Confira declarações dos pilotos após o treino classificatório realizado no Circuito das Américas

Quarto colocado, Romain Grosjean foi punido por trocar o câmbio e vai largar na nona posição no grid de largada do GP dos Estados Unidos. No Q3 mais uma vez, Pastor Maldonado é décimo. Já Jenson Button foi a decepção e larga apenas em 12º

11º, Senna alerta para risco de acidente na 1º curva de Austin

Massa revela preocupação com largada e aquecimento dos pneus

Com os pneus com problemas para aquecer, o treino classificatório para o GP dos Estados Unidos, que aconteceu neste sábado (17), foi bem divertido e causou a eliminação precoce de Jenson Button, que não avançou a última fase da atividade e vai largar apenas na 12ª colocação, muito atrás de seu companheiro de equipe, Lewis Hamilton, o segundo colocado no grid de largada da volta da F1 ao país.

Quem deu azar mesmo foi Romain Grosjean, da Lotus. Ele conseguiu a quarta colocação na pista, mas acabou punido por trocar o câmbio de seu carro e vai largar apenas na nona colocação. Apesar do infortúnio, o piloto ficou satisfeito por não ficar de fora dos dez melhores.

Com outro bom treino, Pastor Maldonado superou Bruno Senna mais uma vez e foi ao Q3, fase decisiva do classificatório. O venezuelano vai largar na décima colocação. Já Nico Rosberg não foi bem, aliás, foi péssimo. Ele se classificou na bacia das almas para o Q2 e não melhorou sua posição. Resultado: ficou apenas com a 17ª colocação. De saída da Force India, Nico Hülkenberg foi bem e conseguiu a oitava posição, que virou sétima com a punição a Grosjean.

Mais para baixo, a Sauber não foi bem e amargou posições intermediárias com ambos os carros. No mais, a surpresa foi a Marussia superar, pela primeira vez em sua história, os dois carros da Caterham no classificatório. Claro, a HRT ficou com as duas últimas colocações.

Romain Grosjean foi punido e vai largar na nona colocação (Foto: Lotus/LAT)

Lotus

Romain Grosjean, nono: “Vou começar em nono, mas é de corrida. O pessoal fez um trabalho incrível para mudar o câmbio entre o terceiro treino livre e a classificação. E foi um período muito curto, mas ainda estamos entre os dez primeiros mesmo com a punição, o que não deixa de ser um bom resultado. Fora o problema no câmbio, foi tudo muito bem. Nós entendemos que é um circuito difícil, mas estamos evoluindo e encontramos um bom acerto. Estou feliz por estar onde estou e, pelo menos, vou estar no lado bom da pista no início amanhã.”

Williams

Pastor Maldonado, décimo: “A performance não estava lá ontem, então hoje foi muito melhor para nós. Infelizmente, a aderência não era boa no Q3, já que é difícil fazer os pneus funcionarem corretamente. É importante, entretanto, estarmos no top-10 amanhã. Temos um bom carro, então a meta é conquistar mais alguns pontos, no que parece que será uma boa corrida. Tem bandeiras venezuelanas ao longo de toda a pista e tem muito apoio aqui para mim, já que é tão perto da minha casa, então tomara que isso me dê um impulso extra amanhã.”

McLaren

Jenson Button, 12º: “Vai ser um longo dia. Não acho que é tão fácil ultrapassar aqui. Ainda acho que vai ser uma tarde cheia. Mas a curva um será um pouco complicada, começando do meio do grid. Estive lá há algumas corridas e não terminou bem para mim, então vamos ver. Tomara que possamos fazer um bom show para os fãs norte-americanos aqui.”

Mercedes

Nico Rosberg, 17º: “Usei o nosso antigo sistema de escapamento na classificação de hoje como parte do nosso programa de avaliações para o próximo ano. Já o tínhamos utilizado ontem e decidimos continuar com ele pelo resto do fim de semana para ajudar no nosso processo de aprendizado. O carro pareceu bom esta manhã nas temperaturas mais baixas, mas a diferença para o carro de Michael me surpreendeu esta tarde. Então espero que o ritmo de corrida seja melhor amanhã e a mudança valha a pena. Definitivamente, vou lutar pelos pontos.”

Rosberg foi mal e não foi além da 17ª colocação (Foto: Getty Images)

Force India

Nico Hülkenberg, sétimo: "Estou feliz por conquistar outro top-10 e foi um grande esforço de todo o time, especialmente após onde estávamos ontem a tarde. Minha volta no Q3 não foi tão ruim, mas eu fui um pouco atrapalhado por uma Williams nas últimas duas curvas, então talvez ainda tivesse um pouco mais para dar. No geral, estou feliz e confiante de que possamos ter uma corrida forte, pois o nosso ritmo para longos trechos pareceu competitivo ontem. Existem muitas dúvidas cobre a corrida de amanhã, já que não há informações anteriores para nos ajudar, mas estamos em boa forma e eu estou realmente gostando de guiar aqui nesta pista.”

Paul di Resta, 13º: "Foi um fim de semana difícil até aqui e eu estou com um pouco de dificuldade para fazer os pneus funcionarem. Tenho um estilo de pilotagem bem suave, então talvez seja por isso que eu não consigo trabalhar com eles tão bem como o Nico, que tem uma abordagem mais agressiva. A boa notícia é que a 13ª colocação é do lado limpo do grid, então isso deve me ajudar a maximizar a largada. É uma corrida longa, mas não estou bem certo do que esperar para amanhã. O carro não está bem como gostaríamos, então eu só preciso tirar o máximo dele e torcer para que possamos usar a estratégia para nos ajudar.”

Alonso crê que Ferrari poderá reduzir diferença para Vettel em Austin

Vettel prega cautela e diz que meta é assegurar Mundial de Construtores

Hamilton admite preocupação por largar do lado sujo da pista

Toro Rosso

Jean-Eric Vergne, 14º: “Acho que o time trabalhou bem até aqui neste fim de semana para produzir um carro que parece mais competitivo que do que nas últimas corridas. Bater meu companheiro de equipe não significa muito hoje, porque ele teve algumas dificuldades na primeira sessão. Talvez eu pudesse ter tirado um pouco mais do carro nesta tarde, talvez encontrado alguns décimos mais. Depois de subir na zebra e danificar a suspensão nesta manhã, obviamente perdi algum tempo de pista e, sem isso, talvez eu tivesse tido um entendimento melhor dos pneus. Entretanto, como eu disse antes, o carro parece bom, têm muitas oportunidades de ultrapassagem aqui, então o meu plano amanhã é sair a caça de mais alguns pontos.” 

Daniel Ricciardo, 18º: “Foi uma sessão difícil e frustrante para mim. Sabíamos que levaria tempo para os pneus funcionarem, especialmente já que o asfalto ainda está tão escorregadio. Na verdade, nós nunca conseguimos fazê-los funcionar adequadamente, já que fiquei preso no tráfego no início e aí vieram as bandeiras amarelas quando eu estava prestes a tentar minhas duas últimas voltas. Com isso, não tive uma volta limpa. Esta é uma das minhas piores performances em classificações na temporada, a primeira vez em que não chegou ao Q2 em sete corridas, então eu só quero deixar isso para trás e mirar um domingo melhor, o que está completamente dentro das nossas possibilidades.”

Sergio Pérez agradeceu o apoio dos mexicanos em Austin (Foto: Sauber)

Sauber

Sergio Pérez, 15º: “Nós perdemos desempenho em relação à sessão desta manhã. A temperatura da pista aumentou muito, mas os pneus não aqueceram da maneira ideal. Meu carro esteve bem ruim na classificação. Talvez nós não escolhemos o caminho certo com relação à pista”.

“Quero agradecer a todas as pessoas nas arquibancadas e, especialmente, todos os mexicanos que sacrificaram tempo e dinheiro para comprar ingressos e ir até Austin. No meu país, você sempre viaja com toda família e sei que isso não é fácil de fazer, porque é uma viagem cara. Gostaria de feito melhor hoje, mas vou fazer o máximo para dar a todas essas pessoas uma boa corrida amanhã. Com certeza vou lutar pelos pontos, mas isso pode ser um pouco difícil.”

Kamui Kobayashi, 16º: “Sem dúvida, o resultado é decepcionante para nós, porque, depois do treino livre, nós estávamos esperando um classificatório melhor. Achei o aquecimento dos pneus mais fácil esta tarde, mas não consegui encontrar o ponto ideal dos pneus. Não sei por que isso aconteceu. Isso deve ser um problema menor na corrida, mas, obviamente, nossa posição no grid vai tornar mais difícil um bom resultado.”

Webber se une a Vettel e mira tri da Red Bull no Mundial de Construtores

Schumacher diz que classificação em Austin foi melhor que esperado

Räikkönen diz que resultado do classificatório foi “muito bom”

Marussia

Timo Glock, 19º: "Outro bom dia hoje. Acho que nos concentramos nas coisas certas, apesar de ter sido um desafio depois do terceiro treino livre, já que foi difícil dar uma boa volta aqui. Na classificação, pensei que tinha uma volta forte e os pneus estavam funcionando, mas as rodas levantaram um pouco e a traseira pareceu um pouco estranha. Acho que poderíamos ter sido mais rápidos, pois os pneus estavam melhorando tanto volta após volta, mas, por conta das bandeiras amarelas, não tivemos chance de melhorar. No entanto, estamos quase 0s8 à frente das Caterham e temos de ficar muito felizes com isso. Este é o grande desenvolvimento do time e, apesar de parecer que lembramos todos o tempo todo, conseguimos tudo isso sem a vantagem do KERS e isso é um ponto significativo. Estou muito animado para a corrida e espero que possamos continuar com esse bom trabalho.”

Charles Pic, 20º: "Foi uma boa sessão de classificação e a coisa mais importante é que colocamos os nossos dois carros à frente das duas Caterham. Olhando nos detalhes, entretanto, perdi um importante tempo de pista esta manhã por conta de um incidente com o Pérez e não conseguimos ter uma boa sensação com o carro até o fim do terceiro treino livre. Certamente, tínhamos mais para dar na classificação e aí, no fim do Q1, fomos atrapalhados pelo tráfego. No geral, apesar de não ter otimizado completamente o nosso pacote, estou feliz com onde terminamos. É um resultado fantástico para o time e continuar avançando a cada corrida é muito positivo. Agora vamos focar na corrida e tirar um tempo essa noite para considerar a melhor forma de agir para nos trazer um bom resultado. Meu obrigado ao time por um trabalho tão bom.”

Caterham

Heikki Kovalainen, 22º: "Não tivemos uma boa performance hoje, é simples assim. Saímos com um plano que não funcionou e, infelizmente, Vitaly e eu não pudemos aquecer os pneus o suficiente para tirar o melhor deles e ou controlar bem o tráfego para ter uma volta limpa. Amanhã é outro dia, então agora precisamos reagrupar e ter uma performance melhor na corrida do que tivemos hoje.”

Vitaly Petrov, 21º: "A classificação, obviamente, não foi como nós gostaríamos. Tive problemas com o tráfego em todas as voltas e não consegui uma volta limpa, mas mesmo sem isso, tivemos dificuldade com os pneus aqui durante todo o fim de semana e isso aconteceu hoje. Foi um momento ruim para nós que a HRT tenha parado na pista logo quando Heikki e eu estávamos nas nossas voltas mais rápidas e ficamos atrás deles, mas você não pode planejar isso e precisamos colocar isso de lado e esperar que tenhamos um dia melhor amanhã.”

HRT

Pedro de la Rosa, 23º: “Não foi fácil e ainda não está perfeito, mas sabia que seria muito melhor do que ontem. Esta manhã, na minha volta, já sentia os pneus melhores. Finalmente, na classificação, conseguimos colocar os pneus na temperatura ideal. A temperatura do asfalto subiu e melhorou o equilíbrio do carro, mas o nível de aderência ainda é muito baixo. Me senti bem e espero que seja assim amanhã ma corrida, mas, nesta pista, estamos longe dos nossos concorrentes diretos. Em qualquer caso, vamos fazer o nosso melhor amanhã e lutar até o final.”

Narain Karthikeyan, 24º: “Foi um grande desafio pilotar nesta manhã, porque estava difícil deixar os pneus na temperatura certa. Mas as coisas melhoraram muito à tarde com uma pista muito mais quente. Os pneus e o carro tiveram um desempenho muito melhor e fizemos algumas boas voltas. Acho que poderia ter melhorado nas últimas voltas, mas o carro parou de repente. Tivemos um problema com o combustível. Vamos olhar isso, mas não espero que seja um problema para amanhã.”

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube