Consultor confirma acordo entre Red Bull e Honda para uso de motores partir de 2022

Em entrevista, Helmut Marko confirmou o acerto entre Honda e Red Bull para utilização de motores da fabricante japonesa nos próximos anos, mas com desenvolvimento da equipe. Apesar disso, o acordo ainda precisa passar por aprovação da FIA e das rivais na Fórmula 1

O mistério acabou. A Red Bull alcançou um acordo para continuar utilizando motores Honda a partir de 2022. No ano passado, a montadora japonesa anunciou que 2021 seria a última temporada na Fórmula 1, deixando Red Bull e AlphaTauri sem fornecedora. A confirmação foi feita por Helmut Marko, consultor das equipes, em entrevista ao site Auto Motor und Sport.

De acordo com o dirigente, a Red Bull continuará o desenvolvimento dos motores Honda, com recursos próprios, até 2025 ou 2026, quando há a possibilidade da introdução da próxima geração de unidades de potência. Resta apenas a Federação Internacional de Automobilismo aceitar as condições de ambas as partes. Outras montadoras, como Renault, Mercedes e Ferrari também precisam concordar com a decisão.

“Os estudos estão bem encaminhados. Tudo foi acertado entre a gente. O momento é agora. Mas ainda não há acordo até que seja definido pela FIA a pausa no desenvolvimento dos motores”, afirmou Marko.

Honda também fornece motores para a AlphaTauri (Foto: Red Bull Content Pool)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

A Red Bull solicitou congelamento dos motores a partir de 2022 para que possa seguir com as unidades de potência da Honda após a saída dos japoneses da categoria. As concorrentes, no entanto, não se mostraram favoráveis à mudança no regulamento.

A medida, já estudada pela Fórmula 1, seria também uma maneira de frear custos e salvar equipes da crise financeira causada pela pandemia. Outra mudança causada pela Covid-19 foi o adiamento do novo regulamento para 2022, dando mais tempo para os times trabalharem em seus projetos.

Outra grande mudança foi o comprometimento de todos os times com o novo Pacto da Concórdia da Fórmula 1, aquele que regula as relações comerciais e esportivas da categoria, até 2025.

O Pacto da Concórdia determina quanto cada equipe recebe de premiação ou tem de pagar de inscrição no início de cada temporada. Além isso, é responsável pela análise de quesitos amplos, como regras sobre os direitos de transmissão da categoria, ou aspectos mais específicos e que evoluem com os anos, como taxas pagas pelos promotores para realizar uma etapa do Mundial e veiculação de imagens de um fim de semana de corrida.

Ouça os programas do GRANDE PRÊMIO no formato de podcast:
Anchor | Apple | Spotify | Google | Pocket Cast | Radio Public | Breaker

Siga o GRANDE PRÊMIO nas redes sociais:
YouTube | Facebook | Twitter Instagram | Pinterest | Twitch | DailyMotion

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube