Confira declarações dos pilotos após GP da Turquia, 16ª etapa da Fórmula 1 2021

No GP da Turquia, Valtteri Bottas venceu pela primeira vez em 2021, enquanto Max Verstappen foi segundo e reassumiu liderança do Mundial. Pilotos relataram dificuldades com pista molhada. Confira as declarações do domingo

Sergio Pérez e Lewis Hamilton travaram grande duelo no GP da Turquia (Vídeo: F1)

Valtteri Bottas teve uma performance dominante na pista molhada e venceu o GP da Turquia, disputado neste domingo (10) no Istambul Park. Foi o primeiro triunfo do finlandês da Mercedes em 2021. Ele já está de malas arrumadas para representar a Alfa Romeo em 2022.

Max Verstappen, com a Red Bull, foi ao segundo lugar e retomou a liderança do Mundial de Pilotos, abrindo seis pontos de vantagem para Lewis Hamilton, da Mercedes, que executou corrida de recuperação e acabou fechando apenas no quinto lugar depois de um pit-stop nas voltas finais da prova.

Sergio Pérez acompanhou o companheiro de equipe Verstappen e Bottas no pódio, retornando ao top-3 depois de 8 corridas de ausência. Charles Leclerc, da Ferrari, foi o quarto colocado.

Confira as declarações dos pilotos após o GP da Turquia:

VALTTERI BOTTAS; MAX VERSTAPPEN; GP DA TURQUIA; F1; FÓRMULA 1; SERGIO PÉREZ;
A festa do pódio do GP da Turquia de Fórmula 1 (Foto: Umit Bektas/Red Bull Content Pool/Getty Images)

Valtteri Bottas, vencedor: Bottas celebra vitória “muito merecida” na Turquia: “Das melhores da minha vida”

Max Verstappen, segundo: Verstappen sorri com resultado na Turquia, mas ressalta: “Temporada ainda é parelha”

Sergio Pérez, terceiro: 3º, Pérez celebra retorno ao pódio emcorrida bem intensa” na Turquia

Charles Leclerc, quarto: Leclerc admite confusão sobre momento para pit-stop na Turquia: “Sem arrependimentos”

Lewis Hamilton, quinto: 5º, Hamilton revela frustração na Turquia: “Deveria ter ficado na pista ou parado antes”

Pierre Gasly, sexto: “Estou feliz por voltar a terminar no top-5, acho que essa foi uma das melhores performances da temporada, especialmente nestas condições difíceis. Terminar a 10s do pódio e depois de uma punição de 5s é bom para nós. O incidente na curva 1 foi infeliz, fiquei em um sanduíche entre Sergio [Pérez] e Fernando [Alonso], tocamos e isso foi suficiente para rodar o Alonso, queria pedir desculpas a ele. Depois disso, o ritmo foi forte, estou satisfeito com a performance do carro neste fim de semana. É bom ter sido rápido desde a sexta.”

Lando Norris, sétimo: “Foi uma corrida muito longa e difícil hoje, sobretudo por conta das condições. Foi muito difícil manter os intermediários numa boa janela de funcionamento durante a corrida, mas acho que conseguimos tudo o que foi possível no fim, então tenho de estar feliz com o sétimo lugar. Foi uma limitação de danos para nós nesta pista, mas saímos com o melhor resultado possível. Então, estou feliz com isso e só precisamos melhorar mais para a próxima. É importante que nos recuperemos e sigamos trabalhando para a próxima.”

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

CARLOS SAINZ; FERRARI; GP DA TURQUIA; FÓRMULA 1;
Carlos Sainz foi eleito pelos fãs como o Piloto do Dia do GP da Turquia (Foto: Scuderia Ferrari)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Carlos Sainz, oitavo: Sainz minimiza erro da Ferrari em pit-stop no GP da Turquia: “Não é dia de se lamentar

Lance Stroll, nono: “Estou feliz com o resultado hoje e acho que tiramos tudo do carro, então foi um ótimo trabalho feito pela equipe. Foi complicado porque a pista estava muito escorregadia. Foi também um desafio com a pista secando em determinados trechos, o que provocou a granulação dos pneus, e a incógnita sobre a troca para os slicks sempre esteve presente. Levando em conta todas essas coisas, o nono lugar foi o máximo que poderíamos ter alcançado hoje. Perdemos um pouco de tempo no pit-stop, mas não acho que faria muita diferença no resultado final. Estou animado para seguir para os Estados Unidos porque é uma chance de passar um pouco mais de tempo em casa, no Canadá, antes de nos concentrarmos na luta por pontos em Austin.”

Esteban Ocon, décimo:  “Marcar 1 ponto hoje é um sentimento agradável depois de um fim de semana desafiador e de uma corrida bem longa. Foi bom arriscar hoje indo até o fim com um jogo de pneus, algo que você não vê com frequência. Também foi bom dar aos caras uma folga dos pit-stops nesta tarde. Lembro que foi nesta corrida, no ano passado, o mesmo poderia ter sido possível. Foi difícil, mas temos uma pequena recompensa por isso no fim. Gostei das disputas na pista também, conseguimos forçar, foi divertido. 1 ponto é bom e espero que possamos seguir avançando em cima disso para a próxima corrida.”

Antonio Giovinazzi, 11º: “Ficamos a apenas uma volta de chegar aos pontos, e isso é frustrante demais. A corrida não foi ruim, em que pese ter largado mais atrás por conta da classificação ontem, o que tornou tudo mais difícil. Demos o nosso melhor, mas infelizmente não foi o bastante, e pela menor margem, só 1s. Tivemos um bom ritmo nas últimas corridas, por isso vamos focar em recuperar os pontos na próxima corrida, em Austin.”

Kimi Räikkönen, 12º: “Foi uma boa corrida, mas no fim das contas não tiramos nada dela. As condições estavam boas, muito consistentes ao longo da corrida e tivemos um ritmo decente. Mesmo assim, foi muito difícil passar alguém, mesmo com alguns deles sofrendo demais com os pneus. Estivemos bem perto dos pontos, mas ficamos sem voltas para fazê-lo”.

Daniel Ricciardo, 13º: “Acho que tivemos talvez umas quatro voltas na corrida em que tivemos bom ritmo, mas o restante foi complicado. No começo, sofremos muito com a aderência dianteira, por isso foi muito difícil ficar perto dos outros, e depois fomos aos boxes para colocar novos pneus. Depois disso, não tive uma boa aderência traseira e estava sofrendo muito, mas depois de um tempo foi bom. Provavelmente, tivemos umas quatro boas voltas neste período em que pude perceber que podia forçar com o pneu, era o que eu estava buscando. De toda a corrida, isso foi o positivo. Fiquei um pouco animado porque achei que fosse melhorar cada vez mais, mas durou quatro voltas, depois a traseira ficou ruim de novo. Então, as dez últimas voltas foram um pouco sofridas, foi só para tentar suportar. Obviamente, estávamos lutando pelos pontos, e aquela estratégia era nossa melhor chance, mas foi algo imprevisível. Sei que outros fizeram [stints] mais longos, com um deles fazendo a corrida inteira com um jogo de pneus, mas no fim vi meus pneus, e eles estavam nas últimas. Infelizmente, não foi uma corrida boa, mas vamos tentar analisar isso. De positivo, temos muita carne para comer muito em breve. Isso me deixa muito feliz. Que venha Austin!”.

LEWIS HAMILTON; YUKI TSUNODA; DUELO; MOLHADO; GP DA TURQUIA;
O duelo improvável do começo da corrida: Hamilton x Tsunoda (Foto: F1/Twitter)

Yuki Tsunoda, 14º: “É uma pena, penso que estávamos em posição para fechar no top-10. Desgastei muito os pneus no início batalhando com Hamilton, e depois disso foi difícil manter o ritmo. Infelizmente, rodei e isso acabou com minha corrida. Hoje foi outra grande curva de aprendizado para mim, completar tantas voltas com pneus intermediários. Mas estou decepcionado, esperava conquistar pontos para ajudar o time no campeonato.”

George Russell, 15º: “Definitivamente não foi uma corrida fácil hoje. As primeiras 10 voltas foram boas, mas assim que o intermediário começou a desgastar na linha seca, começou a dificultar. As condições foram únicas de um jeito que, mesmo que a linha seca aparecesse, por conta das nuvens e da temperatura, não esteve perto de trocarmos para pneus de pista seca. Podemos aprender algo de hoje, mesmo sem o ritmo que esperávamos ter, foi algo difícil para todos controlarem.”

Fernando Alonso, 16º: Alonso lamenta ficar em 5º só “por 200 m” e se vê “acumulando sorte”

Nicholas Latifi, 17º: “A minha corrida acabou ao rodar na primeira volta, e a partir disso, estava muito atrás para recuperar o terreno que perdi. Também gastei muito tempo tentando passar os carros da Haas, do Mick Schumacher e Nikita Mazepin. No entanto, foi meu primeiro GP completamente no molhado e foi uma boa experiência. É claro, não foi o resultado que queríamos, mas nosso ritmo foi bom o tempo inteiro, tentei compensar pelo tempo que perdi, mas em condições como esta, você precisa ser reservado com a forma com que acelera. É parte do aprendizado, então ainda há coisas a se aprender de hoje, mas é frustrante porque você ainda quer um resultado positivo.”

Sebastian Vettel, 18º: Vettel admite erro com pneus slicks no molhado na Turquia: “Foi pior do que esperava”

Mick Schumacher, 19º: “Sabíamos que seria complicado e acho que, como não houve um caos real, o resultado que obtivemos hoje foi realista de qualquer forma. Mais uma vez, aprendemos muito, aprendemos a ser competitivos no começo da corrida e só temos de analisar como podemos melhorar. No geral, foi um fim de semana muito positivo. Não há motivo para ficar triste porque não estou na luta pelo título, então vou aceitar qualquer coisa boa deste fim de semana e deixar para trás qualquer coisa ruim e aprender com isso.”

Nikita Mazepin, 20º: “Os organizadores da corrida fizeram um trabalho incrível desde o ano passado para melhorar as condições para os pilotos. Da minha parte, foi uma grande alegria estar aqui o fim de semana todo. Fiz uma corrida limpa, não me meti em problemas na primeira volta e pilotei da melhor forma possível. Infelizmente, você sabe que as condições estiveram muito estranhas hoje no que diz respeito à pista, que nunca secou por completo. Não imaginava que os pneus intermediários precisam de tempo para entrar numa condição de slicks para nos dar bons tempos. Tais condições não têm preço porque, por mais que sejam difíceis de pilotar, são muito úteis.”

F1 NA TURQUIA: BOTTAS VENCE E VERSTAPPEN RECUPERA A LIDERANÇA DO CAMPEONATO | Briefing

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar