Di Resta surpreende, aproveita pista seca no fim e lidera primeiro treino agitado em Montreal. Massa é 11º

A Force India abriu o fim de semana do seu 100º GP na frente em Montreal. Paul di Resta liderou o primeiro treino livre do GP do Canadá, que iniciou com pista encharcada, mas secou consideravelmente no fim. Felipe Massa fechou em 11º

Um resultado surpreendente marcou o início do fim de semana do GP do Canadá, sétima etapa da temporada 2013 do Mundial de F1. A sessão, que começou com a pista bastante encharcada, mas que teve o asfalto seco nos minutos finais, foi bastante agitada e teve muita alternância nas primeiras posições. Nos segundos finais, Paul di Resta, já fazendo uso dos pneus médios, assinalou 1min21s020, iniciando de maneira muito positiva o fim de semana do 100º GP da história da Force India na F1.

Di Resta superou Jenson Button por meros 0s088. Romain Grosjean, da Lotus, completou o rol dos três primeiros colocados. Fernando Alonso foi o quarto, seguido por Kimi Räikkönen. Felipe Massa apareceu com mais destaque na sessão apenas na metade final. O único brasileiro do grid da F1 em 2013 fechou a tomada de tempos em 11º.
Paul di Resta liderou o primeiro treino do fim de semana no Canadá (Foto: Force India)

O fim de semana do GP do Canadá começou debaixo de uma chuva fina e insistente. Assim, os pilotos não tiveram como testar os pneus-protótipo que a Pirelli planejou levar à pista nesta sexta-feira visando estreá-los em Silverstone. O começo da sessão, que teve como novidade a presença de Alexander Rossi no lugar de Charles Pic no cockpit da Caterham, foi marcado pelo uso de pneus de chuva intensa, principalmente por conta das enormes poças de água ao longo do circuito.

Com temperatura ambiente em 15ºC e 16ºC no asfalto, o treino começou com os pilotos deixando os boxes para a execução de voltas de instalação e reconhecimento da pista. Felipe Massa e Pastor Maldonado, por conta dos acidentes sofridos em Mônaco, há duas semanas, iniciaram o fim de semana em Montreal com novo chassi. Entretanto, por conta das condições complicadas do asfalto na sexta-feira, era possível dizer que o treino foi pouco produtivo, já que a previsão para domingo, dia da corrida, é de tempo bom.

Esteban Gutiérrez, aos 16 minutos de sessão, foi o primeiro piloto a anotar tempo neste primeiro treino livre em Montreal. O mexicano registrou 1min34s113 com pneus para chuva intensa. Por sua vez, Vettel foi o primeiro a deixar os boxes calçando os intermediários (identificados pela cor verde) para verificar a secagem do asfalto. Todavia, o tricampeão do mundo logo retornou aos boxes sem marcar tempo.

Por algum tempo, Gutiérrez foi o único piloto a registrar, de maneira constante, voltas cronometradas em Montreal. Até que Webber colocou a Red Bull #2 na pista e, com pneus intermediários, melhorou consideravelmente o tempo de Esteban e cravou 1min29s412, embora a pista ainda estivesse bastante encharcada. Em seguida, Mark melhorou e anotou 1min27s909.
Vettel liderou boa parte da sessão matinal, mas terminou em nono (Foto: Getty Images)
A boa performance do veterano australiano encorajou outros pilotos, que pouco a pouco deixaram os boxes do circuito Gilles Villeneuve. Finalmente o treino ganhava um pouco de ação na manhã fria e chuvosa da belíssima Montreal. Räikkönen, Nico Hülkenberg, Jean-Éric Vergne, Daniel Ricciardo, Valtteri Bottas, Max Chilton, Lewis Hamilton e Nico Rosberg encararam o asfalto molhado do Canadá e logo seriam seguidos pelos adversários.

Não demorou muito para que o tempo de Webber fosse superado. Räikkönen, em um stint de voltas rápidas, bateu o australiano em 0s575 e assumiu a ponta de maneira provisória. Por outro lado, Bottras, compatriota de Kimi, dava suas escapadas devido ao asfalto traiçoeiro de Montreal.

Mas graças à passagem constante dos carros, a pista ia formando, aos poucos, um trilho seco. Sem chuva naquele momento, Vergne aproveitou para pular na frente da sessão ao marcar 1min26s436. Ótima marca obtida após o treino avançar no seu primeiro terço, mas fatalmente o francês da Toro Rosso seria batido pouco tempo depois. Tanto que Rosberg, invicto durante o fim de semana do GP de Mônaco, superou Jean-Éric em pouco mais de 0s3. Em seguida, outro grande tempo por parte do alemão: 1min24s902 após nove voltas.

Enquanto Jules Bianchi enfrentava problemas com sua Marussia, Massa permanecia nos boxes. Era o único dentre os 22 pilotos da sessão que ainda não havia registrado volta rápida em Montreal. O único brasileiro no grid da F1 não ficou muito tempo na pista, mas conseguiu assinalar o 17º tempo provisório antes de voltar para os boxes. 

No momento em que Felipe recolheu para os pits, Webber e Hamilton vinham logo atrás. O australiano, em ritmo mais lento, e Lewis em volta rápida. Para evitar o choque na Red Bull do veterano, o piloto da Mercedes teve de passar em cima da grama molhada e perdeu a chance de melhorar sua marca na sessão. Mas na volta seguinte, o britânico acelerou e cravou o segundo tempo, completando uma momentânea dobradinha da Mercedes.

Restando pouco menos de 40 minutos para o encerramento da sessão, já era possível ver um trilho seco bem maior em boa parte da pista. Os pilotos, contudo, ainda resistiam em usar pneus para pista seca em Montreal. Mesmo com os intermediários, Rosberg melhorou ainda mais sua marca ao cravar 1min23s680. Vettel veio em seguida e tomou o segundo lugar de Hamilton ao assinalar tempo 0s3 mais lento que o de Nico.

Na sequência, finalmente Vettel conseguiu quebrar o domínio da Mercedes de Rosberg. Com 1min23s047, o tricampeão do mundo colocou a Red Bull na frente do primeiro treino livre do GP do Canadá, ainda com pneus intermediários.

Enquanto isso, a Toro Rosso liberava Vergne à pista com os pneus-protótipo médios que a Pirelli sonhava em testar nesta sexta-feira. O francês foi o primeiro piloto da sessão a deixar os boxes com compostos para pista seca. Mas antes de completar uma volta rápida, Jean-Éric retornou aos boxes quando restavam 20 minutos para o fim do treino. Não havia condição para testar os protótipos desenvolvidos pela fornecedora italiana.
Massa fechou o treino livre da manhã na 11ª colocação (Foto: Getty Images)
Os pneus intermediários seguiam sendo os mais rápidos da sessão. Tão rápidos eram os compostos que Max Chilton fez uma ótima volta com o carro da Marussia e pulou para a sétima colocação. Sétima que virou oitava quando o britânico foi superado por Giedo van der Garde, da não menos nanica Caterham. Lá na frente, contudo, Vettel seguia soberano na ponta. Uma das surpresas era Gutiérrez, em terceiro.

Em contrapartida, a Ferrari decepcionava em Montreal. Tanto Alonso quanto Massa tiveram pouco tempo de pista pela manhã, assim como Pérez, da McLaren. Todos eles deixaram os boxes com os pneus-protótipo, mas a escuderia de Maranello optou por fazer apenas testes aerodinâmicos. Räikkönen e Vettel também foram à pista com pneus para pista seca, mas os habituais médios, uma das escolhas da Pirelli para Montreal ao lado dos supermacios. 

No fim da sessão, praticamente todos os pilotos foram para o treino com os pneus médios. Neste stint, Räikkönen se deu bem e conseguiu registrar a segunda melhor marca, ficando só atrás de Vettel. Mas Button foi ainda melhor e superou os dois, assumindo a liderança provisória da sessão ao registrar 1min21s551. O primeiro treino no Canadá ganhou uma ótima dinâmica nos minutos derradeiros. Em seguida, Kimi também melhorou e novamente subiu para segundo, logo atrás de Jenson.

Aí Pastor Maldonado, que estava sumido no treino, apareceu, mas de forma negativa. Em péssima fase, o venezuelano perdeu o controle do seu FW35, rodou e bateu de frente com o muro na saída da curva 3. Praticamente o treino acabou ali, com Button em primeiro, Räikkönen em segundo e Daniel Ricciardo, de maneira surpreendente, em terceiro. Massa melhorou consideravelmente sua colocação e saltou de penúltimo para décimo colocado no Canadá.

Mas ainda faltavam alguns segundos. Logo que o carro de Pastor foi retirado do local, alguns pilotos conseguiram melhorar suas respectivas marcas. E o grande destaque foi Paul di Resta que, no fim de semana do GP de número 100 da Force India, registrou a melhor marca logo nos segundos finais. O escocês assinalou 1min21s020, 0s088 mais rápido que Button, e liderou a primeira sessão livre em Montreal.

F1, GP do Canadá, Montreal, treino livre 1:
1 Paul DI RESTA ESC Force India Mercedes 1:21.020   10
2 Jenson BUTTON ING McLaren Mercedes 1:21.108 +0.088 20
3 Romain GROSJEAN FRA Lotus Renault 1:21.258 +0.238 21
4 Fernando ALONSO ESP Ferrari 1:21.308 +0.288 16
5 Kimi RÄIKKÖNEN FIN Lotus Renault 1:21.608 +0.588 22
6 Daniel RICCIARDO AUS Toro Rosso Ferrari 1:22.068 +1.048 18
7 Nico ROSBERG ALE Mercedes 1:22.402 +1.382 22
8 Sergio PÉREZ MEX McLaren Mercedes 1:22.587 +1.567 17
9 Sebastian VETTEL ALE Red Bull Renault 1:23.047 +2.027 26
10 Mark WEBBER AUS Red Bull Renault 1:23.131 +2.111 16
11 Felipe MASSA BRA Ferrari 1:23.341 +2.321 13
12 Valtteri BOTTAS FIN Williams Renault 1:23.352 +2.332 17
13 Jean-Éric VERGNE FRA Toro Rosso Ferrari 1:23.386 +2.366 19
14 Adrian SUTIL ALE Force India Mercedes 1:23.417 +2.397 19
15 Esteban GUTIÉRREZ MEX Sauber Ferrari 1:23.957 +2.937 33
16 Lewis HAMILTON ING Mercedes 1:25.054 +4.034 21
17 Nico HÜLKENBERG ALE Sauber Ferrari 1:25.354 +4.334 22
18 Giedo VAN DER GARDE HOL Caterham Renault 1:25.753 +4.733 21
19 Max CHILTON ING Marussia Cosworth 1:25.821 +4.801 19
  TEMPO 107% TL1     1:26.621 +5.601  
20 Alexander ROSSI EUA Caterham Renault 1:27.143 +6.123 20
21 Pastor MALDONADO VEN Williams Renault 1:27.522 +6.502 11
22 Jules BIANCHI FRA Marussia Cosworth 1:29.306 +8.286 8
               
REC Ralf SCHUMACHER ALE Williams BMW FW26   1:12.275 12/06/2004  
MV Rubens BARRICHELLO BRA Ferrari F2004   1:13.622 13/06/2004  
               
  Condições do tempo              NUBLADO COM PISTA MOLHADA   ar:15-16ºC |
pista: 15-16ºC
 
Pneu protótipo                                     Pneu médio      
Pneu intermediário            

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube