“Dia triste” e “piloto espetacular”: esporte a motor reage à morte de Wilson Fittipaldi

Nomes importantes do automobilismo brasileiro lamentaram a morte de Wilson Fittipaldi Jr., que faleceu na manhã desta sexta-feira em São Paulo após dois meses de internação

O automobilismo brasileiro se reuniu hoje para lamentar a perda de Wilson Fittipaldi Jr., que morreu na manhã desta sexta-feira (23). Pilotos e nomes importantes do esporte ofereceram suas condolências à família e lamentaram a partida de um nome de peso da história do esporte a motor no Brasil.

“Hoje é um dia triste para nós. Perdemos um ícone no nosso automobilismo”, lamentou Felipe Massa, ex-piloto da Fórmula 1 e atual piloto da Stock Car e do IMSA. “Descanse em paz, Wilsinho. Meus sentimentos a toda família e amigos”, finalizou.

Relacionadas


CEO da Vicar, que comanda a StockCar, Fernando Julianelli destacou a contribuição de Wilson para o esporte a motor e sua veia empreendedora e inovatia, e relembrou de seu período na categoria de carros de turismo nacional

“O esporte brasileiro perdeu hoje, aos 80 anos, Wilson Fittipaldi Júnior, um piloto espetacular e engenheiro igualmente genial. É até difícil expressar sua importância para o nosso automobilismo. No fundo, o Tigrão, como era conhecido nos autódromos, sempre teve a alma inquieta de um piloto que busca sem cessar a própria superação”, disse Fernando.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Wilson Fittipaldi Jr. em 2010 (Foto: Duda Bairros/Vicar)

“Mas, para quem compartilhou de sua trajetória, era fácil enxergar o entusiasta e empreendedor que elevou a essência do automobilismo ao patamar da arte. Com sua energia criativa, ousadia e um conhecimento enciclopédico do esporte, Wilsinho não apenas construiu carros: suas iniciativas inspiraram milhares de novos adeptos, ajudando a fazer do nosso país um dos centros mundiais do esporte”, exaltou o CEO da Vicar.

“Wilsinho disputou três temporadas na Stock Car, conquistando vitórias e o vice-campeonato de 1991. Foi uma presença gigante, magnética: nossos pilotos viveram a situação fantástica de competir ao lado de um de seus grandes ídolos. Somos todos fãs. E continuaremos a ser. Obrigado, Tigrão”, agradeceu Julianelli.

Wilson Fittipaldi Jr., ex-piloto da Fórmula 1 e idealizador da Copersucar, morreu por volta das 6h desta sexta-feira (23) aos 80 anos. Wilson estava internado no Hospital Sancta Maggiore, no Itaim Bibi, em São Paulo, desde o último dia 25 de dezembro. O irmão de Emerson Fittipaldi sofreu uma parada cardíaca durante o almoço de Natal, em que também celebrava o aniversário de 80 anos.

Christian Fittipaldi brinca com o pai, Wilson, durante etapa da Stock Car (Foto: Sergio Sanderson)

‘Tigrão’, como era conhecido, Wilson engasgou com um pedaço de carne e ficou muito tempo sem oxigenação. O ex-piloto teve uma parada cardíaca e foi reanimado no pronto-socorro. Desde então, havia sido sedado e entubado. Os médicos tentaram retirar a sedação, mas isso não foi possível nas primeiras tentativas por conta dos constantes espasmos.

No início de janeiro, Fittipaldi apresentou leve melhora e teve a sedação retirada pelos médicos na terceira tentativa. Wilson acordou por alguns instantes, mas não se comunicou, e os profissionais do hospital ainda aguardavam para averiguar seu estado neurológico. Após voltar a ter convulsões, o ex-piloto foi novamente sedado no dia 23, exatamente um mês atrás.

Wilson deixa dois filhos: Christian Fittipaldi, ex-piloto de Fórmula 1 e Indy, e atual comentarista de automobilismo dos canais Disney; e Roberta Fittipaldi. Uma manifestação oficial da família não está prevista por enquanto.

⭐ Wilson Fittipaldi Júnior, 1943-2024

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.