Confira declarações dos pilotos após treino classificatório do GP do Japão, 14ª etapa do Mundial de F1

Nico Rosberg brilhou em Suzuka e faturou sua segunda pole-position da temporada 2015. Alguns pilotos, no entanto, não aprovaram como um todo suas respectivas performances na tarde deste sábado (26). Caso, por exemplo, de Kimi Räikkönen. Jenson Button, por sua vez, queixou-se de uma falha de comunicação da McLaren que acabou por comprometer seu desempenho no treino classificatório do GP do Japão

Depois de um fim de semana colorido de vermelho pela Ferrari no GP de Cingapura, a F1 voltou à sua realidade prateada neste sábado (26) em Suzuka. O domínio da Mercedes no asfalto seco do circuito japonês foi evidente, sempre com Nico Rosberg à frente de Lewis Hamilton. No treino classificatório realizado à tarde na pista de propriedade da Honda, Rosberg faturou sua segunda pole na temporada, tirando de Lewis a chance de largar na frente pela 50ª vez na F1.

O dia também foi de um grande susto protagonizado por Daniil Kvyat, que bateu forte e capotou seu carro no fim do Q3. O jovem piloto russo da Red Bull admitiu que jamais antes havia capotado um carro de corrida, mas até brincou: “Tudo tem sua primeira vez”. Kvyat passa bem, mas lamentou pelo trabalho que os mecânicos da sua equipe terão para montar praticamente um novo carro durante a noite em Suzuka.

O forte acidente de Daniil Kvyat em Suzuka (Foto: Reprodução/TV)

Kimi Räikkönen vai largar em sexto. O finlandês não se mostrou lá muito satisfeito com a posição de largada no GP do Japão. Outro que evidenciou sua insatisfação, mas com sua própria equipe, foi Jenson Button. O britânico bradou com a McLaren devido a uma falha de comunicação que o impediu de abrir a classificação com uma melhor configuração do seu motor.

Na esteira dos cinco primeiros colocados do grid, Rosberg, Hamilton, Valtteri Bottas, Sebastian Vettel e Felipe Massa, além de Felipe Nasr, confira as declarações do restante do grid do GP do Japão de F1.

FERRARI

Kimi Räikkönen, sexto: “O resultado desta classificação foi um pouco decepcionante, já que tivemos uma boa velocidade de todas as maneiras e o comportamento do carro era muito bom. As primeiras duas voltas da classificação foram muito boas, mas minha primeira volta no Q3 foi complicada, os pneus não tiveram a melhor aderência. É um pouco decepcionante não ter conseguido fazer minha segunda volta. Tenho certeza que teríamos melhorado, mas a bandeira vermelha interrompeu a sessão. Para a corrida amanhã, é um pouco incerto já que ninguém teve tempo para rodar no seco e fazer long-runs, mas acho que podemos ir bem. Espero que possamos fazer tudo certo para que possamos acumular alguns pontos. Será uma longa corrida largando atrás de outros carros, mas vamos tentar fazer uma boa largada e, então, seguir a partir daí.”

Kimi Räikkönen durante a classificação deste sábado em Suzuka, no Japão (Foto: AP)

RED BULL

Daniel Ricciardo, sétimo: “Antes de tudo, o mais importante é que Dany está bem. Estava a ver o replay: só vi o carro enquanto eu passava, mas a equipe me falou via rádio para me tranquilizar e dizer que ele estava bem. A sessão de hoje, no geral, foi razoavelmente boa. Não acho que o sétimo lugar mostra o quão feliz eu fiquei com o carro porque tinha condições de estar em um top-5, mas ainda estamos em uma boa posição para amanhã. Nós ainda estamos em um bom lugar em termos de desgaste de pneus, por isso vamos ver o que acontece. A estratégia está aberta para a corrida, é possível fazer somente uma parada, mas o mais provável é que duas seja a tendência.”

Daniil Kvyat, décimo: “Eu jamais havia capotado um carro de corrida antes, e sempre se diz que há a primeira vez para tudo. Estou mais decepcionado do que propriamente com dor. Coloquei as duas rodas na grama e não havia como evitar isso, de modo que isso me colocou direto no muro. Estava acelerando forte após um terceiro treino confuso, e essa é a consequência de ir além do limite. O carro parece bem danificado, e sinto muito pelos caras que já tiveram um monte de semanas difíceis e agora eles terão ainda mais trabalho a fazer. Onde eu terminaria? Sei lá, mas deveria ter sido algo melhor que o décimo lugar porque o carro estava bom nos setores mais rápidos, mesmo nos faltando velocidade final. Amanhã, vamos tentar nosso melhor, como de costume.”

LOTUS

Romain Grosjean, oitavo: “Não esperava estar no Q3, a gente achou que estava 0s5 atrás, de modo que foi um grande trabalho da parte de todos. De fato, tive uma boa volta para o Q3. Não consegui fazer minha segunda volta, mas o principal é que Daniil está bem e fora do carro. Para a corrida, certamente vamos almejar manter a posição de largada e marcar alguns pontos.”

Pastor Maldonado lamentou por ter ficado de fora do Q3 (Foto: AP)

Pastor Maldonado, 12º: “Esperava estar no Q3 e, embora estivéssemos bem perto, não conseguimos. Nós ainda estamos trabalhando para tirar o melhor dos pneus médios com base no que vimos nesta manhã e melhoramos um pouco para esta tarde, mas ainda não é o bastante. Espero que a estratégia, combinada com o fato de termos poupado pneus novos para amanhã, possa funcionar e que possamos recuperar algumas posições para a corrida.”

FORCE INDIA

Sergio Pérez, nono: “Largando do nono lugar não é ruim considerando que vamos poder fazer uma boa corrida partindo daí. É uma pena que não pude completar minha volta no Q3, mas o principal é que Daniil está bem. Poderia ter sido melhor se tivesse chance para marcar um tempo melhor, já que poderia estar à frente de Romain [Grosjean], mas espero que possa ultrapassá-lo na largada amanhã porque acho que a Lotus vai lutar conosco. Será uma corrida difícil porque temos alguns carros rápidos à nossa frente, mas você nunca sabe o que pode acontecer aqui, e nós ainda precisamos ver o que vai acontecer com o clima. A gestão dos pneus é sempre importante nesta corrida, e com a chuva na sexta-feira, ainda há algumas questões a serem respondidas.”

Nico Hülkenberg, 14º: “Claro que é decepcionante ficar de fora do Q3, mas foi por uma margem mínima, mas não posso reclamar muito sobre o nosso desempenho hoje. Acho que a minha volta de classificação foi muito boa e senti que estava acelerando o carro ao limite. Infelizmente isso foi o bastante, mas sei que demos nosso melhor. É difícil saber o que podemos esperar na corrida amanhã: a batalha no pelotão intermediário é muito apertada, e todos à minha volta vão tornar muito difícil minha volta aos pontos. Tinha esperança de me classificar um pouco mais à frente para compensar mina punição, principalmente porque aqui não é um lugar dos mais fáceis para ultrapassar. Mas vai ser interessante ver como a falta de quilometragem ontem vai afetar os outros: conseguimos fazer um bom trabalho com nosso acerto nesta manhã, mas há uma série de pontos de interrogação sobre o ritmo em long-runs.”

TORO ROSSO

Carlos Sainz Jr. 11º: “É decepcionante ficar de fora no Q2, definitivamente era um dia para ficar facilmente entre os dez primeiros. Infelizmente, durante minha segunda volta no Q2, nós sofremos com alguma vibração dos pneus dianteiros, o que significou que não pude melhorar meu tempo e fiquei de fora do Q3. Tem sido difícil me adaptar a essa pista no seco. Tive apenas 20 voltas para aprender o circuito hoje, e construí essa base até o Q2, quando finalmente me senti confiável e sabia exatamente quais as tangências a seguir. Estava pronto para avançar ao Q3, e foi uma pena que, no fim das contas, não consegui. Estava começando a me divertir. Para amanhã, nosso objetivo é terminar novamente nos pontos. Tenho um jogo de pneus novos médios para amanhã, então acho que isso pode nos ajudar um pouco, e eu também tenho um bom carro, então estou convencido de que amanhã podemos ter uma grande corrida.”

Max Verstappen, 18º: “Certamente não foi o melhor dos dias! Tive uma súbita perda de potência, toda a parte elétrica apagou no hairpin, e a partir de lá não pude fazer nada. É muito frustrante porque o carro estava indo muito bem, mas no fim das contas, é isso. Estamos um pé atrás novamente antes da corrida, mas nós nunca vamos desistir. Espero que amanhã possamos ter um pouco mais de sorte e desfrutar de uma grande corrida, seria bom se pintasse alguma chuva para apimentar as coisas. Nosso objetivo é terminar entre os dez primeiros. Temos de fazer novamente algumas ultrapassagens, mas estou pronto para isso.”

Nem mesmo a melhor volta da vida em Suzuka foi capaz de tirar Alonso da zona intermediária do grid (Foto: AP)

McLAREN

Fernando Alonso, 13º: “Essa provavelmente foi a minha melhor volta de toda a carreira em Suzuka. Poderia ter colocado mais 100 jogos de pneus no carro e provavelmente não teria melhorado meu tempo no Q2. É frustrante terminar em 14 º [Alonso foi beneficiado pela punição imposta a Nico Hülkenberg], mas esta é a situação de momento. E isso faz com que ninguém na equipe relaxe. Estamos trabalhando duro, mas não há mágica. A corrida amanhã será complicada, estamos mais rápidos que os carros que estão atrás, como Verstappen, mas vamos fazer nosso melhor para tentar somar alguns pontos. Para todos os fãs que estão nos apoiando, seria bom que nossos dois carros terminassem a prova amanhã.”

Jenson Button, 15º: “A bandeira amarela no setor do meio no Q1 significou minha eliminação. Sem ela, provavelmente poderia ter avançado ao Q2. Entretanto, não me foi dito em que modo de motor colocaria no carro. Toda vez, antes de começar uma volta cronometrada, somos instruídos pelo rádio a adotar uma configuração distinta, mas ninguém me falou nada e usei uma configuração errada. O carro não parecia tão ruim para guiar, mas precisávamos tirar tudo dele hoje, e não o fizemos. Você não pode cometer um erro sequer aqui, mesmo um pequeno ajuste na asa dianteira faz toda a diferença. A corrida será difícil para todos amanhã. Porém, como de costume, vamos tentar fazer nosso melhor.”

SAUBER

Marcus Ericsson, 16º: “Foi uma sessão bem bagunçada. Eu fiquei um pouco comprometido pelo erro que cometi na minha primeira tentativa. Forcei demais os pneus traseiros para a beira da pista e perdi o carro na entrada da curva 13. Depois eu vinha em uma boa volta na minha segunda tentativa, acho que teria passado para o Q2 sem as bandeiras amarelas. É uma pena, pois era possível mais hoje. Amanhã vamos precisar brigar para nos recuperar.”

MANOR MARUSSIA

Will Stevens, 19º: “No geral, estou bem feliz com a classificação de hoje, pois tivemos pouco tempo de pista aqui. Foi importante conseguir uma volta logo, então eu não fui prejudicado pela primeira bandeira amarela, a do Ericsson. Eu estava melhorando na minha segunda volta, mas então vieram bandeiras amarelas e tive que tirar o pé. Nossos long-runs pareceram bons nesta manhã, então estou ansioso por amanhã.”

Alexander Rossi, 20º: “Ter bandeiras amarelas durante ambas as minhas voltas foi muito azar. Nunca tinha tido uma situação assim antes, então fiquei bem chocado por andar acima do limite de 107%. Não houve muito tempo para andar com a pista seca até agora, mas estou gostando da pista e sei que tem mais por vir.”

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube