Confira declarações dos pilotos após sessão que definiu grid de largada do GP da Malásia de F1

Em uma forte chuva, Lewis Hamilton cravou 1min59s431 e garantiu a pole-position para o GP da Malásia. Sebastian Vettel conseguiu superar os problemas da Red Bull e aparece em segundo, à frente de Nico Rosberg

A cobertura completa do GP da Malásia no GRANDE PRÊMIO
As imagens do sábado da F1 na Malásia
icone_TV Automobilismo na TV: a programação do fim de semana

Lewis Hamilton conquistou a pole-position para o GP da Malásia de F1. Neste sábado (29), o piloto britânico driblou a chuva para cravar 1min59s431 e colocar a Mercedes na posição de honra do grid de Sepang.
 
Exibindo uma clara reação da Red Bull, Sebastian Vettel foi 0s055 mais lento que o britânico e ficou com o segundo posto. Já com o cronômetro zerado, Nico Rosberg anotou 2min00s050 e tirou de Fernando Alonso o terceiro lugar.
Lewis Hamilton enfrenta chuva e trovoadas em Sepang (Foto: Getty Images)
Daniel Ricciardo aparece em quinto, à frente de Kimi Räikkönen e Nico Hülkenberg. Kevin Magnussen fecha a quarta fila, seguido por Jean-Éric Vergne e Jenson Button.
 
Daniil Kvyat sai em 11º, à frente de Esteban Gutiérrez. Sem conseguir tirar um bom rendimento da Williams na chuva, Felipe Massa não passou para o Q3 e começa a prova em Sepang no 13º lugar.
 
Sergio Pérez aparece na sequência, à frente de Valtteri Bottas, Romain Grosjean, Pastor Maldonado, Adrian Sutil, Jules Bianchi, Kamui Kobayashi e Max Chilton. Marcus Ericsson ficou com a última posição do grid.
 
Confira as declarações dos pilotos:
 
Force India
 
Nico Hülkenberg, sétimo: “Hoje foi bastante desafiador com as condições climáticas. Tinha muita chuva, água parada e spray. A visibilidade foi um problema e era difícil ver os pontos de freada. É difícil pilotar nessas condições com esses motores com muito torque e você precisa ser realmente suave com o acelerador na saída das curvas lentas, mas eu gostei do desafio. Estamos na sétima colocação e dentro do top-10 pela segunda vez seguida, o que é um resultado com o qual podemos ficar satisfeitos. Acho que mostramos ao longo de todo o fim de semana que temos velocidade para estar no top-10 no seco e no molhado, e espero marcar bons pontos amanhã”.
 
Sergio Pérez, 14º: “As condições estavam muito difíceis e mudavam a cada volta, especialmente durante o Q2. Tive um feeling melhor com os pneus intermediários e quando mudei para os pneus de pista molhada, tive dificuldade para manter a temperatura, o que dificultou para fazer uma boa volta. Amanhã nós vamos precisar nos recuperar na 14ª colocação, mas temos que ver o que o clima vai fazer. Também preciso resolver o problema da traseira travando, que está me afetando durante a frenagem com o piso molhado. Ainda estou confiante de que poderemos ter uma boa corrida amanhã e vamos continuar lutando para somar o máximo de pontos possível”.
Nico Hülkenberg também destacou a dificuldade resultante da chuva (Foto: Force India)
McLaren
 
Kevin Magnussen, oitavo: “O carro não estava tão ruim na chuva. Nós fizemos algumas escolhas erradas, isto comprometeu um pouco. Ainda estou aprendendo a lidar com os pneus intermediários e de chuva extrema. Oitavo não é tão ruim, mas também não é muito bom. Foi uma pena ter escapado no final do Q2. Não sei quanto de performance perdemos, mas acho que dava pra ter ido um pouco melhor no Q3. Eu acho que poderemos fazer um trabalho melhor amanhã”.
 
Jenson Button, décimo: “A decisão de usar intermediários no Q3 foi minha. Geralmente eu chamo esta responsabilidade. E hoje errei. Quando você está muito veloz com os pneus de chuva, não compensa tentar usar intermediários. Porém, eu estava no final do top-10, quis tentar, ver o que poderia acontecer. Ninguém sabe o que vai acontecer amanhã, mas todos entendem uma coisa: se chover, a pista vai ficar bastante traiçoeira”.
 
Toro Rosso
 
Jean-Éric Vergne, nono: “Estou feliz por ter terminado em nono e dentro do top-10 pela segunda corrida seguida. Mas foi uma classificação difícil e o carro não estava fácil de guiar. Nós nunca fomos realmente rápidos, mas no Q2 eu consegui fazer uma volta muito boa que me levou ao Q3. Agora temos que olhar para todos os dados para entender a razão de termos sido lentos no molhado. Estou realmente confiante de que o time e eu poderemos fazer um bom trabalho amanhã e eu espero que possamos terminar na zona de pontuação assim como fizemos em Melbourne. Nós, definitivamente, temos um carro para fazer isso”.
 
Daniil Kvyat, 11º: “Foi uma pena ter sido tirado do Q3 logo no fim pelo meu companheiro de equipe, mas Jev foi mais rápido que eu hoje e eu fui muito conservador na minha última volta. Em relação ao incidente com Alonso, a visibilidade estava muito ruim para todos e acho que ele não me viu e, no fim, veio para cima de mim. Acho que foi normal ele não ter me visto, pois tinha muito spray. Agora vamos ver o que acontece amanhã, já que realmente depende das condições. O Q3 era possível hoje, mas, mesmo assim, a 11ª posição é um bom ponto de partida”.
Toque entre Kvyat e Alonso provocou bandeira vermelha no Q2 (Foto: Reprodução)
Sauber
 
Esteban Gutiérrez, 12º: “Foi uma boa classificação. De manhã nós estávamos realmente ocupados e tentamos resolver tudo. Todos fizeram um ótimo trabalho, e nós conseguimos superar alguns problemas para ter um carro confiável. Realmente quero agradecer ao meu time e também a Ferrari, já que eles têm trabalhado duro para melhorar o motor. As condições da pista eram bem difíceis. Entretanto, conseguimos melhorar o carro durante a classificação, tentando adaptar o equilíbrio aerodinâmico e também a pressão dos pneus. Foi um bom dia. A 12ª colocação é uma ótima posição de partida, considerando nossa posição geral. Amanhã vamos fazer o nosso melhor”.
 
Adrian Sutil, 18º: “Nossa estratégia foi entrar na pista um pouco mais tarde, já que a pista normalmente tem sua melhor condição neste estágio. Entretanto, começou a chover mais outra vez. Nós teríamos melhorado, mas por conta da bandeira vermelha, não tínhamos mais tempo. O carro estava muito difícil de guiar nessas condições, já que os pneus nunca tiveram aderência suficiente. Temos muito trabalho pela frente. No momento, é difícil fazer uma boa volta. Nós precisamos melhorar passo a passo e ser pacientes”.
 
Williams
 
Valtteri Bottas, 15º: “Hoje foi uma classificação difícil para nós e foi muito reminiscente da nossa classificação em Melbourne. Quanto mais água tinha na pista, mas dificuldades tínhamos com a aderência na traseira do carro. Nós tentamos os intermediários e os pneus de pista molhada, mas simplesmente não conseguíamos a aderência que precisávamos com nenhum dos dois. A pista molhada ressalta onde estão as nossas fraquezas, então nós temos uma direção clara de onde precisamos melhorar o carro. Ainda acho que temos uma chance de brigar pelos pontos se tivermos uma corrida em pista seca”.
 
Lotus
 
Romain Grosjean, 16º: “Foi, definitivamente, uma boa surpresa chegar ao Q2 hoje e eu acho que tínhamos potencial para chegar ao Q3 se não fosse uma falha de comunicação perto do fim da sessão, quando entramos para colocar novos pneus. No momento, nós só estamos tentando extrair o melhor de tudo que temos e reunir tudo. Está claro que teve um bom progresso. Hoje nós fizemos boas melhorias e não tivemos muitos problemas, então só precisamos um pouco mais disso! O carro estava na pista quando nós queríamos que estivesse e nós conseguimos testar umas coisas diferentes – algumas funcionaram e outras não – e foi um bom Q1. O Q2 poderia ter sido melhor, mas, no geral, esperamos que tudo corra bem amanhã e vamos partir daí”.
Romain Grosjean sai em 16º neste domingo (Foto: Getty Images)
Pastor Maldonado, 17º: “Eu estava em volta rápida quando a bandeira vermelha apareceu e, com certeza, teria melhorado minha posição se eu tivesse conseguido terminar a minha volta. Ao mesmo tempo, acho que demoramos um pouco para colocar pneus novos, então precisamos olhar isso. Nessas condições é um pouco loteria e, desta vez, eu tive azar. A coisa importante e positiva é que o carro está rodando até que bem e hoje nós não tivemos problemas, o que é muito bom. Nós estamos muito felizes e esperançosos de que seja um grande passo à frente e possamos começar a desenvolver nossa performance a partir daqui”.
 
Marussia
 
Jules Bianchi, 19º: “Acho que foi uma boa sessão classificatória e uma onde não tivemos nenhum problema com a gestão do ERS, então isso é positivo. Agora temos que trabalhar nas dificuldades que tivemos com os pneus de pista molhada. Agora nós vamos continuar trabalhando para a corrida de amanhã, já que acho que podemos conseguir um bom resultado se as circunstâncias forem como esperamos e fizemos o melhor em tudo”.
 
Max Chilton, 21º: “A sessão de classificação foi um pouco frustrante depois de termos estado no ritmo durante todo o fim de semana. Nessas condições, você tem uma chance de reunir tudo ao mesmo tempo e a única vez que consegui uma volta limpa, foi quando não tinha nenhum ERS. Também encontrei tráfego na minha volta rápida, então foi uma sessão completamente bagunçada, o que é uma pena, já que me senti confiante com o carro. Nós ainda não sabemos o que o amanhã vai trazer, mas estou preparado para cada eventualidade climática, e acho que temos um carro para tirar vantagem de qualquer oportunidade”.
 
Caterham
 
Kamui Kobayashi, 20º: “Com mais problemas no carro, eu só pude completar sete voltas no terceiro treino livre. Mesmo com esse tempo limitado, nós conseguimos progredir um pouco e, com as informações geradas pelo carro do meu companheiro de equipe, acertamos o carro para a classificação, mas, obviamente, não é assim que vamos descobrir do que o carro é realmente capaz”.
 
“Na classificação, nós saímos com um conjunto de intermediários e não importa o quanto eu forçasse, eu não consegui tirar mais nada do carro, especialmente porque não consegui fazer eles trabalharem como deveriam. Levando em conta o número reduzido de voltas que fizemos em todo fim de semana e os problemas que tivemos na manhã de sábado, até mesmo o fato de estarmos rodando na classificação é resultado do trabalho duro da equipe, então ter saído e completado voltas depois de todos os problemas que tivemos é uma pequena recompensa. Agora focamos em amanhã e esperamos poder completar a corrida. Se chover como hoje, qualquer coisa pode acontecer – só quero a chance de correr decentemente!”
 
Marcus Ericsson, 22º: “A chuva começou antes da classificação e eu fui para a sessão atrasada sabendo que nós começaríamos com a pista molhada. Essa foi a minha primeira vez no molhado na F1, em qualquer sessão, então, desde a primeira volta, era tudo uma nova experiência para mim. Não começou muito bem com o carro apagando enquanto eu estava esperando no pit-lane, mas nós religamos na garagem e eu voltei bem no meio de um pelotão que estava em sua primeira sequência de voltas rápidas no Q1 – devo dizer que isso foi bem interessante”.
 
“Eu estava aprendendo mais e mais a cada volta e fizemos uma rápida parada faltando alguns minutos para o fim para colocar outro conjunto de intermediários, mas aí, na última volta rápida, cometi um erro no primeiro setor e bati. Sinto muito pelo time. Eles trabalharam tão duro no fim de semana nos problemas que tivemos e agora eles têm mais um monte de trabalho para preparar o carro para amanhã, mas sei que eles vão continuar empenhados e vamos voltar lutando amanhã. Essa foi outra grande lição para mim – minha primeira vez no molhado na F1, meu primeiro Q1 com pneus intermediários e minha primeira grande escapada – isso tudo faz arte de ser um novato na F1 e eu vou aprender com cada uma das coisas que acontecem.”

'TOP GEAR BARBADOS' com LEWIS HAMILTON e o GRANDE PRÊMIO

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube