Criticado, Stroll minimiza falta de pontos e garante foco na evolução: “Vejo minhas fraquezas e tento melhorar”

Lance Stroll ainda não pontuou em seu ano de estreia na F1, mas isso não é motivo de preocupação. O piloto canadense explica que parte para os GPs em busca de evolução, e não necessariamente de resultados

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Lance Stroll enfrenta grandes dificuldades em seu primeiro ano na F1. Lidando com um árduo processo de adaptação aos carros da categoria, o canadense sofre com abandonos e resultados abaixo da média. Em Mônaco, o piloto chegou ao sexto GP fora da zona de pontos, enquanto o veterano Felipe Massa já ficou entre os dez melhores quatro vezes. Mas talvez isso seja o de menos: o canadense acredita que o que mais importa na temporada não é pontuar, e sim evoluir.
 
“Eu tenho objetivos em termos de coisas que preciso melhorar. Em termos de posições, não”, disse. “Por exemplo, eu não vou para o Canadá dizendo ‘preciso terminar nos pontos’ porque essa abordagem é errada. Eu vou para o Canadá, vejo minhas fraquezas e tento melhorar nessas áreas. Aí, se tudo der certo, os pontos vão vir”, ponderou.
 
“Esse é o meu jeito, desde o início da carreira. Não crio expectativas, até por saber que seria muito desafiador. Eu simplesmente venho, trabalho de corrida em corrida e vejo o que acontece”, explicou.
Lance Stroll ainda não pontuou na F1 (Foto: AFP)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

O currículo de Stroll tem como destaque o título na F3 Europeia, conquistado com certa facilidade. Depois do campeonato, o piloto aproveitou a relação com a Williams para fazer testes privados com um carro de F1 de 2014. O acordo com a Williams para 2017 ficou evidente: apoiado pelo pai milionário, Lance teria uma grande chance na Williams.
 
E, mesmo que resultados não venham, Stroll acredita que a Williams não vai ficar decepcionada.  “Eu tenho 18 anos, a equipe sabe disso. É um ano desafiador na F1, e acho que a equipe tem um projeto maior do que só pensar no próximo ano”.

ALONSO ATINGE NOVO PATAMAR NA HISTÓRIA DO AUTOMOBILISMO NA ESPETACULAR INDY 500

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube