F1

Confira declarações dos pilotos após o GP da Espanha, quinta etapa da temporada 2019 da F1

Lewis Hamilton teve a honra de comandar nova dobradinha da Mercedes, a quinta seguida na temporada 2019. Valtteri Bottas, que perdeu a liderança na largada, surgiu em segundo. O pódio ainda teve Max Verstappen, que voltou a superar a Ferrari

Grande Prêmio / Redação GP, de Berlim
O GP da Espanha deste domingo (12) foi um passeio para a Mercedes e, em particular, Lewis Hamilton. O britânico assumiu a liderança ainda na largada e partiu para liderar cada uma das 66 voltas da corrida em Barcelona. Valtteri Bottas, largando da pole, não repetiu a alta performance da classificação e surgiu em segundo.
 
O pódio teve Max Verstappen em terceiro, repetindo GPs anteriores, quando o holandês superou a dupla da Ferrari. Sebastian Vettel e Charles Leclerc, sofrendo com estratégias que não funcionaram, deixam Barcelona sem querer beber champanhe, em quarto e quinto. Pierre Gasly, como de praxe ultimamente, fechou o pelotão dianteiro com um sexto lugar.
 
Gasly foi seguido por Kevin Magnussen, da Haas, o melhor do resto na F1, enquanto Carlos Sainz voltou a pontuar em casa ao cruzar a linha de chegada em oitavo com a McLaren. Daniil Kvyat, da Toro Rosso, e Romain Grosjean, com a outra Haas, fecharam o top-10.
Lewis Hamilton (Foto: Mercedes)
Confira declarações dos pilotos após GP da Espanha

Lewis Hamilton, primeiro: 
"É a história sendo escrita": Hamilton credita vitória e dobradinha a Mercedes "que resolve as diferenças"
 
 
 
 
 
Pierre Gasly, sexto: “O primeiro stint foi ok, mas no fim eu comecei a sofrer com a aderência e a degradação. Pegamos muitos detritos de borracha na asa dianteira, o que resultou em várias escorregadas, então o ritmo despencou desde o segundo stint. Tentei acelerar o máximo que pude, mas não pude acompanhar as Ferrari à minha frente. Na relargada, tentei passar Charles, mas não consegui. Foi uma briga bem boa e acho que na largada nos tocamos na curva 3. No fim das contas, é bom marcar alguns pontos. Temos o teste nesta terça-feira, então vamos poder testar mais algumas coisas e seguir trabalhando. Olhando para a frente, acho que nós temos bom potencial nas próximas pistas, que devem se adequar melhor ao nosso carro.”
 
Kevin Magnussen, sétimo: “Tivemos uma boa corrida em termos de ritmo. Foi um ritmo forte, principalmente no fim. Não tivemos muitos problemas com os pneus. Foi muito melhor dessa vez. Nosso segundo pit-stop foi brilhante da parte da equipe para superar o Kvyat quando o safety-car apareceu. Tive boa temperatura de pneus na relargada, passei Romain [Grosjean] e ataquei o Gasly, mas não consegui me manter. Foi uma corrida boa”.
Kevin Magnussen (Foto: Haas)
Carlos Sainz Jr., oitavo: “Bom resultado em casa. Parabéns a toda a equipe por conseguir terminar nos pontos hoje porque não foi uma corrida fácil para nós. Foi um desses pontos bem disputados. Sofremos na metade da corrida, mas conseguimos executar uma boa estratégia, ótimos pit-stops, e consegui fazer algumas boas ultrapassagens no momento certo para aproveitar nossas chances e terminar em oitavo. Entretanto, precisamos analisar o motivo de o ritmo não estar lá hoje e por que sofri tanto no último setor. Mas, de resto, foi uma dessas corridas em que, graças ao apoio da torcida e graças à ajuda de toda a equipe, conseguimos entrar nos pontos. Muito obrigado a todos os fãs pelo enorme apoio durante todo o fim de semana.”
 
Daniil Kvyat, nono: “Tivemos alguns momentos empolgantes hoje, mas infelizmente nós perdemos nossa corrida no pit-lane, já que os pneus não estavam prontos para mim. Foi uma chamada de última hora para o pit, essas coisas acontecem em situações complicadas, e tenho certeza de que nós vamos aprender com isso como equipe. Acho que poderíamos ter finalizado em sétimo, já que era onde estávamos antes do incidente no pit-lane. Ainda marcamos alguns pontos hoje, o que é sempre bem-vindo. A performance do carro está melhorando e me sinto cada vez mais confortável com o carro. Tenho certeza de que vamos ter alguns bons dias pela frente.”
 
Romain Grosjean, décimo: “Foi um bom fim de semana, tivemos bom ritmo. Antes do safety-car estávamos correndo sozinhos, fazendo uma boa corrida e eu estava feliz com isso. A relargada foi complicada. Não foi ideal para mim porque perdi algumas posições. Como um todo, fico feliz por como agimos no fim de semana, feliz por mostrar que o carro é rápido. Agora vamos para a próxima”.
 
Alexander Albon, 11º: “Foi decepcionante ter ficado tão perto dos pontos e voltar pra casa sem nada, mas foi uma corrida divertida com Romain [Grosjean]. Tive de recuar porque pensei que poderia ter acontecido um incidente quando nós dois decidimos ir para cima ao mesmo tempo. Tive de pisar nos freios e perdi o impulso para a curva 1, e acho que se não fosse isso eu teria feito a ultrapassagem. A corrida foi perdida por nós no pit-stop, então precisamos rever o que aconteceu porque nós deveríamos estar com os dois carros no top-10. É bem frustrante, mas estou feliz com minha performance e estou ansioso por lutar por pontos novamente em Mônaco.”
Carlos Sainz (Foto: McLaren)
Daniel Ricciardo, 12º: “Foi uma corrida frustrante para mim nesta tarde. Na primeira parte, tive ritmo para lutar com Sainz e, no fim do primeiro stint, consegui fazer a ultrapassagem. Então, fizemos o pit-stop e colocamos pneus duros, então ele me alcançou rapidamente. Foi difícil reduzir a vantagem, tivemos um bom ritmo no último setor, mas não conseguimos correr com ele na última curva. Nós certamente fomos mais rápidos que o 12º lugar hoje e, no fim das contas, não foi um domingo perfeito. O pelotão do meio é muito apertado e tudo tem de ser feito ao máximo para marcar um bom resultado. Vamos nos reorganizar e focar na próxima.”
 
Nico Hülkenberg, 13º: “Foi muito complicado hoje largando do pit-lane. Não foi uma grande corrida, já que não marcamos ponto algum, mas foi bom ter uma corrida normal e elevar a confiança. Especialmente depois de um fim de semana complicado, isso é positivo. Não pude lutar por pontos no fim, tivemos dez voltas com os pneus macios correndo contra outros que haviam feito o pit-stop e colocado pneus novos depois do safety-car. Me senti bem e confortável lá fora, o que é promissor quando se pensa em Mônaco. Vou voltar ao carro na terça-feira, então vamos buscar um dia produtivo acelerando.”
 
Kimi Räikkönen, 14º: “O que posso dizer? Que bom que temos dois dias de testes pela frente. Precisamos disso e espero que dê para entender nossos problemas. Como um todo, não foi um fim de semana fácil para nós. Dito isso, estávamos com a mesma velocidade dos caras na nossa frente nas últimas voltas, mas você não consegue fazer tudo com isso. Eu escapei na primeira volta e isso não ajudou. Eu tentei desesperadamente ganhar posições, mas estava tudo escorregadio e eu escapei. Foi decepcionante, mas é como eu disse. Tomara que os testes nos ajudem a mudar isso”.
 
Sergio Pérez, 15º: “Foi um fim de semana complicado no geral. Considerando onde nós classificamos, sempre vai ser uma corrida difícil porque ultrapassar é bem complicado aqui e nós sofremos com o ritmo. Foi um fim de semana para esquecer, mas nós vamos ficar aqui para os testes da semana que vem, então espero que possamos analisar o que podemos fazer de melhor para as próximas corridas. Agora estou ansioso para Mônaco e com a chance de deixar tudo isso para trás.”
Daniel Ricciardo (Foto: Renault)
Antonio Giovinazzi, 16º: “Não foi um fim de semana fácil. Largamos em 18º e fomos com uma estratégia diferente para tentar ganhar posições. Acabou não funcionando porque não tínhamos ritmo. Ainda precisamos trabalhar pesado para ter um conjunto melhor em Mônaco e alcançar um resultado melhor. A briga do pelotão intermediário está apertada, mas já mostramos no passado que podemos fazer parte dela”.
 
George Russell, 17º: “Foi um GP padrão para nós. Nosso ritmo de corrida provavelmente foi mais lento que o de classificação, então isso é algo que temos de analisar. Foi um fim de semana intrigante para nós. Trouxemos alguns itens para teste e obtivemos algumas boas informações sobre eles. Acho que estamos caminhando no rumo certo.”
 
Robert Kubica, 18º: “Larguei muito bem, mas fui espremido entre as duas Racing Point, então tive de tirar o pé no meio da reta e perdi muito espaço. Então perdi uma posição para George, mas a recuperei na curva 4. Meu primeiro stint não parecia ser tão ruim, mas antes de ele me ultrapassar, fui chamado para trocar algumas coisas no volante e não esperava que ele estivesse tão perto. Eu não estava pronto para me defender e, quando o vi no retrovisor, já era tarde demais. Mudamos a estratégia durante a corrida e acho que foi bom o acionamento do safety-car, já que isso dividiu nosso segundo stint. Do contrário, teria sido bem difícil para nós administrar os pneus até o fim."
 
 
Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.