Kvyat fala em “traição” da Red Bull em ‘rebaixamento’ de 2016: “Facada nas costas”

Daniil Kvyat foi rebaixado da Red Bull para a então Toro Rosso sete anos atrás, mas ainda não superou a dor completamente. O russo conta que saiu de proposta na Ferrai a um rebaixamento em questão de dias e entende que foi traído pelo time austríaco

Daniil Kvyat hoje é um piloto experiente, está prestes a completar 29 anos e já passou por uma série de categorias correndo ou testando. Mas há algo que não muda para o russo: a mágoa por ter sido rebaixado da Red Bull para a Toro Rosso em 2016, para que Max Verstappen subisse ao time principal da marca de energéticos.

Sete anos depois do rebaixamento, Kvyat tratou o episódio como “facada nas costas”. Em 2015, Daniil havia fechado o campeonato na frente do companheiro Daniel Ricciardo e, em 2016, antes do fatídico GP da Rússia, em que bateu em Sebastian Vettel e foi mandado de volta para a Toro Rosso, já tinha um pódio, na China.

Relacionadas


“Eu me senti muito traído naquele momento. Foi uma facada nas costas, mas a vida é assim, você toma umas facadas pelas costas, normal. Mas isso é passado, eu tenho outra boa chance na minha carreira, então, parte de mim é grata à Red Bull e a outra segue bem descontente com isso”, disse ao podcast Track Limits.

Daniil Kvyat foi rebaixado em 2016, quando vivia boa fase (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)

Daniil ainda contou no programa que esteve perto de assinar com a Ferrari para a vaga de Kimi Räikkönen. Mas preferiu ficar na Red Bull. Ou melhor, na marca de energéticos, já que foi derrubado para a Toro Rosso pouco tempo depois.

“Estava em ótima forma. Consegui mais um pódio para o time no GP da China de 2016 e aí veio uma proposta para substituir o Kimi na Ferrari, isso tudo rolou nos bastidores. Então, mentalmente foi muito duro, sair de alguém que a Ferrari queria para voltar para a Toro Rosso do nada, não é algo que te desce bem”, completou.

A carreira de Kvyat tomou rumos impensáveis daquele GP da Rússia para frente. O russo terminou 2016 em 14º, 2017 em 19º, ficou de fora em 2018, voltou em 2019 e 2020 e foi discreto de novo. Depois, correu na Nascar, na Xfinity Series e agora ocupa a segunda colocação do WEC na classe LMP2 em 2023.

Daniil vai participar de testes da Fórmula E em Berlim e já assinou com a Lamborghini para subir de classe no WEC em 2024.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.