De Ferran discorda de chefe da Haas e vê americanos em condições de correr na F1: “Existem vários bons pilotos”

O brasileiro Gil de Ferran discorda da afirmação de Guenther Steiner, que acredita que nenhum piloto americano está pronto para competir na F1. O campeão da Indy 500 citou Josef Newgarden e Alexander Rossi como exemplos da capacidade dos EUA no automobilismo

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Os comentários de Guenther Steiner sobre a atual incapacidade dos pilotos americanos de competir na F1 repercutiram de forma negativa. Aos olhos do brasileiro Gil de Ferran, que construiu a carreira nos Estados Unidos e venceu as 500 Milhas de Indianápolis em 2003, a afirmação “não é justa” com a atual geração de pilotos do país.
 
“Não acho que é uma afirmação justa. Existem vários bons pilotos americanos, o atual campeão da Indy [Josef Newgarden] é muito talentoso”, opinou De Ferran, questionado pelo ‘Motorsport.com’. “Acho que muito do talento americano floresceu, mas focou em outra área do automobilismo, em stock car [Nascar]”, comentou.
Josef Newgarden é um americano que poderia correr na F1, pensa Gil de Ferran (Foto: IndyCar)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A popularidade da Nascar é, aos olhos do ex-piloto, um motivo para a falta de americanos no automobilismo americano.
 
“Você vê caras que hoje estão mais velhos ou aposentados, como Tony Stewart, Jeff Gordon ou Jimmie Johnson, e eles são caras extremamente talentosos”, explicou. “Mas no começo eles escolheram aquela área. Muito do talento americano vai para essa área. Então a oferta de talento é menor do que poderia ser. Mesmo assim, o Rossi é muito talentoso, o Newgarden é muito talentoso”, avaliou.
 
Steiner foi rapidamente criticado por pilotos. Mario Andretti, Conor Daly, Graham Rahal e Jeff Gordon usaram o Twitter para rebater as afirmações do dirigente, ressaltando o talento americano e lamentando a falta de oportunidades.
 

Na F1, os dois pilotos da Haas são europeus. Romain Grosjean e Kevin Magnussen tiveram seus contratos renovados e seguem em 2018. O único americano é Santino Ferrucci, que ocupa o posto de piloto reserva.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube