F1
01/03/2018 14:00

De pneus médios, Hamilton faz melhor volta da semana e lidera testes coletivos de Barcelona. McLaren passa das 160 voltas

Lewis Hamilton ficou com a melhor volta da primeira bateria de testes coletivos de pré-temporada da F1. Nesta quinta-feira (1), Hamilton estava de pneus médios e superou Stoffel Vandoorne, então líder, de pneus hipermacios. A equipe de Vandoorne, a McLaren, conseguiu ter o melhor dia de pré-temporada em alguns anos ao cruzar a marca dos 160 giros
Warm Up, de Barcelona / FERNANDO SILVA, de Sumaré / PEDRO HENRIQUE MARUM, do Rio de Janeiro
 Lewis Hamilton (Foto: Sky Sports)

Sem um clima maravilhoso e também sem o caos dos últimos dois dias, a F1 voltou à pista nesta quinta-feira (1) para o quarto e último dia da primeira bateria de testes coletivos de pré-temporada e viu algumas novidades gratas e confirmações batidas. A chuva da manhã deu lugar à pista seca da tarde e o que de mais esperado aconteceu foi uma liderança da Mercedes com Lewis Hamilton, que cravou o tempo mais rápido da semana. E com pneus médios. 
 
O tetracampeão aparecia com tempos periféricos a Stoffel Vandoorne, que foi por horas o líder dos testes utilizando pneu hipermacio. Lewis andou bastante durante a tarde - cravou mais voltas que Valtteri Bottas, piloto da manhã na Flecha Prateada. Sempre com pneus médios. Chegou a tomar a ponta em dado momento, mas teve a volta cancelada por exceder os limites da pista. Até que conseguiu cravar 1min19s333, mais de 0s5 na liderança.
 
O que de mais encorajador uma equipe fez no dia pode ser um prêmio entregue à McLaren. Stoffel Vandoorne ficou com o bólido por toda a manhã e boa parte da tarde. Testou os hipermacios, chegou a liderar e terminou o turno com 110 giros. Alonso ficou com o resto da tarde e testou apenas os pneus supermacios. Passou das 50 voltas e ficou com o quinto tempo mais rápido. Com mais de 160 voltas no dia, a McLaren saiu incólume de problemas mecânicos.
 
A terceira colocação do dia, atrás de Hamilton e Vandoorne, ficou com Sebastian Vettel. Claro que a colocação, ainda mais com diferentes tipos de pneus é secundária neste momento da pré-temporada, mas as mais de 100 voltas são importantes demais. O melhor giro do tetracampeão foi marcado com pneus macios. 
Lewis Hamilton (Foto: Twitter/F1)

O quarto lugar, por sua vez, foi de uma Haas que viveu um dia animador. Kevin Magnussen chegou a liderar em dado momento, mas mesmo após sair do topo da tabela de tempos sempre apareceu perto dela. Quarto mais rápido do dia com pneus supermacios, chegou às 90 voltas no turno.
 
Outra equipe que mudou de pilotos no meio da tarde foi a Renault. Carlos Sainz, de pneus médios, assumiu após Hülkenberg passar a manhã às voltas com a pista molhada. E Lance Stroll, na sétima colocação, enfim tirou de Robert Kubica o posto de mais rápido da Williams na pré-temporada.
 
Destaque ficou também para a bandeira vermelha causada por Max Verstappen. O holandês fazia volta rápida quando escapou da pista e acabou travado na brita e precisando de que o resgate entrasse em ação para a Red Bull sair dos arredores do traçado de Barcelona.

Saiba como foi o quarto dia de testes da F1 em Barcelona
 
A neve ficou para trás, e o tempo até deu uma melhorada em Barcelona neste primeiro dia de março. Com 7,2ºC de temperatura ambiente e pouco mais de 9,4ºC no asfalto, a F1 iniciou a sua última manhã nesta primeira semana caótica de pré-temporada em razão justamente do clima. Só que a pista começou bem molhada, fruto das chuvas que despencaram no circuito catalão durante a noite e também da neblina, que tornou a visibilidade bem reduzida nas primeiras horas do dia.
 
Sem perder tempo e pontualmente às 9h (5h de Brasília), os pilotos já deixavam os boxes para a execução das primeiras voltas de instalação. Todos usando pneus de chuva extrema, uma vez que a pista estava bem encharcada naquele momento. Marcus Ericsson tratou de puxar a fila com seu Sauber C37.
Stoffel Vandoorne liderou a primeira hora da sessão em Barcelona (Foto: McLaren)
Com 17 minutos de sessão, Stoffel Vandoorne marcou o primeiro tempo do dia: 2min00s707. Era o prenúncio de uma manhã bem mais movimentada que a anterior. Mesmo com o belga reduzindo em seguida para 1min59s167, ainda era um tempo muito longe de ser algo significativo. As condições da pista impediam uma análise mais clara do desempenho de cada carro.
 
Entre os stints aqui e ali, os pilotos buscavam analisar as condições da pista, mas na primeira hora apenas Vandoorne, que depois melhorou seu tempo para 1min49s041, e Ericsson, tinham tempo aferido. E foi justamente o sueco, com exatamente uma hora de sessão, o responsável pela primeira bandeira vermelha do dia ao escapar na curva 2.



12 minutos depois, a bandeira verde voltou a tremular em Barcelona. Sem tempo a perder, logo a McLaren mandou Vandoorne de volta à pista. O belga, que já tinha 15 voltas completadas, foi baixando cada vez mais sua marca e também ganhando mais quilometragem, chegando a 21 giros antes de encerrar seu stint. 
Sergey Sirotkin foi o primeiro a andar na casa de 1min40s nesta quinta-feira (Foto: Williams)
Aí Pierre Gasly e Sergey Sirotkin registravam seus primeiros tempos do dia. Com uma hora e meia de sessão, Vandoorne aparecia na frente com 1min43s433, 0s561 mais rápido que Sirotkin, e Gasly, 4s502 atrás e apenas cinco voltas, em terceiro. Mas enquanto Stoffel estava nos boxes, Sirotkin aproveitou a sequência de voltas rápidas para assumir a ponta, chegando à casa de 1min40s. Esse era um sinal de que a pista começava a secar. Outro sinal foi a entrada de Sebastian Vettel na pista com os pneus intermediários, sendo o primeiro a fazê-lo. Por outro lado, Sergio Pérez e Max Verstappen ainda continuavam nos boxes de Force India e Red Bull, respectivamente.

E foi com os intermediários que Vettel, na esteira de um bom stint, tomou a ponta da sessão e foi o primeiro a andar abaixo de 1min40s, com 1min39s791. Bottas, também com os pneus 'verdes', já aparecia em segundo. Ferrari e Mercedes na ponta, na ordem natural de forças da F1. Mas foi aí que a Mercedes tratou de mostrar à F1 que aparentemente começa mais um ano com o melhor carro.

Bottas encaixou uma série muito boa de voltas rápidas com os intermediários e não teve dificuldades não só para superar, mas como sobrar perante Vettel. No ápice do seu stint, o nórdico cravou 1min33s774. Seb, por sua vez, completou sua melhor volta nesta fase do treino com 1min36s162 e seguiu com uma simulação de corrida, daí a diferença. Quem também chamava a atenção era a presença de Pierre Gasly em terceiro, logo à frente da McLaren de Vandoorne.

Pista mais seca provoca reviravolta e põe até Magnussen na liderança

O que se viu pouco depois foi uma improvável mudança na liderança da sessão. Primeiro, Magnussen, na esteira de uma bela sequência de voltas com os intermediários, marcou 1min33s514 para assumir a ponta. Mas o dinamarquês durou poucos minutos lá. Hülkenberg superou a Haas e se colocou na dianteira depois de passar a 1min33s059. Renault em primeiro, Haas em segundo. E Verstappen finalmente partia para realizar sua primeira volta rápida.
Pierre Gasly também liderou a sessão. Mesmo que por alguns segundos (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)

Foi a senha para uma série de mudanças bruscas na tabela de tempos. Até Gasly, em uma das suas voltas rápidas, chegou a liderar. E também o sinal que faltava para que as equipes espetassem os pneus slicks nos carros. Foi assim que Bottas — o primeiro a fazê-lo — pulverizou os tempos dos rivais. Com seguidas voltas rápidas usando os pneus médios, o finlandês rompeu com facilidade a casa de 1min30s e retomou a liderança. Na sequência, todos melhoraram com os slicks.

Bottas avançou muito mais e alcançou os 1min22s789. Mas Hülk foi ainda mais rápido e colocou a Renault na ponta, no instante em que Pérez voltava à pista com os pneus ultramacios. E Vandoorne, assim como na terça-feira, calçou sua McLaren com os hipermacios. Foi questão de tempo para o belga novamente retomar a ponta ao marcar 1min20s899. Hülkenberg, de macios, aparecia em segundo, com Bottas, calçado pelos pneus médios, vinha em terceiro, seguido por Vettel, de macios. Ericsson, de supermacios, fechava o top-5.

A parte da tarde marcou alguma substituições: Hamilton assumiu o volante do Mercedes W09, enquanto Lance Stroll comandou os trabalhos da Williams. E Charles Leclerc tratou de acelerar o Sauber no lugar de Marcus Ericsson. Vandoorne continuou na pista e foi o primeiro a passar das 100 voltas completadas. De quebra, com novo stint com os pneus hipermacios, ampliou a dianteira ao marcar 1min19s854. Vettel também voltou à pista com outro jogo de macios e chegou a ficar perto, mas não o bastante para superar o piloto da McLaren. Quem se aproximou mesmo foi Hamilton, que acelerava com os pneus médios e subia para segundo, logo atrás de Stofell.

Os pilotos resolveram entrar em peso na pista lá pelas 11h15 (de Brasília). Vettel, de olho em completar muito do programa do qual a Ferrari abdicou na quarta-feira, terminou simulação de corrida e entrou nos boxes apenas para treinar pit-stops. Assim que acabou, voltou para o traçado catalão. Dos lados de Renault e McLaren, substituições: Carlos Sainz assumia das mãos de Hülkenberg, enquanto o líder do dia, Vandoorne, passava o carro laranja-papaia para Fernando Alonso após 110 voltas.
 
Sainz, recém-chegado, aparecia rápido entre os cinco mais rápidos com uma volta de 1min20s940. Hamilton até pulou para a ponta com uma bela volta, mas logo viu o tempo ser cancelado por passar dos limites da chicane. Alonso demorou um pouco mais a sair e foi com pneus supermacios. Deu oito voltas antes de ver o rendimento cair e entrar de volta nos boxes. Logo voltou, ainda com os supermacios.
 
A bandeira vermelha foi tremulada às 12h18, quando Verstappen escapou da pista e ficou preso na brita. 15 minutos depois, bandeira verde novamente. Imediatamente seis pilotos pularam para a pista: Hamilton, Alonso, Magnussen, Pérez, Gasly e Leclerc. Com uma McLaren que passou o dia sem problemas, Alonso cruzou a marca de 20 voltas após as 110 de Vandoorne.
Lewis Hamilton (Foto: Mercedes)

Mercedes mostra o rosto
 
A volta rápida mesmo, no entanto, foi de Hamilton. Com um brutal 1min19s333, o tetracampeão mundial pulou para a ponta da tabela de classificação, com sobras e pneus médios.

Alonso pulou para a quinta colocação, bem à frente de Sainz e Stroll. O canadense, aliás, conseguiu melhorar a volta para tomar a melhor volta da Williams na pré-temporada das mãos de Robert Kubica. Outro que, com pneus supermacios, mostrava rendimento satisfatório era Magnussen. Se o dinamarquês da Haas não teve como manter a liderança do começo da tarde, se segurou no segundo do líder por todo o tempo.
 
Com meia hora para o fim da baila, uma breve bandeira vermelha. Leclerc escapou no segundo setor da pista e acabou voltando com sujeira de brita. Mas a parada foi rápida. Alonso ficou na pista para cruzar a marca de 50 giros, sete das dez equipes contavam com carros no grid nos dez minutos finais. 161 giros para a McLaren encerrar em alta o último dia da primeira bateria de testes de pré-temporada.

F1, Barcelona, Pré-temporada, Dia 4:

1   44 Lewis HAMILTON ING Mercedes 1:19.333   69
2   2 Stoffel VANDOORNE BEL McLaren Renault 1:19.854 +0.521 110
3   5 Sebastian VETTEL ALE Ferrari 1:20.241 +0.908 120
4   20 Kevin MAGNUSSEN DIN Haas Ferrari 1:20.317 +0.984 96
5   14 Fernando ALONSO ESP McLaren Renault 1:20.929 +1.596 51
6   55 Carlos SAINZ JR ESP Renault 1:20.940 +1.607 60
7   18 Lance STROLL CAN Williams Mercedes 1:21.142 +1.809 54
8   11 Sergio PÉREZ MEX Force India Mercedes 1:21.973 +2.640 65
9   33 Max VERSTAPPEN HOL Red Bull Tag Heuer 1:22.058 +2.725 35
10   10 Pierre GASLY FRA Toro Rosso Honda 1:22.134 +2.801 147
11   27 Nico HÜLKENBERG ALE Renault 1:22.507 +3.174 49
12   77 Valtteri BOTTAS FIN Mercedes 1:22.789 +3.456 60
13   16 Charles LECLERC MCO Sauber Ferrari 1:22.808 +3.475 59
14   9 Marcus ERICSSON SUE Sauber Ferrari 1:23.825 +4.492 79
15   35 Sergey SIROTKIN RUS Williams Mercedes 1:31.979 +12.646 47