Confira declarações dos pilotos após treinos livres para GP de Abu Dhabi, na Marina de Yas

Sebastian Vettel liderou o primeiro dia de treinos para o GP da Abu Dhabi. Apesar do domínio da Red Bull, as demais equipes estiveram emboladas, já que Williams, Lotus, Sauber e Force India afirmaram que estão em condições de alcançar o top-10

De olho na quinta vitória consecutiva, Sebastian Vettel liderou o primeiro dia de treinos para o GP de Abu Dhabi, nesta sexta-feira (2), no circuito da Marina de Yas. Apesar da vantagem do alemão, a McLaren apareceu logo em seguida, com Lewis Hamilton terminando em segundo e Lewis Hamilton, em terceiro. Mark Webber foi o quarto

Na sequência, vieram os carros da Lotus – com Romain Grosjean e Kimi Räikkönen –, enquanto a Ferrari apareceu logo depois, com Fernando Alonso apenas em sétimo e Felipe Massa logo atrás. Outro brasileiro na competição, Bruno Senna foi o 11º.

Embora a maioria das equipes já esteja de olho em 2013, o treino de Abu Dhabi ainda serviu para que as escuderias avaliassem novos componentes, que podem estar presentes no carro do próximo campeonato. Enquanto isso, além dos times grandes, Lotus, Williams, Sauber e Force India seguem de olho em somar mais alguns pontos neste final de ano ao afirmarem que é, sim, possível chegarem ao Q3.

Por outro lado, os pilotos também reclamaram da falta de aderência do circuito árabe e, por isso, o resultado desta sexta-feira pode não representar a real ordem de forças das equipes.

Grosjean entrou na pista pela segunda vez em Abu Dhabi em um fim de semana de F1 (Foto: Lotus/LAT)

Lotus

Kimi Räikkönen, sexto: “Estávamos bem na Índia, na sexta-feira, e estivemos fortes de novo hoje, aqui em Abu Dhabi. Testamos algumas peças novas no carro nas duas sessões e temos algumas boas coisas para analisar até amanhã. Nossos tempos de volta parecem estar ok até aqui. Espero que possamos encontrar um pouco mais de velocidade no treino e de novo para o treino classificatório”.

Williams

Pastor Maldonado, 9º: “Hoje foi muito melhor quando conseguimos fazer tudo dar certo, e estou feliz por isso. Nosso ritmo em long-runs parece bom mais uma vez, nem tanto em classificação, mas ainda acho que estamos bem em comparação ao que todos estavam fazendo hoje. A classificação também será importante, pois é difícil ultrapassar. Gosto da pista e estamos parecendo competitivos.”

Valtteri Bottas, 20º: “Eu conheço bem esta pista, o que deixou as coisas muito mais fáceis, já que pude começar imediatamente o meu trabalho. Depois da primeira saída, eu sabia como o carro deveria estar e nós pudemos continuar alguns testes que começamos na Índia para acumular ainda mais telemetria. Pastor foi um pouco mais rápido em sua última volta rápida, mas, antes disso, nós tínhamos tempos de volta idênticos, então é bom saber que eu estou na mesma balada, apesar de pensar que poderia ter feito mais. Eu gosto deste circuito e da atmosfera no paddock, e dirigir na pista debaixo do hotel é algo único”

Sauber

Sergio Pérez, décimo: “Para mim, foi um dia bom. Nós completamos todo o nosso programa, então, quanto a isso, foi um dia bastante positivo. Eu estou confortável com o equilíbrio do carro, mas acho que a nossa colocação no segundo treino livre é praticamente o que podemos alcançar aqui. Isso significa que o Q3 é possível.”

Kamui Kobayashi, 16º: “Eu definitivamente preciso trabalhar para melhorar o equilíbrio do carro. Nesse momento, ele não está bom em nenhum aspecto, mas foi apenas o primeiro dia de treinos em Abu Dhabi. A aderência da pista normalmente melhora muito aqui, o que deve nos ajudar. Mas hoje eu não consegui fazer os pneus funcionarem. Entretanto, em longas sequências de voltas, não vi nenhum problema em termos de degradação tanto do composto macio quanto do médio.”

Mercedes:

Nico Rosberg, 12º: “Foi um bom dia de treinos, e nós pudemos avaliar várias coisas diferentes. Infelizmente, ainda estamos sem um bom ritmo, mas eu espero que possamos chegar aos pontos com uma boa estratégia amanhã e domingo. No geral, a degradação dos pneus não está tão grande quanto no ano passado, então será difícil ver como a corrida vai se desenrolar.”

Michael Schumacher, 14º: “Hoje nós vimos o que eu chamaria de uma sexta-feira normal. Completamos o programa, mudamos o acerto e fizemos o típico trabalho de coletar dados. O que vimos no fim do dia é, provavelmente, onde estamos, então é um quadro bastante realista. No momento, estamos tentando terminar nos pontos, e esta será a meta para o fim de semana. Mudando de assunto, é realmente impressionante e lindo pilotar aqui, no anoitecer é ainda mais especial.”

Jules Bianchi voltou a treinar pela Force India (Foto: Force India)

Force India

Nico Hülkenberg, 13º: “Ainda é difícil saber o nosso desempenho real, mas, provavelmente, precisamos melhorar durante a noite se quisermos lutar por pontos. Não está tudo perfeito, por isso temos que trabalhar para ter o carro mais perto do ponto ideal. Completamos nosso programa, coletamos todos os dados referentes aos pneus e, por isso, foi uma sexta-feira bem normal.”

Paul di Resta, 15º: “Aprendi muito esta noite, mas há muito trabalho pela frente para entender onde estamos e o que podemos melhorar. Esta pista é muito sobre ter boa aderência nas curvas de baixa velocidade, e é nisso que devemos nos concentrar. Falando dos pneus, conseguimos uma grande quantidade de dados e vamos trabalhar para usá-los da maneira correta na classificação e na corrida.”

Jules Bianchi, 21º: “Provavelmente, foi minha melhor sessão de treinos livres até hoje. Fiz vários testes aqui antes, então conheço bem a pista e me senti muito confortável. O programa foi bastante simples, e melhoramos o carro a cada volta. A pista melhorou muito durante a sessão, mas os pneus se desgastaram rápido e foi difícil melhorar meu tempo no final.”

Toro Rosso

Daniel Ricciardo, 17º: “No início do primeiro treino, a aderência – ou a falta dela – foi um problema, mas conseguimos melhorar o carro no intervalo das duas sessões. Enquanto as voltas rápidas foram boas, não tivemos o mesmo sucesso nas longas sequências de voltas. Mas, no geral, hoje estivemos na briga. Quanto à temperatura? Não é tão ruim quanto Cingapura, então não é um problema lidar com isso.”

Jean-Éric Vergne, 18º: “É muito bom estar de volta a este circuito, que conheço melhor que qualquer outro em um carro da F1. Foi um dia bastante proveitoso, entretanto, tive um problema no carro durante a noite, o que me custou algum tempo de pista. Parece que estamos sofrendo com uma falta de desempenho, a qual acho que está acontecendo por não termos downforce o bastante. Mas já estivemos nesta situação em outras sextas-feiras e conseguimos nos recuperar no sábado e, principalmente, no domingo. Então apenas precisamos trabalhar duro esta noite para ver qual a melhor forma de seguirmos em frente.”

Caterham

Vitaly Petrov, 19º: "Fiquei de fora do primeiro treino e vi o quão duro o time trabalhou para resolver o problema elétrico que reduziu a sessão de Giedo. Tudo estava resolvido para o início da segunda atividade, então pudemos iniciar o nosso programa imediatamente. Na minha primeira saída, nós tivemos alguns problemas para resolver, então fizemos algumas mudanças mecânicas e vimos uma melhora imediata na segunda saída.”

“Quando colocamos os pneus macios, os tempos estavam ficando mais rápidos a cada volta, e eu acho que encontramos um equilíbrio que está funcionando para nós. Geramos muitas informações com todas as nossas saídas e hoje usamos os dois compostos, então mesmo com o problema que tivemos esta manhã, completamos praticamente todo o programa e estamos bem para o resto do fim de semana.”

Heikki Kovalainen, 22º: "Hoje para mim foi muito bom. Na primeira sessão, nós testamos algumas peças que trouxemos para cá e aí fizemos comparações no segundo treino, assim como avaliamos o desempenho dos pneus macios e fizemos um longo trecho no fim da atividade. A chave para destravar o potencial das nossas atualizações é encontrar o acerto ideal. Com a quantidade de voltas que demos nas duas sessões de hoje, geramos informações o suficiente para nos dar uma boa chance de encontrar algo com que possamos trabalhar amanhã. Temos uma longa noite pela frente, mas todos estão trabalhando mais do que nunca para seguir progredindo, e tomara que consigamos ver alguns resultados disso amanhã.”

Giedo van der Garde, 29º: "Obviamente, foi uma sessão muito frustrante, mas essas coisas às vezes acontecem. Assim que saí para a volta de instalação, pude ouvir que o motor estava diferente dos meus primeiros treinos e pelo que eu entendi, o problema parece ser com as partes eletrônicas. É uma pena, já que eu conheço bem esta pista e seria útil fazer mais comparações com as atualizações nos carros de Heikki, mas eu ainda tenho os dois primeiros dias do teste de novatos na próxima semana, então estou focado nisso agora.”

Giedo van der Garde mal pôde completar uma volta (Foto: Caterham)

Marussia

Timo Glock, 23º: "Uma sexta-feira típica, apesar de eu ter testado alguns componentes para o ano que vem na primeira sessão. Tinham muitos sensores no carro, por isso, apesar de ter sido um bom trabalho, foi bastante simples. Na segunda sessão, eu tive problemas com o tráfego enquanto estava com os pneus macios. Todas as vezes eu encontrava Petrov no último setor, o que me custou tempo. Nós também testamos algumas coisas diferentes no acerto e temos de olhar para as informações que coletamos para garantir que teremos o acerto para o fim de semana.”

Charles Pic, 24º: "Foi ótimo voltar ao carro nesta tarde na Marina de Yas. É um circuito que eu gosto muito e espero que possamos continuar o bom trabalho da Índia. No começo do segundo treino, cheguei à velocidade da pista – até bem rápido – e nos preparamos para a classificação e para a corrida, nos ajustando a mudança na iluminação. Ainda não estamos onde gostaríamos, então espero dar um passo à frente amanhã.”

Max Chilton – 27º: "Minha sessão foi tão bem quanto eu esperava, e agradeço a Marussia por tornar isso possível. Não parei de sorrir o dia todo. Estou ansioso por esta oportunidade já tem alguns dias, mas quando o momento chega – com toda a pressão – admito que estava um pouco nervoso. Queria que tudo fosse bem e ter o máximo de tempo possível na pista. No fim, por conta da duração do pneu, nós fizemos dois trechos longos, de oito voltas cada, onde pude trabalhar com alguns itens de teste bem exigentes, procedimentos e sistemas”.

“Na primeira saída, fiquei bastante feliz por melhorar imediatamente – e continuar melhorando. Esperava fazer isso também na segunda saída, mas, infelizmente, fiquei preso no tráfego com um carro da HRT. Definitivamente, tinha mais para dar e esta é a única frustração em um dia memorável. O time me deu muito apoio e obrigado a minha equipe de engenharia e a equipe do carro, que hoje fizeram com que eu me sentisse em casa.”

HRT

Pedro de la Rosa, 23º: “O objetivo inicial era encontrar um bom equilíbrio para o carro, e nós o achamos ainda cedo. A partir daí, focamos em testar diferentes configurações para ver onde nós estávamos, além de melhorar a refrigeração dos freios. A aderência da pista estava bastante baixa, e a diferença entre os dois tipos de compostos foi menor que a esperada. Com o pneu médio, o carro teve um bom desempenho, mas a aderência está melhor com o macio, embora ainda podemos extrair mais coisa dele. Nosso ritmo é bom, e os testes que fizemos nos freios não foram ruins, então estamos otimistas, mas ainda há espaço para melhorarmos.”

Narain Karthikeyan, 24º: “Eu não conhecia a pista de antemão e ela é mais exigente e técnica do que esperava. Ela demanda muito dos pilotos fisicamente e também do carro, já que não há muita aderência. O objetivo de hoje era simplesmente andar o máximo possível, enquanto amanhã vamos focar em ajustar os mínimos detalhes para o treino classificatório. Nós ainda temos três jogos de pneus, sendo dois macios e um médio, e se pudermos aproveitá-los ao máximo, então tenho certeza que seremos muito mais competitivos.”

Ma Qing Hua, 28º: “Foi ótimo estar de volta ao carro em um treino livre, e este circuito é espetacular. Eu nunca corri aqui, e não foi nada fácil por causa da temperatura e da falta de aderência. O carro estava escorregando bastante e foi difícil controlá-lo, já que estava saindo muito de traseira. Nas primeiras voltas, nós fizemos alguns testes no motor para avaliar o desenvolvimento do carro e também trabalhamos no equilíbrio geral. Não estávamos em busca de uma volta rápida, mas já no final eu pude fazer alguns giros para melhorar minha pilotagem. No geral, foi um dia positivo de trabalho para a equipe, e nós alcançamos nosso objetivo.”

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube