Ricciardo chama responsabilidade por corrida sprint ruim no Brasil: “Tudo minha culpa”

Daniel Ricciardo foi mal no sábado de Interlagos e fez questão de admitir que ele próprio causou os problemas que se apresentaram

Lewis Hamilton foi um dos grandes nomes da corrida sprint deste sábado em Interlagos (Vídeo: F1)

O sábado (13) da McLaren em Interlagos teve nuances. Enquanto Lando Norris conseguiu limpar Charles Leclerc da frente, Daniel Ricciardo despencou e terminou com a 11ª posição – posto em que vai largar no domingo. Mas Ricciardo não tomou atalhos ou culpou terceiros pelos infortúnios. Pelo contrário, disse que ele mesmo foi o culpado por tudo que deu errado no dia paulistano.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

De acordo com o australiano, o pior momento foi a escolha da linha assumida na largada. Acabou ultrapassado e jogado no bolo de carros inferiores aos dele, do qual não conseguiu sair. Foi o que falou em entrevista na qual o GRANDE PRÊMIO estava presente em Interlagos.

“Eu perdi duas posições na primeira volta e me coloquei no bolo dos pilotos que estavam com carros muito lentos. Tive que basicamente administrar toda a minha corrida, é muito difícil fazer melhor do que isso. Tivemos alguma ação logo de saída, escolhi o lado de dentro, mas me passavam pelo lado de fora. É frustrante, mas quero me desafiar para buscar um resultado melhor no domingo, temos uma nova chance, quero aprender e fazer melhores escolhas durante a corrida”, disse.

“Não me arrependo de não ter escolhido o pneu macio para a corrida sprint, acredito que Gasly foi mais rápido que nós, tinha um melhor acerto e um desempenho impressionante na corrida. Não acho que minha largada foi boa por conta da decisão que tomei de ir pela linha de dentro, foi tudo por minha culpa e não acho que uma estratégia diferente mudaria o curso da história”, continuou.

Daniel Ricciardo larga longe de Lando Norris (Foto: McLaren)
Paddockast #129: Tudo que você precisa saber sobre o GP de São Paulo

Um dos que ultrapassou Ricciardo foi Lewis Hamilton, que saiu de último para quinto em somente 24 voltas. O piloto da McLaren ficou impressionado.

“Fiquei surpreso o quão rápido Hamilton estava quando o vi atrás de nós, não tinha muito ritmo para duelar com ele, mas segurá-lo por algumas voltas foi legal, mas não tinha como durar muito, não progredia, então, tentei ao máximo me defender e não pude fazer mais nada”, apontou.

Por fim, Ricciardo falou do formato das corridas sprint e opinou sobre a multa expedida a Max Verstappen por tocar a asa traseira de Hamilton dentro do Parque Fechado na sexta-feira.

“Acho que a corrida sprint podia ser um pouco mais interessante, talvez abrir mão de um treino livre e colocar uma prova um pouco maior, mas eu me diverti com o treino de sexta-feira”, falou.

“Não vi Max tocar no carro de Hamilton, para ser honesto. A não ser que ele tenha empurrado devidamente o carro com as duas mãos, ok, mas se tocou com apenas um dedo… não sei o que ele fez, € 50 mil é bastante dinheiro, mas tudo bem”, finalizou.

GRANDE PRÊMIO acompanha o GP de São Paulo ‘in loco’ em Interlagos com os jornalistas Fernando Silva e Gabriel Curty, além de toda equipe de maneira remota. O GP também segue todas as atividades de pista do fim de semana AO VIVO e EM TEMPO REAL. A corrida sprint está marcada para logo mais, às 16h30 (de Brasília).

F1 EM SÃO PAULO: TUDO SOBRE A CORRIDA SPRINT EM INTERLAGOS | Briefing

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar