Confira declarações dos pilotos após o GP da Itália da F1 2021

Daniel Ricciardo venceu o GP da Itália. Lando Norris completou a dobradinha da McLaren. Hamilton e Verstappen bateram. Confira as declarações

Daniel Ricciardo venceu o GP da Itália e encerrou diversos jejuns da própria carreira e da McLaren, que ainda viu Lando Norris completar a dobradinha. Valtteri Bottas, em uma jornada de recuperação, fechou o pódio na terceira colocação, após largar em último.

A prova em Monza ainda foi marcada pelo incidente entre Max Verstappen e Lewis Hamilton, que decretou o fim de prova prematuro para ambos os postulantes ao título mundial da Fórmula 1 em 2021.

Festa da McLaren após a dobradinha conquistada no GP da Itália (Foto: Beto Issa)

Confira as declarações dos pilotos após o GP da Itália de  Fórmula 1:

Daniel Ricciardo, primeiro: Ricciardo celebra vitória em Monza e volta por cima: “Senti que algo estava por vir”

Lando Norris, segundo: Norris fala em felicidade por vitória de Ricciardo na Itália: “Vou ter a minha chance”

Valtteri Bottas, terceiro: Bottas festeja 3º na Itália após largar em último: “Disse à equipe que estaria no pódio”

Charles Leclerc, quarto: Leclerc lamenta ausência de pódio da Ferrari em casa na Itália

Sergio Pérez, quinto: “Como equipe, esperávamos que os comissários tivessem uma visão mais ampla [na decisão de punir o mexicano]. Se tentássemos fazer a curva sem cortar, teria havido contato. Eu evitei o contato, mas não tinha para onde ir. Era minha curva, então não dava para evitar. No fim das contas, tomamos a decisão de seguir em frente e esperávamos isso. Valtteri estava bem forte e me pressionado bastante, mas infelizmente fiquei com o pódio na pista e sem ele pela punição.”

Carlos Sainz, sexto: Sainz diz que Ferrari foi alvo fácil no GP da Itália

Lance Stroll, sétimo: “Terminar em sétimo é um bom resultado e grande trabalho da equipe. Era o caso de todo o time ajudar, porque estava tudo muito próximo. Conseguimos encontrar um bom ajuste com o carro. Não éramos tão rápidos quanto alguns dos outros carros nas retas, mas fomos fortes nas curvas e fizemos funcionar. Creio que o sétimo lugar era o máximo que podíamos ter conseguido hoje. Depois de três corridas seguidas, é bom ter um bom momento antes da Rússia. Estou ansioso para voltar ao carro lá.”

Fernando Alonso, oitavo: Alonso considera que Alpine “maximizou potencial” do carro com pontos em Monza

George Russell, nono: “Estávamos na pista na hora e no lugar certos quando o safety-car apareceu e nos deu algumas posições no pit-lane. O último stint depois disso foi bem forte com Alonso na minha frente e Ocon atrás de mim, e conseguimos manter a vantagem. Marcamos pontos em três das últimas quatro corridas, algo que parecia inacreditável. Demos um pouco de sorte com os incidentes de hoje, mas novamente nos colocamos em posição de capitalizar. No fim das contas, superamos uma Alpine, uma Aston Martin e duas Alfa Romeo, então precisamos manter o momento. Quero dar os parabéns para a McLaren. Daniel e Lando com uma dobradinha é bem épico.”

Esteban Ocon, décimo: “Corrida movimentada e, apesar de pontuar ser bom, sinto que fomos muito azarados por não marcar mais pontos. Larguei bem, ganhei posições e tive de devolver uma para Latifi, o que custou tempo. Depois, tive boa batalha com Vettel e nos tocamos na curva quatro sem que ninguém tivesse danos, mas eu recebi uma punição de 5s pela manobra. Com o timing do safety-car, tivemos de servir um pit-stop, o que custou um pouco, porque acho que podíamos ter vantagem [com a estratégia que estava desenhada]. Discordo com as decisões em ambos os incidentes, mas é assim que funciona às vezes. O ponto solitário não reflete o trabalho da equipe no fim de semana. Havia potencial para mais.”

Daniel Ricciardo venceu com a McLaren o GP da Itália (Foto: Beto Issa)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Nicholas Latifi, 11º: “Foi uma corrida muito complicada, mas positiva. Nunca é legal terminar em 11º, mas estou feliz com o desempenho, porque normalmente essa aqui é uma das minhas piores pistas. Tivemos azar com o timing do safety-car e perdemos posição para George, além de que Esteban tinha um carro melhor com pneus mais novos. Acho que sem o safety-car, como estávamos nos pontos, teríamos ficado ali porque estávamos bem confortáveis.”

Sebastian Vettel, 12º: Vettel diz que GP da Itália acabou após toque com Stroll: “Impossível reagir”

Antonio Giovinazzi, 13º: “É uma pena ter um fim de semana tão forte comprometido por um incidente na primeira volta. Saí reto na segunda chicane, saltei na zebra e perdi o controle do carro. Precisei ver as fotos para entender bem o que aconteceu. Depois, foi difícil. O assoalho ficou danificado e não deu para retomar. É frustrante, especialmente sabendo como estava nosso ritmo antes e onde terminaram os carros que estavam à nossa volta. Queria mais em nossa corrida de casa aqui em Monza.”

Robert Kubica, 14º: “Não foi uma corrida tão fácil quanto esperávamos, mas, no fim das contas, minha primeira volta foi boa. Não foi uma grande largada, mas o posicionamento foi bom e ganhei três posições apesar de ser o único, além de Bottas, com pneus duros. A aderência não era ótima e sabia que tinha de proteger os pneus, então abri vantagem para Russell e esperei pela segunda parte da corrida, quando os médios seriam uma vantagem. Mas tive dificuldades mesmo depois da parada. Estava difícil seguir os carros da frente, não dava para me aproximar, perdia muita aderência. No fim das contas, tive boas batalhas com Vettel de novo antes de trocar de lugar com Antonio e terminar em 14º.”

Mick Schumacher, 15º: “Pessoalmente, achei que foi uma boa corrida. Acho que tomamos as decisões certas em termos de estratégia e acho que a comunicação na corrida foi muito boa. Sobre a largada, muita coisa estava acontecendo lá na frente e com o safety-car as coisas ficaram interessantes. Recomeçamos bem desta vez e conseguimos lutar. Infelizmente, tive alguns danos na asa dianteira mas, no geral, podemos estar felizes com o que fizemos hoje.”

Nikita Mazepin, não completou: “Tive uma falha no motor, acredito, perdemos toda potência. Acho que era perigoso forçar o motor sem saber o que tinha acontecido, então a equipe me disse para parar o carro imediatamente. Com Mick, foi porque ele freou muito cedo indo para a curva 4 e eu estava lá. Ele precisava fazer a curva e virar, então sinto muito que eu tenha atrapalhado. A culpa foi minha, mas foi um incidente de corrida. É óbvio que não estou feliz com isso e com o que aconteceu. Depois disso, eu fiquei com a asa danificada, precisávamos ir aos boxes para um pit-stop e, então, o motor simplesmente disse ‘adeus’.”

Lewis Hamilton, não completou: Hamilton diz que Verstappen poderia ter evitado acidente em Monza: “Não quis ceder”

Max Verstappen, não completou: Verstappen culpa Hamilton por acidente em Monza: “Começou a me espremer”

Pierre Gasly, não completou: “Tivemos um início de fim de semana brilhante, com outra forte apresentação na classificação, mas depois da corrida sprint de ontem foi tudo muito decepcionante. Sabíamos que havia algo de errado nas primeiras voltas, mas não conseguimos consertar antes da corrida. Não sabemos o problema exato ainda, mas, infelizmente, tivemos que retirar o carro. Foi nossa corrida em casa, por isso é difícil perder os dois carros aqui hoje. Sabemos que o desempenho do carro está bom, então precisamos apenas trabalhar duro e nos preparar para a próxima corrida.”

Yuki Tsunoda, não largou: “Quando estávamos indo para grid de largada, encontramos um problema mecânico no carro. Tentamos consertar isso na pista, mas não foi possível, então trouxemos o carro de volta para a garagem para tentar resolver antes da corrida. Meus mecânicos fizeram um ótimo trabalho tentando consertar, mas infelizmente não consegui iniciar a prova. É difícil não conseguir mais voltas e experiência neste carro, mas precisamos virar a página. Meu foco total agora estará na Rússia.”

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar