Confira declarações dos pilotos depois do GP da Rússia, 15ª etapa da temporada 2015 do Mundial de F1

Entre as equipes do grid, sentimentos bem distintos. A Red Bull, por exemplo, comemorou o quinto lugar com Dannil Kvyat em casa, mas lamentou o abandono de Daniel Ricciardo. Cenário semelhante ocorre na Lotus e na Mercedes, bem como na Force India, que festejou o grande pódio de Sérgio Pérez, mas lastimou a saída precoce de Nico Hülkenberg

O GP da Rússia pode não ter tido muitas emoções na briga pela vitória, que foi conquistada com facilidade por Lewis Hamilton depois de ver seu companheiro de Mercedes, Nico Rosberg, abandonar com o pedal do acelerador quebrado. Mas o domingo (11) no Parque Olímpico de Sóchi reservou grandes momentos e sentimentos distintos entre as equipes. Assim como a própria Mercedes, que festejou o 42º triunfo de Lewis na carreira e a conquista do Mundial de Construtores, mas lamentou o abandono de Rosberg.

Foi assim, mais ou menos também, com a Williams, que comemorou um quarto lugar inesperado de Felipe Massa, que largou em 15º, mas fez uma boa corrida de recuperação. O brasileiro foi beneficiado pelo incidente que envolveu seu companheiro de equipe, Valtteri Bottas, que estava em terceiro, mas foi acertado pela Ferrari de Kimi Räikkönen.

O finlandês da equipe italiana foi punido com 30s de acréscimo no seu tempo de corrida e caiu de quinto para oitavo.

Presidente da Rússia, Vladimir Putin, dá uma olhadinha no champanhe no pódio em Sóchi (Foto: AP)

Sergio Pérez conquistou um grandioso resultado ao garantir um lugar no pódio. Outro diretamente beneficiado pela batida entre Bottas e Kimi, ‘Checo’ fechou no top-3 pela quinta vez na carreira, contra nenhuma do badalado Nico Hülkenberg. O alemão sequer teve chance de brigar pelo pódio em Sóchi, já que cometeu um erro na primeira curva e foi acertado depois pela Sauber de Marcus Ericsson. Fim de prova para os dois.

Mas se na Sauber o sentimento foi de tristeza com a saída do sueco, tudo mudou quando Felipe Nasr somou bons pontos e cruzou a linha de chegada em sétimo. Sétimo que virou sexto depois que o novato brasileiro subiu uma posição com a punição imposta a Räikkönen. Foi seu segundo melhor resultado em 2015.

E a McLaren também viveu um dia com sentimentos distintos: Jenson Button e Fernando Alonso não tiveram muito como lutar contra carros mais competitivos, mas levaram a McLaren ao fim da corrida em Sóchi. Button garantiu o nono lugar, seguido por Alonso. Mas o bicampeão do mundo perdeu o ponto suado conquistado no seu 250º GP depois que a direção de prova acresceu 5s no seu tempo de prova, já que o piloto excedeu os limites da pista em uma das passagens finais da corrida.

A seguir, confira as declarações dos outros pilotos após o GP da Rússia de F1:

RED BULL

Daniil Kvyat, quinto: “Acho que nós demos tudo o que tínhamos hoje, e dez pontos ao fim de uma corrida tão complicada é uma boa conquista, por isso temos de ficar satisfeitos com esses pontos. Olhando para trás, pode-se dizer que poderíamos ter executado uma estratégia um pouco melhor, mas você nunca pode ficar completamente certo de como essas coisas vão sair e você nunca para de aprender a esse respeito. Foi bom para ver todas as pessoas que vieram aqui para torcer por mim hoje, é um sentimento muito bom e espero que isso continue e fique cada vez melhor. Também pude ver que outros pilotos também tiveram seus fãs em meio à multidão, de modo que é bom, é uma verdadeira paixão, e parece que na Rússia o esporte está crescendo muito e cada vez mais pessoas estão vindo, o que é ótimo de ver. Já estou ansioso para Austin porque acho que ela deve se adequar um pouco melhor a nós e estou ansioso para as curvas de alta velocidade.”

Daniel Ricciardo, abandonou: “Estou feliz pela forma como guiei, mas é uma pena que não tenhamos um ponto sequer depois do que apresentamos. A estratégia arriscada funcionou bem e parecia bom saber que estávamos perto de alguns bons pontos. Não temos certeza do que aconteceu, suspeitamos que seja algum problema de suspensão. Saí da curva 4 e senti que algo não estava certo, e relatei isso à equipe. O time vai investigar o problema, mas acho que, considerando que não estávamos esperando muito para esta pista, nós podemos ficar satisfeito pelo fato de termos disputado com os carros mais rápidos da Williams e da Ferrari e conseguimos mantê-los atrás de nós por um bom tempo.”

Romain Grosjean bateu forte durante a primeira parte da corrida em Sóchi (Foto: AP)

LOTUS

Pastor Maldonado, sétimo: “Foi um pouco complicado hoje, mas nós optamos pela estratégia correta desde o começo, largando com os pneus macios e estendendo ao máximo o primeiro stint. Infelizmente, perdemos um pouco de tempo no segundo stint com os pneus supermacios novos, Nosso carro não desempenhou como o esperado no começo deste stint, mas então, depois de algumas voltas, começamos a recuperar o ritmo. Marcamos pontos hoje, o que é muito positivo para a equipe, e espero que possamos continuar fazendo isso para as próximas corridas.”

Romain Grosjean, abandonou: “Perdi a traseira em uma curva de alta velocidade quando estava fazendo a curva 3 e não consegui recuperar. Ainda não sei exatamente por que isso aconteceu. Precisamos checar o que aconteceu, se foi um erro de piloto ou algo técnico? Vamos ver. Sinto muito pelos caras porque vai dar muito trabalho para consertar o carro. Eu me sinto ok fisicamente e certamente vou estar um pouco dolorido amanhã de manhã, mas vou ficar completamente bem depois de alguns dias. Perdemos alguns bons pontos hoje, mas vamos entender o que aconteceu, e estamos ansiosos para a próxima corrida.”

FERRARI

Kimi Räikkönen, oitavo: “O carro se comportou bem durante toda a corrida, especialmente depois do pit-stop, mas então, fiquei preso atrás dos outros carros e não tinha velocidade em linha reta, então foi difícil ultrapassar. Nos últimos instantes, tentei ultrapassar Valtteri no mesmo lugar em que tinha sido ultrapassado por ele no começo da corrida, entrei na curva 3 e, em seguida, vi que tinha espaço suficiente, então decidi passar. Não sei se ele não estava esperando que eu estivesse ali ou se ele não me viu, mas uma vez que eu decidi ir para cima, não tive mais como recuar. Tentei jogar para dentro o máximo que pude, mas não havia nenhuma maneira de seguir e então acabamos nos colidindo. Isso é uma infelicidade para nós e para eles, ninguém quer ter um acidente nesta parte da corrida. Realmente foi uma pena, mas minha manobra foi baseada em uma boa chance e não foi nada completamente maluco.”

Sebastian Vettel e Kimi Räikkönen disputam posição durante GP da Rússia (Foto: AP)

McLAREN

Jenson Button, nono: “Hoje fizemos tudo certo, fizemos o melhor que podíamos e levamos alguns pontos para casa. Eu parecia um pato sentado nas primeiras voltas da corrida: não conseguia lutar com os caras atrás de mim, meu desempenho estava cortando no fim das retas, então estava muito fácil para o pessoal ultrapassar. Era muito complicado: eles estavam tentando me passar por dentro na curva 13, que é um lugar muito complicado, especialmente quando você não tem DRS e não pode se aproximar da velocidade dos carros que vinham atrás. Ainda assim, não foi ruim. Corri com Alonso durante toda a corrida, era tudo o que podíamos fazer, já que todos os outros carros estavam mais rápidos. Não fizemos um grande avanço com a performance do carro, mas nós fizemos algumas coisas interessantes com o acerto neste fim de semana. Vamos analisar isso e ver se isso valeu a pena ou não.”

Fernando Alonso, 10º (11º em razão de punição por exceder os limites da pista): “Ter dois carros terminando o top-10 em um circuito onde não esperávamos muita coisa é uma surpresa bacana. Foi uma pena perder isso depois. Na verdade, o carro esteve muito bem na corrida — acho que conseguimos cuidar bem dos pneus um pouco melhor do que os caras em nossa volta e, numa tarde em que cada pouquinho foi útil, nós conseguimos tirar mais disso. Vamos agora esperar por mais performance para a próxima corrida, nos Estados Unidos. Será complicado e temos de seguir realistas, mas estou definitivamente feliz com o resultado de hoje. Agora, podemos seguir avançando e melhorar as coisas para o futuro.”

TORO ROSSO

Max Verstappen, 11º (décimo em decorrência da punição imposta a Alonso): “É decepcionante. Eu certamente não fiz a melhor das minhas largadas, e tive [um pneu] cortado porque os carros à minha frente bateram, e a partir de então foi uma corrida muito difícil. Tive vários danos no carro, especialmente na parte traseira, e ele não estava se comportando tão bem como deveria ter sido. Foi muito difícil para mim continuar, mas tentamos, esperando que pudéssemos voltar aos pontos, mesmo que, no fim das contas, não tenha sido possível.”

Confusão da largada iniciada por Nico Hülkenberg (Foto: AP)

Carlos Sainz Jr., abandonou: “Que forma decepcionante de terminar o que vinha sendo uma boa corrida! Tenho de dizer que estou feliz por poder correr depois do que aconteceu ontem. Hoje foi uma boa performance em condições difíceis. Larguei em 20º, acelerei e, de repente, me vi em sétimo. Nós poderíamos ter terminado em sexto! Perto do fim da corrida, fui avisado pra prestar atenção com meus freios e as temperaturas estavam muito altas, e até que estava conseguindo lidar com isso ainda tendo um bom ritmo de corrida. Infelizmente, com oito voltas para o fim, os freios disseram ‘chega!’ na curva 13, e este foi o fim da corrida para mim. Tenho de agradecer a toda a equipe, eles fizeram um grande trabalho para mim para correr hoje depois da batida de ontem. O carro estava em perfeitas condições. Agora certamente vou descansar um pouco nos próximos dias.”

MANOR MARUSSIA

Roberto Merhi, 13º: “Estou muito satisfeito com minha corrida hoje. Tudo correu bem para mim durante o fim de semana e terminar à frente [de Stevens] é uma boa forma de terminar aas coisas no meu retorno aqui em Sóchi. Não foi um fim de semana fácil na pista. Parece que estava acontecendo de tudo a cada sessão, e isso tornou difícil de encontrar um bom ritmo para me preparar para hoje. De qualquer forma, a corrida foi bem e muito tranquila para mim, muito mais do que nós planejamos. Agora estou ansioso para minha última corrida em Abu Dhabi, mas vou estar com a equipe nas próximas três etapas também.”

Will Stevens, 14º: “A largada foi muito caótica, como nós esperávamos ser o caso aqui, e nós tivemos de desviar da batida entre Ericsson e Hülkenberg na saída da curva 1. Perdi a posição para Roberto e fiquei atrás dele no primeiro stint, e então, na relargada, fritei meus pneus em uma frenagem e tive de ir aos pits, novamente, então nossas posições ficaram definidas para o restante da corrida. Acho que este foi um fim de semana daqueles aqui em Sóchi. Nada foi muito fácil, então temos de estar satisfeitos por colocar os dois carros novamente no fim da corrida e focar adiante em coisas melhores para as próximas corridas.”

SAUBER

Marcus Ericsson, abandonou: “Um fim de semana difícil para mim, mas estava muito otimista para a corrida. Uma vez que largamos do fim do grid, escolhemos como estratégia alternativa largar com os pneus macios. A largada foi boa e consegui ultrapassar alguns carros quando estava indo para a curva 2. Então vi que o carro de Nico estava na contramão. Não tive nada para fazer e acabei batendo nele. Isso é muito decepcionante, já que o carro estava muito competitivo aqui. É uma chance perdida, o que é frustrante para mim. Agora vou recarregar e tentar novamente durante o próximo fim de semana de corrida.”

FORCE INDIA

Nico Hülkenberg, abandonou: “Não fiz a melhor das largadas, mas então consegui pegar o traçado ideal na curva 2. Infelizmente, travei as rodas traseiros na curva 2 e, quando isso acontece, você acaba rodando. Esperei todo o pelotão passar sem me acertar, mas infelizmente Ericsson ficou preso comigo, e não pude fazer nada. A primeira volta é sempre uma situação única: não freei muito tarde, mas com os pneus frios é muito complicado, e uma vez que os pneus travam, não há nada que eu pudesse fazer para evitar isso. É sempre uma pena sair da corrida no começo e muito frustrante porque nosso ritmo parecia muito bom neste fim de semana. Mas só quero seguir em frente e começar a pensar na próxima corrida. Ao mesmo tempo, tenho dar parabéns a Checo porque o pódio é um grande resultado para a equipe.”

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube