Confira declarações dos pilotos após sábado de classificação para GP do Canadá, 7ª etapa do Mundial 2016 de F1

Por algum momento até os primeiros segundos do treino de classificação no Canadá, neste sábado (11), Ferrari e Red Bull acreditaram que poderiam desafiar a Mercedes pela pole-position. Não aconteceu, e, pela primeira vez depois da confusão na Espanha, Lewis Hamilton e Nico Rosberg largam lado a lado na primeira fila

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

As dúvidas sobre se Ferrari ou Red Bull conseguiriam desafiar de fato a Mercedes pela pole-position no treino de classificação para o GP do Canadá, neste sábado (11), duraram apenas até o começo da sessão. Lewis Hamilton e Nico Rosberg logo mostraram quem manda e dispararam.

 
No final das contas, Hamilton conseguiu uma estilingada e deixar Rosberg para trás. Na última vez que Lewis largou na pole, no GP da Espanha, ele e Nico bateram logo na primeira volta, então resta ao menos uma curiosidade para a largada da corrida do domingo.
 
Sebastian Vettel voou e ficou com o terceiro posto. Andou forte, inclusive, ficou feliz e chegou a baixar da casa de 1min13s. Daniel Ricciardo e Max Verstappen seguiram com Kimi Räikkönen fechando um top-6 de domínio completo do trio Mercedes-Ferrari-Red Bull. As duas Williams, Valtteri Bottas e Felipe Massa, vieram na sequência. Nico Hülkenberg e Fernando Alonso encerraram.
Hamilton, o pole (Foto: Getty Images)
Sergio Pérez veio na 11ª posição, com Jenson Button atrás. Daniil Kvyat fez o 13º tempo, mas, punido pelo acidente com Kevin Magnussen em Mônaco, larga em 15º – Esteban Gutiérrez, Romain Grosjean e Jolyon Palmer ficam na frente. O companheiro Carlos Sainz Jr, que visitou o Muro dos Campeões no começo do Q2, havia ganho a 15ª posição, mas ele resolveu trocar o câmbio e caiu cinco postos.
 
Pascal Wehrlein, Felipe Nasr e Rio Haryanto seguiram, com Marcus Ericsson saindo em 21º por também perder três posições fruto da batida com o companheiro de Sauber em Monte Carlo – Sainz fica entre os dois blocos, em 20º. Magnussen nem treinou por causa da pancada que deu no final do terceiro treino livre e sai do pit-lane, além de Sainz.

Confira as declarações: 

RED BULL
 
Max Verstappen, quinto: "Definitivamente é uma classificação muito melhor para mim hoje. O top-5 é onde queríamos estar. Eu tinha esperado ficar mais perto da Mercedes, mas é o que é. Eles ligaram a potência na classificação e foram muito rápidos na classificação, parecem estar fortes, então queremos nos aproximar um pouco amanhã. Minha última ida à pista no Q3 não foi bom – você quer melhorar no final -, mas também não foi horrível. Nosso ritmo de corrida está parecendo bom, e aí é que você marca pontos. Também, como o clima, você nunca sabe".
 
FERRARI
 
Kimi Räikkönen, sexto: "Desde ontem à noite nós fizemos um bom trabalho e melhoramos muito o comportamento do carro, mas hoje não foi fácil colocar o carro onde queríamos. Foi uma classificação agitada por causa das condições climáticas, e eu não gostei da pilotagem. Tive problemas aqui e ali, tive problemas na curva dez todas as vezes para fazer a frente rodar e não consegui juntar uma volta boa. Não tem sido um fim de semana fácil. Se você termina em sexto, ainda há trabalho a ser feito, mas estou certo de que para amanhã".
 
WILLIAMS
 
Valtteri Bottas, sétimo: "Acho que mandamos bem hoje. As condições nubladas tornaram tudo mais complicado para fazer os pneus funcionarem. Para mim, o maior problema foram os pneus da frente e fazê-los esquentar. Esse foi o maior problema, mas, de resto, o carro estava bom. Claro que foi tudo muito próximo hoje, então é melhor que nas últimas corridas, mas é amanhã que conta e o clima pode afetar as coisas. Amanhã foi o dia que precisamos para tirar o máximo".
 
FORCE INDIA
 
Nico Hülkenberg, nono: "Estou feliz com nosso desempenho hoje. Você sempre quer estar mais acima, mas acho que tiramos proveito das oportunidades e nono é um bom lugar, que deve nos garantir alguns pontos amanhã. As margens eram muito pequenas, por isso era importante fazer voltas sem erros, porque até mesmo poucos décimos poderia custar de quatro a cinco posições no grid. A chuva durante o Q1 não afetou muito os níveis de aderência. Se a chuva voltar amanhã, vai definitivamente tornar as coisas interessantes, especialmente se for chuva forte, porque a aquaplanagem pode ser um problema aqui. Se permanecer seco, vou ter de começar com os pneus ultramacios, como todo mundo entre os dez primeiros, e tentar usar uma boa estratégia para avançar."
 
Sergio Pérez, 11º: "Eu sabia que chegando Q3 ia ser difícil, porque tivemos de usar mais pneus do que desejávamos no Q1. Isso significa que eu só tinha um conjunto de ultramacios disponível no Q2. Em todo caso, fiz tudo o que podia e o resultado final foi P11, que não é um lugar ruim para começar a corrida. Em Montreal, pode acontecer o inesperado, especialmente com o clima incerto, por isso há jogo amanhã. Temos boas condições de corrida com ritmo sólido para lutar por alguns pontos."
Fernando Alonso (Foto: McLaren)
MCLAREN
 
Fernando Alonso, décimo: "Foi uma agradável surpresa hoje. Estou feliz com essa sessão, pode ser um circuito complicado nestas condições mistas, e amanhã vai ser mais difícil para nós, não há previsão de chuva para amanhã, e talvez um pouco de chuva nos ajudaria. Estou muito feliz, fizemos um trabalho incrível com o carro nos últimos 12 meses e estamos agora em uma posição talvez melhor do que tínhamos imaginado. Então, tenho que dizer obrigado a todos na equipe: estávamos a apenas 0s4 da Ferrari no Q2, e isso deve impulsionar a motivação de todos nas fábricas da McLaren e Honda. Estamos prontos para atacar: não estamos lutando pelo campeonato, por isso não temos nada a perder. Definitivamente, vai ser o máximo de ataque amanhã".
 
Jenson Button, 12º: "Estamos à beira do top-10 agora, é onde estávamos nas últimas corridas. Ainda assim, este é um circuito em que não tínhamos previsto estar tão competitivo como estávamos em Mônaco, então há pontos positivos para levar. Se a pista estiver seca amanhã, vou largar de pneus novos e tentar fazer o melhor possível para marcar alguns pontos. Se estiver molhado, nós vamos ter que ver o que acontece; o tempo pode realmente misturar as coisas".
 
HAAS
 
Esteban Gutiérrez, 13º: “Foi uma sessão complicada para nós em razão das mudanças de condição da pista. Tivemos um pouquinho de chuva durante a sessão e tivemos de nos adaptar a isso. Achei interessante tentar tirar o máximo do carro. Não foi fácil neste fim de semana manter o foco, já que não tenho me sentido muito bem, mas estou feliz com o que conseguimos hoje. Vou descansar um pouco em e recuperar para que eu possa ter uma boa corrida amanhã”.
 
Romain Grosjean, 14º: “O equilíbrio do carro não foi tão ruim, mas nós simplesmente não conseguimos aderência alguma dos pneus. Nós não conseguimos fazê-los funcionar da forma adequada. Por alguma razão, tivemos isso desde o começo do ano, mas não conseguimos administrar isso para trazê-los para a janela [de funcionamento dos pneus]. Isso significou que nós não pudemos guiar o carro da maneira que gostaríamos. Ontem, nosso ritmo nos long-runs foi muito bom, então espero que a corrida amanhã seja melhor”.
 
RENAULT
 
Jolyon Palmer, 15º: “Estou feliz com a volta que eu fiz e muito mais com o carro hoje. Foi uma pena que a pista foi ficando escorregadia, já que eu tinha deixado mais de uma volta de combustível no carro. Fiquei muito perto [de passar para o Q2]: 0s015 não é absolutamente nada. O bom é que o carro está melhorando, e meu acerto foi o oposto em relação a ontem. Não há ‘zebras’ passando por aqui, então estou muito ansioso para ver o que vai ser possível fazer na corrida”.
 
Kevin Magnussen, 22º: “O que eu posso dizer? Obviamente, gostaria de estar guiando ao invés de estar vendo a classificação. As condições úmidas da pista me afetaram pela manhã, e os muros por aqui são bem implacáveis. Sinto muito pelos meus mecânicos, já que eles vão ter muito trabalho pela frente. Vou fazer tudo o que puder para fazer as pazes na corrida amanhã”.
TORO ROSSO
 
Daniil Kvyat, 16º: “Não acho que foi uma classificação ruim, mas é uma pena que não tenhamos encontrado os décimos extras que nos colocariam no Q3. Essa é a única parte frustrante, se conseguíssemos fazer nossos pneus funcionarem melhor acho que chegaríamos lá. Pelo menos foi uma classificação limpa para mim, algo que precisava. Até essa sessão eu ainda não me sentia confortável no carro. Amanhã largaremos ainda mais atrás por conta da punição por Mônaco, mas tudo pode acontecer na corrida”.
 
Carlos Sainz Jr, 20º: “É uma pena. Estava sendo um bom fim de semana até o Q2, quando errei e bati no muro dos campeões. Foi um erro pequeno, mas todos sabemos que no Canadá um erro pequeno pode acabar com tudo. Já tinha tocado de leve antes, mas na classificação de hoje bati de um jeito diferente, um pouco mais forte. Felizmente, estamos fortes para pontuar amanhã, então vamos lutar por mais um top-10. Mesmo largando em 20º”.
Romain Grosjean durante a classificação em Montreal, no Canadá, neste sábado (Foto: Andy Hone/LAT Photographicref/Haas)
MANOR
 
Pascal Wehrlein, 17º: “Estou muito feliz com minha classificação. Chegamos muito perto do Q2 e estamos na frente da Sauber, que é nossa principal concorrente nesse momento. Sabíamos que dava para ser competitivo contra eles aqui, por causa das retas e da importância da potência. Mas também é necessário ter bons freios e boa tração, e parece que temos isso tudo. No primeiro set de pneus a pista estava boa, mas então começou a chover e a pista ficou mais escorregadia, não conseguimos melhorar. Diria que superamos nossas expectativas hoje, então espero fazer o mesmo amanhã”.
 
Rio Haryanto, 19º: “Hoje foi um dia desapontador. O ritmo não estava bom e havia gotas de chuva na pista quando coloquei o segundo set de pneus. Então perdi o controle na curva 4 e bati no muro externo. Estou de olho no Pascal, conseguimos ver que o carro é competitivo e que o ritmo existe. Mas não tive a chance de mostrar isso. Parece que vai chover amanhã, vou dar meu melhor na corrida”.
 
SAUBER
 
Marcus Ericsson, 21º: "Foi uma classificação dura. Minha primeira saída foi OK. Para a segunda, saímos mais tarde que os outros times. Quando eu estava na pista, a chuva começou a cair um pouco mais perto do fim da volta, então ficou mais escorregadio. Não foi o treino mais fácil. Com relação a amanhã, acho que as condições climáticas instáveis podem embolar a corrida. Como começamos do fim do grid, isso pode nos dar chances".

Que tal participar do Fantasy F1 e concorrer a prêmios? Inscreva-se no 'Fantasy F1 Grand Prix du Canada (RtAD) 2016'.

Funciona assim: forme uma equipe com um orçamento de 115 milhões de euros. Seus pilotos marcarão pontos com base nos resultados das corridas (pontos de corrida) e na diferença entre a posição final e a posição da qualificação (pontos de bônus).

Ficou interessado? Vem e entre nesta com a gente.

 
PADDOCK GP #32 DEBATE MotoGP, F1, INDY E STOCK CAR

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube