito trabalho a fazer, então foi uma recuperação forte. Fiz algumas ultrapassagens na pista, que foram muito importantes e, ao final, fizemos com que os pneus durassem até chegarmos ao oitavo lugar. Foi um grande resultado. No começo não foi fácil, ams sempre estive ali atacando no momento adequado quando assim tinah que agir, e sempre controlando os pneus. O ponto chave foi quando decidimos se fazríamos uma ou duas paradas. Os pneus pareciam complicados, mas logo conseguimos recuperá-los um pouco e esse foi o ponto de mudança."
Stoffel Vandoorne (Foto: McLaren)
Marcus Ericsson, nono: “É um ótimo resultado para a equipe hoje. Estou muito orgulhoso da minha corrida e acho que foi uma das minhas melhores performances na F1. Tive uma batalha difícil para administrar meus pneus e não cometer nenhum erro.”

Pierre Gasly, 10°: “Primeiramente, parabéns a Lewis por vencer o campeonato, outra grande conquista para ele, e parabéns a Max. Quanto à minha corrida, é ótimo terminar nos pontos. Com a punição, largamos em último no grid. Em 20º, foi difícil alcançar o top-10, mas conseguimos fazer isso no fim. Estou muito feliz por marcar um ponto. Isso é bom para todo mundo na equipe, especialmente depois de algumas corridas complicadas. Eu me senti bem com o carro, tive algumas ótimas disputas e a estratégia foi a correta, então acho que nós fizemos tudo o que foi possível. Não foi uma corrida fácil. A gestão dos pneus foi o fator chave hoje, então precisaríamos ser inteligentes e acelerar na hora certa, ficando focados e disciplinados com nossa pilotagem durante toda a corrida para fazer esses pneus durarem. Deveremos conseguir largar em nossa posição normal no Brasil e em Abu Dhabi, então vamos poder lutar e tentar recuperar nossa posição em relação à Sauber.”

Esteban Ocon, 11°: “Esta foi, provavelmente, a pior corrida de toda minha carreira na F1 até agora. Nada deu certo e foi simplesmente uma tarde terrível. Fiz uma largada muito boa, consegui passar as duas Sauber chegando na Curva 1, mas foi a única coisa positiva de hoje. Fiquei lado a lado com Carlos [Sainz] na Curva 3, mas eu vi que ele estava vindo por dentro. Eu freei para evitar um contato, mas nós ainda assim batemos e isso quebrou minha asa dianteira. Tive de parar no fim da primeira volta e a minha corrida efetivamente acabou. É uma pena porque nós tínhamos uma boa estratégia e um carro rápido, mas hoje não foi nosso dia. Vamos esquecer essa corrida e voltarmos mais fortes no Brasil.”

Brendon Hartley, 12°: “Tive uma boa largada. Foi uma pequena bagunça chegando à curva 4, um carro à minha frente simplesmente foi arrancado para fora antes da frenagem, travei os freios e deixei os pneus supermacios quadrados. Infelizmente, tivemos de parar na primeira volta e, depois disso, efetivamente fiz uma corrida de uma parada a partir de então. Acho que foi uma corrida sólida com uma gestão de pneus muito forte. Me defendi de forma contundente contra Esteban Ocon, então é uma pena ter uma punição de 5s quando nós tivemos um toque. Sem o dano e a punição a partir do toque, teria chegado em décimo e sem o dano no pneu na primeira volta nós teríamos ritmo para estarmos ainda mais acima. O ritmo neste fim de semana foi muito encorajador, mas o resultado final é um pouco decepcionante.”
Sergey Sirotkin (Foto: Williams)
Sergey Sirotkin, 13°: “Foi um esforço muito bom da equipe hoje. A forma como nós administramos o stint final, fazendo 58 voltas com os pneus ultramacios, foi absolutamente incrível. Com dez voltas para o fim, eu ainda tinha pneus melhores que os carros à minha volta. Tive um ritmo muito bom e cada vez mais que os carros à minha frente. Estive lado a lado com Kevin [Magnussen], mas então veio o safety-car virtual, o que arruinou completamente meu ritmo, o que fez esfriar meus pneus e resetar as coisas. Durante a relargada, estava sofrendo para esquentar meus pneus supermacios e levei três voltas para fazê-los voltar à janela. Fiz uma manobra difícil sobre Kevin e tive quatro voltas para alcançar os carros à minha frente. Nas últimas voltas, consegui alcançar os carros, mas a corrida já tinha acabado. Fizemos um bom trabalho para administrar o stint, mas fiquei decepcionado por não ter sido mais agressivo na luta no fim da corrida. No geral, foram sentimentos mistos.”

Lance Stroll, 14°: “Foi muito ruim não poder marcar pontos hoje. Talvez com uma parada — sabia que Sergey faria [uma estratégia de] uma parada — nós teríamos conseguido. Mas nós estivemos um pouco numa posição diferente para brigar na pista no primeiro stint. Os ultramacios, no primeiro stint, ficaram longe de ser muito rápidos, então tivemos de seguir para uma estratégia de duas paradas. Então ficamos muito tempo com os supermacios e simplesmente seguimos administrando isso.”

Kevin Magnussen, 15°: “Conseguimos nos colocar em uma boa posição, então fizemos o pit-stop perto da volta 40. Quando saímos com os pneus ultramacios, não deu nada certo. Quero dizer, se nós queremos fazer uma ótima corrida, precisamos de pneus. Isso só não foi possível hoje por causa desses pneus. É difícil, mas vamos seguir em frente.”

Romain Grosjean, 16°: “Foi um dia muito complicado. Não conseguimos tirar o que nós esperávamos com os ultramacios. Nos supermacios, fizemos o que podíamos. Extraímos o máximo da vida útil do pneu. Então, nos ultramacios, tivemos problemas que não esperávamos. Houve muito desgaste no pneu traseiro. Decidi parar novamente no fim do período do safety-car virtual. Isso não fez tanta diferença no fim com o Kevin [Magnussen]. Foi muito apertado. Simplesmente um dia complicado.”

Daniel Ricciardo, NC: Ricciardo lamenta “largada nojenta” no México e desabafa após quebra: “Não quero correr o que falta”
Daniel Ricciardo (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
Sergio Pérez, NC: “É uma grande pena abandonar minha corrida em casa, especialmente quando as coisas pareciam muito boas nesta corrida. Acho que nós tínhamos o sétimo lugar garantido e a ótima estratégia que nós começamos a planejar ontem estava realmente correspondendo. Às vezes, nas corridas você tem grandes decepções quando há um problema no carro. Hoje os freios me forçaram a abandonar porque o pedal ficou muito longo, tive de estacionar o carro. Até então, vinha sendo uma corrida bem empolgante para mim, tive uma ótima primeira volta, ficando à frente de Fernando [Alonso] e então boas batalhas com as Sauber durante a corrida. Estava controlando minha corrida, prestando atenção aos pneus e pensei que nós poderíamos marcar alguns pontos. Sinto muito pela equipe e pelos fãs que foram incríveis nesta semana. Eles sempre me fazem sentir muito orgulho e hoje eles me deram um apoio incrível.”

Carlos Sainz Jr., NC: “Hoje foi uma grande pena. Estávamos liderando confortavelmente o pelotão do meio e na luta por alguns pontos e, então, sem avisar, o carro apagou. É muito frustrante, depois de uma boa largada e da primeira volta, mas corridas são assim. Não tivemos muitos problemas de confiabilidade nesta temporada, mas quando tive, é quando estive liderando o pelotão do meio, então é um pouco de azar e coincidência que isso tenha acontecido de novo hoje. Vamos investigar o problema e seguir em frente. Vamos seguir lutando, buscando marcar pontos nas duas últimas corridas e buscar garantir o quarto lugar do Mundial de Construtores. Merecíamos mais, mas ao menos Nico ficou nos pontos, então não foi um resultado ruim para a equipe. Parabéns a Lewis Hamilton pelo quinto título.”

Fernando Alonso, NC: Alonso abandona GP do México após problema no radiador “que acontece uma vez em um milhão”