Cotado na Sauber, Sutil dispara críticas contra atuação da Force India em 2013: “Carro era uma cenoura”

13º colocado no campeonato, alemão espinafrou VJM06, modelo construído pelo time indiano para 2013, e condenou também trabalho em conjunto da equipe: "Isso é algo que eu nunca tinha vivenciado. Jogamos fora pelo menos 30, 35 pontos", criticou

 
O futuro de Adrian Sutil na F1 segue sendo uma incógnita – ao menos oficialmente. O alemão, que ainda está sob contrato com a Force India, disse recentemente que já sabe onde vai correr em 2014, mas não confirmou por qual equipe. Seu futuro era dado como certo na própria escuderia indiana, mas rumores recentes começaram a ligá-lo à Sauber.
 
Se, como diz o ditado, para bom entendedor, meia palavra basta, o tedesco de 30 anos deu um arsenal de argumentos para que seja cada vez maior a certeza de que ele não permanecerá no time de Vijay Mallya na próxima temporada. Em entrevista à revista 'Auto Motor und Sport', Sutil não poupou críticas ao VJM06, modelo da equipe em 2013.

"O carro não era particularmente bom. Tivemos todos os problemas que você poderia ter, com o carro saindo nas curvas lentas, nas curvas rápidas… Não podia ser feito muito nos ajustes de dentro do cockpit", criticou Adrian. "Em última análise, o carro era simplesmente uma cenoura. Simplesmente não havia nada que funcionasse", disparou.


Não reclame, Sutil. Namore mais (Foto: Force India)

A expectativa do alemão, contudo, é a de que os novos motores turbo modifiquem o cenário. "Tudo vai ser muito diferente com o V6. Acho que as mudanças vão nos trazer de volta ao jogo. Neste momento, está chato com a Red Bull. Eles dominaram esta temporada. Agora vamos ver quem, na nova era, terá seu nariz na frente."
 
Mais uma vez sem revelar seu futuro, Sutil repetiu que vê sua atuação como boa o suficiente para permanecer na F1 em 2014, mas não sem espinafrar a Force India novamente – claro indício de um rompimento com Mallya. 
 
"Acho que fiz um bom trabalho. Talvez aqui e ali tenham pequenos erros, mas no geral foi bom", comentou. "Jogamos fora muitos bons resultados. Por má sorte, por outros pilotos ou por erros nos pit-stops no começo do ano. Isso é algo que eu nunca tinha vivenciado. Jogamos fora ao menos 30, 35 pontos", encerrou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube