Confira as declarações dos pilotos após domingo do GP da Holanda da F1 2021

Max Verstappen venceu de forma dominante a corrida de casa, o GP da Holanda. A Mercedes completou o pódio com Lewis Hamilton e Valtteri Bottas

ZZZZZ!… GP DA HOLANDA DE F1: VERSTAPPEN VENCE E TIRA LIDERANÇA DE HAMILTON | Briefing

Max Verstappen dominou e venceu o GP da Holanda, realizado neste domingo (5), levando o ‘mar laranja’ presente em Zandvoort à loucura nas arquibancadas. A 17ª vitória do holandês na carreira ficou marcada pela grande comemoração, afinal, tornou-se o primeiro piloto do país a vencer a corrida de casa, de volta ao calendário após 36 anos de ausência.

Completaram o pódio Lewis Hamilton e Valtteri Bottas, da Mercedes. O heptacampeão, inclusive, deixou o circuito do Mar do Norte na vice-liderança do Mundial de Pilotos, ultrapassado por Verstappen. Outro destaque na corrida foi o sólido quarto lugar de Pierre Gasly, a bordo da AlphaTauri.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

MAX VERSTAPPEN; GP DA HOLANDA; ZANDVOORT;
Max Verstappen teve pista limpa à frente para vencer o GP da Holanda (Foto: Red Bull Content Pool)

Confira o que disseram os pilotos após o do GP da Holanda:

Max Verstappen, vencedor: Verstappen celebra vitória e estratégia na Holanda: “Contra-atacamos bem a Mercedes”

Lewis Hamilton, segundo: Resignado, Hamilton diz que “a última volta foi a melhor parte” do GP da Holanda

Valtteri Bottas, terceiro: Bottas assume que faltou ritmo na Holanda e se contenta com “bons pontos” para Mercedes

Pierre Gasly, quarto: Gasly festeja 4º na Holanda em “melhor ano” da AlphaTauri: “Carro está voando”

Charles Leclerc, quinto: Leclerc e Sainz encaram frustração na Holanda e já esperam Monza difícil para Ferrari

Fernando Alonso, sexto: Alonso diz que “podia ser mais rápido”, mas preferiu cautela em misteriosa Zandvoort

Carlos Sainz, sétimo: Leclerc e Sainz encaram frustração na Holanda e já esperam Monza difícil para Ferrari

Sergio Pérez, oitavo: “Dei o meu melhor. Cada ultrapassagem foi no limite e tive de correr muitos riscos. Hoje foi tudo sobre limitar os danos, já que larguei dos boxes depois de sofrer a punição pela troca de motor. Foi uma pena no fim da corrida quando Lando e eu nos tocamos. Tive muitos danos no lado direito do carro. Acho que não foi legal porque fiquei sem espaço suficiente e não acho que ele podia me ver. Daquele ponto em diante, perdi muita aderência. Do contrário, acho que o sexto lugar seria possível hoje. Gostaria de ter entregue mais aos fãs holandeses, eles foram incríveis ao longo do fim de semana. Agora é olhar para frente e tentar reagir com tudo em Monza.”

Esteban Ocon, nono: Alonso diz que “podia ser mais rápido”, mas preferiu cautela em misteriosa Zandvoort

Lando Norris, décimo:  “Um resultado de sentimentos mistos hoje. Desapontado, já que terminei em décimo; mas feliz, já que achava que não conseguiria nada melhor que um 13º. É uma pista muito difícil de ultrapassar, mas tivemos bom ritmo. Tivemos também uma boa estratégia e ficamos felizes em conquistar um ponto. Era o melhor que poderíamos ter feito hoje. Talvez, se tivéssemos largado em uma posição melhor, tendo feito um trabalho melhor ontem, poderíamos ter conquistado algo melhor. Precisar tomar lições deste episódio. Mas reitero: estou satisfeito e vamos usar isso para voltar ainda mais forte em Monza.”

Paddockast #119 | F1 já fala em revisar regras após GP da Bélgica: o que mudar?

Daniel Ricciardo, 11º:  “Corrida difícil. Tive problemas com a embreagem. Minha borboleta favorita não funcionou, tive de largar com a da outra mão, e isso foi um dos motivos que me fizeram perder a posição para o Russell na largada. Recuperamos, e passei ele e Giovinazzi. Na verdade, ganhamos uma posição na primeira volta, quando achei que perderíamos algumas, então foi excelente. Ficamos presos atrás das Alpine. Elas estavam poupando pneus e eu tentei acompanhá-las. Uma vez que elas deram abertura, não tinha o ritmo delas. Colocamos os pneus duros e tentamos imprimir um ritmo. Tentamos executar uma estratégia para maximizar os pontos, o que me custou um bom tempo. Foi complicado, vejo que nosso ritmo não esteve bom. Tivemos algumas dificuldades, por vários motivos, nos primeiros dois stints. Estávamos em décimo em um momento, mas foi complicado ver que não chegaríamos em nenhum lugar acima disso. Teria adorado fazer pontos, mas vamos analisar isso e tirar lições. Foco em Monza. Quero pizza!”

Lance Stroll, 12º: “Podemos ver o quão importante foi a classificação e, infelizmente, isso nos comprometeu ontem, por isso tivemos de fazer tudo hoje. Fiz uma boa largada, mas não consegui ganhar nenhuma posição. Depois disso, só pude mesmo seguir George Russell pela maior parte da corrida em uma procissão de carros. Sem uma grande diferença de pneu, é quase impossível ultrapassar aqui. Vamos analisar a estratégia para ver o que poderíamos ter feito, mas não acho que daria para fazer algo muito diferente. Zandvoort é uma ótima pista para pilotar e é, definitivamente, mais um circuito de sábado. Estou feliz por vê-la no calendário, mas talvez exista alguma forma de melhorar as ultrapassagens no domingo. Por enquanto, vamos virar a chave e focar em Monza.”

Sebastian Vettel, 13º: Vettel culpa dificuldade de ultrapassar por dia ruim na Holanda: “Eu tive de correr riscos”

Antonio Giovinazzi, 14º:  “Tivemos um furo no pneu traseiro direito, mas não sabemos o por quê. Depois disso, a corrida acabou, porque tivemos de fazer um pit-stop a mais que os outros e ficou simplesmente difícil. Estávamos nos pontos naquele momento. É difícil dizer onde terminaríamos, mas naquele momento estávamos na zona de pontuação. [Em Zandvoort] é complicado de acompanhar os outros carros. As curvas 7, 8 e 9, em alta velocidade, foram simplesmente terríveis. Sem chance de ultrapassar.”

Robert Kubica, 15º: “Tão exigente quanto esperávamos. É provavelmente a pista mais difícil fisicamente. Creio que do ponto de vista físico, não é fácil guiar aqui, nem um pouco. Não foi fácil controlar tudo. E foi a primeira vez que eu usei os pneus médios e duros [na pista]. Tivemos boas batalhas defendendo contra Vettel e depois tentando alcançar Latifi e consegui ultrapassar na última volta. No geral, sempre tem coisa que você pode fazer melhor, mas foi um domingo bem exigente.”

ZANDVOORT; GP DA HOLANDA; FÓRMULA 1;
‘Mar laranja’ dá um espetáculo nas arquibancadas em Zandvoort (Foto: Peter Fox/Getty Images/Red Bull Content Pool)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Nicholas Latifi, 16º: “Como esperávamos, Zandvoort foi um circuito complicado para correr e não houve muitas chances de ultrapassar. Jamais seria fácil largando do pit-lane, e Sergio [Pérez] e eu levamos cerca de duas voltas para chegarmos no pelotão. O primeiro stint foi bom: consegui passar os dois carros da Haas e estava feliz com meu ritmo. Fizemos um stint mais longo com pneus macios, de modo que gerenciá-los tornou-se um desafio até o fim da corrida, e ainda perdi temperatura por conta das bandeiras vermelhas, então foi um pouco difícil hoje.”

George Russell, 17º: “Nossa corrida foi respeitável. O primeiro stint foi bom, com Antonio Giovinazzi e as McLaren à frente. Quando foi para o pit, pisei o máximo na entrada do pit-lane. É muito difícil a entrada aqui e passei um pouco do ponto, infelizmente. A punição de 5s não comprometeu tanto nossa corrida, chegaríamos em 12º ou 13º se não tivéssemos de abandonar com um problema no câmbio a algumas voltas para o fim. Estou ansioso para o próximo fim de semana, na Itália. Monza é uma pista completamente diferente dessa aqui, onde andamos com quase o mínimo de downforce na comparação com Zandvoort, que tem o máximo de downforce. Também vamos ter a corrida sprint, que vai proporcionar oportunidades.”

Mick Schumacher, 18º: “Difícil, poderia ter sido melhor. Parecia que havia um problema com a asa dianteira, não tenho muita certeza do que era, mas eu estava perdendo muito a frente do carro, então fui trocá-la. Os pneus duros realmente não funcionaram como eu queria, por isso tivemos que ir aos boxes um pouco mais cedo para trocar pelos pneus médios e funcionou muito melhor, por isso podemos ficar felizes. Estou definitivamente ansioso para voltar aqui no ano que vem”.

Yuki Tsunoda, abandonou: “O resultado de hoje é decepcionante, claro, vimos um problema com as informações do motor e, infelizmente, tivemos que retirar o carro. Até aquele ponto a corrida estava indo muito bem e o ritmo estava bom, mas era difícil de ultrapassar. Vou esperar por Monza agora, tenho alguma experiência nesse circuito, o que é bom. Vou seguir com a mesma abordagem desta semana, aumentando lentamente o ritmo e, com sorte, podemos usar tudo isso na próxima semana”.

Nikita Mazepin, abandonou: “Estou chateado porque o meu trabalho é guiar o carro e não o fiz nos últimos fins de semana de corrida. Felizmente, não me sinto culpado por isso, o que é importante lembrar. Estava fazendo uma boa corrida, me diverti muito. Fiz uma ótima volta de abertura e estava tentando lidar com a nossa posição. Infelizmente, o problema hidráulico que tivemos mostrou que precisávamos administrar melhor as coisas e diminuir a potência do motor, o que fez com que Robert Kubica passasse por nós. Por precaução, tivemos que parar e retirar o carro. Estava dando o meu melhor e só queria conseguir um bom resultado para a equipe. Mas não era para ser hoje”.

Nicholas Latifi bateu forte no fim do Q2 (Vídeo: Reprodução/TV)

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar