Confira declarações dos pilotos após treinos livres do GP da Índia, disputado em Buddh

As reações na Sauber foram distintas após o primeiro dia de atividades. Enquanto Sergio Pérez e Kamui Kobayashi lamentaram a falta de aderência, Esteban Gutiérrez pôde comemorar a estreia em um treino oficial

O primeiro dia de treinos da F1 na Índia, nesta sexta-feira (26), teve domínio de Sebastian Vettel. Depois de vencer as últimas três corridas consecutivas, o alemão abriu caminho para o quarto triunfo ao dominar os dois treinos, com uma vantagem de 0s118 para Mark Webber, o segundo colocado.

Mais atrás, Bruno Senna colocou o carro da Williams na décima colocação, enquanto Felipe Massa terminou em 15º após danificar o equipamento em uma rodada.

Entre os demais pilotos, as reações foram bastante distintas. Nico Hülkenberg, que terminou em oitavo, rasgou elogios ao traçado e se mostrou bastante satisfeito com o desempenho da Force India, enquanto a dupla da Sauber reclamou da aderência da pista e da dificuldade de encontrar um bom acerto para o carro.

No entanto, nem tudo foram lamentações na equipe suíça. Quem pôde comemorar foi Esteban Gutiérrez, que recebeu a oportunidade de participar do primeiro treino oficial da carreira ao substituir o compatriota Sergio Pérez pela manhã. O mexicano mais novo, é claro, celebrou muito a oportunidade.

Hülkenberg chegou a andar em segundo no belíssimo circuito de Buddh, mas fechou em oitavo (Foto: Force India)

Force India

Nico Hülkenberg, oitavo: “Essa é a minha primeira experiência no circuito de Buddh, e eu preciso dizer que eles fizeram um bom trabalho. Há muita fluidez na volta, e o segundo setor é muito técnico e desafiador. O programa para mim, hoje, deu bastante certo porque pudemos administrar tudo o que queríamos. Eu completei uma decente sequência de voltas com os pneus macios nesta tarde e acho que estamos bem preparados para amanhã.”

Paul Di Resta, 11º: “Não foi uma sessão fácil para mim. O equilíbrio do carro ainda não estava perfeito, e nós precisamos trabalhar duro essa noite para tentar melhorar antes do último treino livre.  O problema principal  do dia foi um pneu furado que eu tive na metade do segundo treino, porque perdi minhas voltas com tanque cheio e pneus macios. Além disso, foi difícil conseguir uma volta limpa com pouco combustível, porque a pista estava cheia. Nós obtivemos boas informações com o outro carro, mas seria mais útil ter dado mais voltas com os pneus macios.”

Lotus

Romain Grosjean, nono: “Foi difícil acertar o carro com a pista saindo de zero aderência na parte da manhã para muito melhor na parte da tarde. No entanto, fizemos um bom progresso e estamos trabalhando para melhorar ainda mais durante a noite. Há alguns lugares que você não deseja cometer erros, e espero ter o carro que quero para conseguir o objetivo amanhã.”

Sauber

Sergio Pérez, 12°: “Para mim, o segundo treino foi difícil como já era esperado, principalmente com relação ao acerto do carro. Foi difícil encontrar um bom acerto para uma única volta, mas acho que, por outro lado, estamos com um bom ritmo de corrida. É claro que não tive a quilometragem que gostaria, porque perdi o treino da manhã, mas, apesar disso, posso dizer que foi um dia produtivo para todos, já que conseguimos coletar informações suficientes para o fim de semana.”

Kamui Kobayashi, 16°: “Achei difícil encontrar um nível bom de aderência hoje. Então, realmente não sei dizer se foi só a sujeira da pista, o próprio carro ou o comportamento dos pneus. Provavelmente, é uma combinação de todos esses fatores e agora temos de encontrar uma solução para melhorar o acerto. E isso vale especialmente para quando corremos com pouco combustível, embora eu não tenha feito muitas voltas com tanque vazio. Gastei mais tempo andando com uma alta carga de combustível, na verdade. Por isso, acho que estamos bem com o carro mais pesado. Temos de trabalhar agora para melhorar os níveis de aderência.”

Esteban Gutiérrez, 26°: “Foi uma grande experiência hoje andar no carro de Sergio. Para mim, foi a primeira vez que estive ao volante do C31 em condições normais, já que fiz apenas treinos em linha reta neste ano. Além disso, eu não conhecia a pista, e isso tornou tudo muito mais interessante. Durante o ano, eu trabalhei em estreita colaboração com a equipe, ouvindo as discussões pelo rádio e participando das reuniões com os engenheiros, por isso foi muito legal viver isso tudo de dentro do carro, algo que só via do lado de fora.”

“Achei esse circuito muito incrível também, especialmente a sequência de curvas rápidas. No entanto, meu objetivo foi tentar progredir ao longo da sessão e não causar nenhum dano. Agora Sergio vai assumir o carro novamente, mas, no caso de alguma coisa acontecer, eu me sinto pronto para voltar ao cockpit.”

Gutiérrez sofreu com a falta de aderência e com a pouca experiência no C31 na Índia (Foto: Sauber)

Mercedes

Michael Schumacher, 13º: “Nós tivemos duas sessões hoje onde trabalhamos principalmente em longas sequências de voltas, e o desempenho estava razoável no final do dia. O equilíbrio do carro estava ok, particularmente no primeiro setor, com curvas lentas, e isso confirmou o desempenho que esperávamos por causa das características do circuito. Com os pneus macios, eu não consegui uma volta limpa, mas nós pudemos construir as bases do trabalho para o resto do fim de semana.”

Toro Rosso

Daniel Ricciardo, 14°: “Eu gostei muito de pilotar nesta pista no ano passado e hoje foi novamente um dia muito bom para nós, em que o carro esteve rápido o tempo inteiro. Tive um bom dia de treinos e acho que estaremos muito fortes amanhã também. No geral, acho que conseguimos melhorar muito o acerto em todos os sentidos e fizemos tudo que nos propusemos hoje. Estamos bem em linha reta e no equilíbrio geral do carro. Fizemos algumas mudanças entre os dois treinos, mas claro que a melhora nas condições da pista ajudou à tarde. Para amanhã, teremos de contar também com essas alterações.”

Jean-Éric Vergne, 18°: “Hoje foi a minha primeira vez nesta pista, que é uma das mais divertidas do calendário, por isso tive um dia bem trabalhoso. No entanto, meu ritmo não foi tão bom, e nós definitivamente precisamos avaliar os dados para encontrarmos alguma solução e decidir o que fazer, porque estamos a 1s da posição que deveríamos estar. Quanto aos pneus, parece que há uma grande diferença entre os duros e os macios, mas sem grandes problemas com os dianteiros. Daniel e eu corremos com acertos diferentes para também avaliarmos diversas configurações e, claramente, ele trabalhou melhor que eu nisso, então vamos ver o que conseguimos à noite.”

Williams

Pastor Maldonado, 17°: “Hoje, o ritmo de classificação não estava como gostaríamos, de modo que ainda temos muito trabalho pela frente. Precisamos avaliar bem os dados para ver onde podemos melhorar, para que seja possível disputar o Q3 amanhã. Em ritmo de corrida, porém, continuamos muito fortes, como tem sido comum durante a temporada, o que é bastante encorajador para a corrida de domingo.”

Valtteri Bottas, 25°: “Foi um bom dia hoje, já que conseguimos completar tudo que estava programado. Fizemos algumas avaliações aerodinâmicas e consegui obter uma boa quantidade de dados para a equipe. Foi a minha primeira vez nesta pista, e posso dizer que este já é um dos meus circuitos favoritos. O asfalto é ótimo, o que significa que veremos um desgaste menor de pneus.”

Jean-Éric Vergne faz reflexão no intervalo dos treinos em Buddh. O francês fechou o dia em 18º (Foto: Red Bull/Getty Images)

Caterham

Heikki Kovalainen, 19º: “Tendo ficado de fora do primeiro treino livre, a chave para mim foi completar o máximo de voltas possível, e estou satisfeito com o que alcançamos no treino 2. O equilíbrio esteve muito bom durante toda a tarde com ambos os compostos. Nós estávamos saindo um pouco de frente nas curvas de alta velocidade com os pneus macios, mas conseguimos consertar isso nas longas sequências de volta, e o carro esteve bom, já que a aderência continuou a melhorar.”

“É bom ver um espaço entre a gente e os carros de trás. Talvez nós possamos jogar um pouco com a estratégia de pneus, amanhã, para nos aproximarmos do pelotão da frente. Esse precisa ser o nosso objetivo.”

Vitaly Petrov, 20º: “No primeiro treino deu tudo certo para mim. Mesmo que não tivemos tanta aderência no começo, o carro se comportou bem e pudemos trabalhar na aerodinâmica, o que nos deu dados para olharmos essa noite. No segundo treino, nós novamente estávamos bem, mas na minha segunda saída com pneus macios, pareceu que tivemos um problema com o motor, então nós terminamos a sessão um pouco antes para que o pessoal da Renault pudesse dar uma olhada e evitar um dano maior.”

“Até esse ponto, o carro se comportou bem, e nós achamos um equilibro em que pudemos controlar os níveis de degradação dos pneus. Eu acho que estamos bem para amanhã e domingo, então espero ter um fim de semana forte aqui na Índia.”

Giedo van der Garde, 27º “Foi mais uma sessão boa para mim. Eu a dedico a meu avô, que tristemente morreu na última semana. Eu sei que ele sempre teve muito orgulho de mim e me ensinou a aproveitar enquanto estou pilotando, então me certifiquei de ter feito isso hoje. O circuito é muito técnico, mas rapidamente eu já tinha encontrado velocidade e não tive nenhum problema para completar o programa de hoje. Uma coisa que é óbvia é o quanto a pista evolui. Mesmo no começo, eu pude sentir a aderência aumentando a cada volta, então no domingo será muito diferente, mas para mim o treino 1 foi bom”

“Eu estarei de volta ao carro na próxima semana, em Abu Dhabi, em uma pista que eu conheço bem. Depois, terei dois dias de testes no circuito de Marina de Yas no treino dos novatos. É bom para continuar aumentando a quilometragem que já tive neste ano, e eu estou muito satisfeito em quanto progresso eu estou fazendo com o carro e com a equipe no geral.”

HRT

Pedro de la Rosa, 21º: “Eu amei o circuito. Ele é ótimo e também muito desafiador. É preciso atacar bastante as zebras, e o carro realmente sofre, então nós precisamos pilotar cuidadosamente. No geral, eu tive boas sensações com o equilíbrio do carro, especialmente durante a tarde, quando eu pude completar mais voltas. Mas ainda podemos melhorar e se pudermos aumentar o equilíbrio. Poderemos ser melhores, especialmente nas mudanças de direção, porque perdemos muito tempo nas curvas rápidas, e precisamos corrigir isso. Agora nós precisamos continuar trabalhando no acerto para ter um bom treino classificatório amanhã.”

Narain Karthikeyan, 23º: “É um sentimento muito bom estar novamente na Índia, em casa. A primeira sessão foi muito boa, e durante a tarde nós decidimos mudar o equilíbrio do carro  para melhorar em certos aspectos. Nós tínhamos acabado de colocar os pneus macios quando, infelizmente, sofremos um problema hidráulico que nos impediu de melhorar nosso tempo. Mas o problema deve ser consertado para amanhã, então eu espero ter uma boa sessão classificatória”.

Marussia

Timo Glock, 22º: “Hoje foi uma sexta-feira bastante normal. A pista estava muito suja no começo, e o primeiro treino livre não funcionou tão bem para a gente porque nós tivemos um pouco de problema com tráfego e eu não consegui uma volta limpa. No treino 2, nós trabalhamos no acerto do carro, e isso deu bastante certo com os pneus. No começo da sessão, estava ok, assim como nas longas sequências de voltas, então isso é importante para a corrida no domingo”.

Charles Pic, 24º: “Não foi um dia sem problemas. Essa é outra pista nova para mim, e eu estou gostando do layout e das características. Enquanto o primeiro treino deu tudo certo para a gente, nós tivemos problemas na segunda atividade e eu sofri alguns pequenos problemas que interromperam nosso trabalho. Ainda há mais coisas que podemos fazer para melhorar para amanhã, entretanto nosso ritmo em longas sequências de voltas foi bom, o que é positivo”.

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube