F1

Confira declarações dos pilotos após o GP da França, oitava etapa da temporada 2019 da F1

Lewis Hamilton levou facilmente o GP da França deste domingo (23), largando na pole e sem ser ameaçado até o final. Valtteri Bottas e Charles Leclerc completaram o pódio, com Max Verstappen e Sebastian Vettel logo atrás. Dentro do top-6, foram Carlos Sainz Jr. e sua McLaren quem tiraram Pierre Gasly e a Red Bull

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
O GP da França foi dos mais modorrentos na pista, mas houve histórias a serem contadas: nas declarações dos pilotos, algumas nuances podem ter dado emoção à corrida deste domingo (23), vencida facilmente por Lewis Hamilton.

O próprio piloto da Mercedes revelou que teve, sim, alguns problemas, enquanto Valtteri Bottas saiu motivado de Le Castellet. Para o meio do grid, alguns pilotos satisfeitos com o que obtiveram, como Kimi Räikkönen, enquanto outros saíram decepcionados por motivos extra-pista, como Sergio Pérez, punido logo no começo da prova. 
O pódio do GP da França de F1 (Foto: Mercedes)
Confira as declarações dos pilotos:

Lewis Hamilton, vencedor: Após vitória tranquila na França, Hamilton disfarça: “Não foi fácil de maneira alguma”

Valtteri Bottas, segundo: 2º, Bottas lamenta falta de ritmo na França e solta essa: “Hamilton não é imbatível”

Charles Leclerc, terceiro: No pódio, Leclerc credita perseguição a Bottas no fim a “ótimo” trabalho com pneus

Max Verstappen, quarto: Verstappen lamenta falta de potência em retas, mas diz que quarto lugar na França “não foi ruim”

Sebastian Vettel, quinto: Apenas 5º, Vettel lamenta fracasso das atualizações da Ferrari: “Não chegamos perto”

Carlos Sainz Jr., sexto: Sainz “cumpre objetivo” com sexto lugar na França. E Norris diz que 9° foi decepção
Carlos Sainz (Foto: AFP)
Paddockast #22
O que torna uma corrida de qualquer categoria legal? E chata?



Kimi Räikkönen, sétimo: "Me decepcionei ontem por não chegar ao Q3, mas a gente sabia que seria melhor começar com pneus diferentes aos macios, e assim foi. Não fiz uma boa largada, mas por sorte não perdi muito na rreta e pude brigar nas curvas seguintes. Estávamos em uma posição forte depois da largada, com pneus duros, mas tive que conter (Nico) Hülkenberg  durante toda a corrida. Foi uma grande batalha contra as Renault durante a maior parte do dia, e ao final alcancei quem estava à frente. As últimas voltas foram intensas e divertidas. Foi bom poder brigar contra outros carros do meio do grid e estar na frente. Tivemos velocidade para obter um bom resultado ao final."

Nico Hülkenberg, oitavo: "Demos a volta por cima hoje e é bom estar entre os 10 primeiros outra vez. Quem sabe poderia ter sido uma corrida diferente se tivéssemos nos classificaod mais para cima, mas do 13° ao nono lugar é um bom passo. Forcei a corrida toda, mas fiquei preso no tráfego e essa é uma pista complicada para se ultrapassar. Tinha ritmo e isso demonstra que somos fortes aos domingos. As últimas voltas foram muito divertidas, tive uma boa luta, interessante, e estou feliz em ter ultrapassado alguns pilotos. Demonstramos ter ritmo de corrida, mas precisamos encontrar ritmo em uma volta só."

Lando Norris, nono: "A corrida foi emocionante até o final e acho que tanto eu como Carlos (Sainz) tivemos um bom ritmo. Ele me passou na largada, trocamos posições. Tudo estava bem até faltar 20 voltas para o final, quando tive um problema que complicou minha continuidade. O carro ficou sem ritmo e muito difícil de conduzir, por isso estou decepcionado. Mas, veja, estar decepcionado por só ter conseguido um ponto (na verdade, dois, após a punição a Daniel Ricciardo, da Renault) é algo bom para a McLaren."

Pierre Gasly, 10°: "Foi um dia longo e difícil. Estou decepcionado, principalmente porque foi aqui na França. Desde a classificação sofri com o grip e foi o mesmo na corrida. Ainda não tenho resposta, mas estou certo de que analisaremos tudo para compreender exatamente por que nos faltou ritmo. Realmente nunca me senti assim com o carro e como a Áustria já vem na próxima semana temos que trabalhar rapidamente para arrumar tudo."

Daniel Ricciardo, 11°: Ricciardo recebe duas punições por incidentes no fim da prova e sai da França sem pontos
Daniel Ricciardo (Foto: Renault)
Sergio Pérez, 12°: "Não sei por que me puniram. Fiz o que devia fazer, passar por fora da marcação. A regra diz que tem que voltar à pista após passar esta marcação pela esquerda, o que eu fiz. Foi incorreto me punir, porque segui as regras. Se ganhei ou não vantagem, para mim é impossível julgar, era a primeira volta e haviam muitos carros ao meu redor. Supostamente essa linha é mais lenta que o traçado da corrida, então não ganhei vantagem, não foi minha culpa. Essa punição estragou minha corrida. Tinha a chance de obter pontos hoje, mas foi arruinada. Estávamos muito mais próximos do ritmo de corrida, que era promissor. Fomos mal na classificação, então temos que prestar atenção a isso. Espero voltar aos pontos na Áustria." 

Lance Stroll, 13°: "Foi uma boa corrida. A primeira parte foi sólida e andamos bem antes de colocarmos pneus médios, pude atacar e empurrar mais. Infelizmente, acredito que paramos um pouco tarde, já que notei que os pneus perdiam rendimento ao final da primeira parte, isso nos custou tempo. Os pneus médios ainda estavam longe de se degradarem quando acabei a corrida. Talvez devessemos ter parado umas duas voltas antes, poderíamos ter alcançado um resultado melhor. Mas é fácil dizer isso depois da corrida. A equipe se esforçou bastante e demonstramos um bom ritmo para subir posições." 

Daniil Kvyat, 14°: "Acredito que a corrida não tenha sido ruim. Afinal, fizemos o melhor trabalho possível e tivemos boas batalhas na pista. Tive uma boa ultrapassagem por fora em (Romain) Grosjean e uma boa luta com Alex (Albon) no final da corrida. Foi bastante divertido. Não estou certo de que posição poderíamos chegar se tivéssemos classificado melhor. Acho que teria sido complicado lutar por pontos. Agora temos que voltar mais fortes na Áustria."

Alexander Albon, 15°: "Por azar nossa corrida foi comprometida já na primeira volta quando abri demais na curva 2. Não sabia que havia pouco gripo na zona exterior e perdi vários pontos. Fomos mais rápidos que os carros da frente, mas foi difícil ultrapassar, já que todos tinham DRS, e fiquei preso entre dois carros. Nos faltou ritmo hoje, precisamos entender por que e onde podemos melhorar. Foi divertido lutar com Daniil (Kvyat), mas lutar por posições fora dos pontos não era o que queríamos para hoje."
Alexander Albon (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
Kevin Magnussen, 16°: "Não há muito o que falar. Acho que na sexta-feira estávamos pensando que a classificação seria difícil, mas que na corrida poderíamos ser fortes. Mas não foi o caso. Lutamos por toda a corrida no fundo do grid. Não havia solução. Obviamente nosso ritmo é nosso maior desafio no momento. Falta ritmo às vezes, e hoje foi um desses dias."

Antonio Giovinazzi, 17°: "É decepcionanteterminar fora dos pontos, mas fomos contra a corrente quando começamos com pneus macios. É o preço a se pagar por uma boa atuação no sábado, mas efetivamente comprometeu minha corrida desde o começo. Paramos rapidamente já que os macios não duraram, mas ao final tivemos que fazer outra para conseguir terminar a corrida. Mesmo assim, foi possível colher alguns pontos positivos: uma classificação forte e, sem dúvidas, foi importante a equipe voltar aos pontos. Demonstramos ser competitivos e espero que levemos essa forma para as próximas corridas."

Robert Kubica, 18°: "Os pneus duraram mais do que esperávamos, então pilotar foi menos doloroso. Minha primeira volta foi boa, tomei as decisões corretas, só não arrisquei muito. O resto da corrida foi bom, tive algum problema com os pneus traseiros em certos momentos, mas mantive tudo sob controle . A batalha com George (Russell) foi uma bela experiência, esperamso que seja útil quando o carro melhorar."

George Russell, 19°: "Tentei ultrapassar Robert (Kubica) por fora, mas abri demais e bati em uma placa. Pensávamos que o problema não tinha sido grande, mas logo descobrimos que a asa dianteira estava bastante danificada. Por razões de segurança decidimos parar e trocar. O ritmo foi bom por nossa parte, mas não foi um grande dia. Há que se ter paciência, temos que aprender o máximo possível e nas próximas corridas, com um pocuo de sorte, podemos batalhar com alguns pilotos a mais. No geral, não estou satisfeito, nem decepcionado."

Romain Grosjean, NC: "Tirei o máximo do carro, mas não foi o suficiente. Apesar do equilíbrio ser bom, estávamos muito devagar. Precisamos analisar tudo, tentar entender. Estamos sofrendo. É duro abandonar em frente à sua torcida, mas isso salvou algumas partes do carro. Estávamos longe dos pontos, de qualquer forma. Acho que foi a decisão certa."


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.