F1

"Direção certa e grupo família": McLaren rejuvenesce e cria ambiente de bem menos pressão para temporada 2019

A McLaren vive em um clima menos pesado e de menor cobrança. A tentativa é de se reerguer na F1, mas sem a pressão de ter um bicampeão no carro. Por isso, o novato Lando Norris já vê a equipe em uma direção correta para alcançar essa meta

GRANDE PRÊMIO, de Barcelona / EVELYN GUIMARÃES, do Circuito da Catalunha
A McLaren passou por grandes mudanças em 2018 e vem com uma equipe remodelada para a temporada que começa no dia 17 de março. A direção esportiva do time inglês está nas mãos do experiente Gil de Ferran, enquanto a chefia técnica terá James Key a partir do próximo mês liderando o projeto. A dupla de pilotos também foi renovada e rejuvenescida. Fernando Alonso decidiu deixar a F1 e Stoffel Vandoorne acabou sendo dispensado no processo. Para o lugar deles, a equipe chamou Carlos Sainz e o novato Lando Norris. E só isso já deu um ar diferente à esquadra, que busca agora se reerguer, mas sem a pressão de ter um bicampeão cobrando performance. "Acho que estamos na direção correta", disse um descontraído Norris.
 
O clima de alívio nas garagens da McLaren também tem a ver com a ausência de problemas graves no carro durante a primeira semana de testes em Barcelona. O MCL34 parece ter nascido melhor que seus antecederes. O projeto começou cedo no ano passado, e o time foi capaz de entender bem o novo regulamento, com linhas aerodinâmicas bem interessantes, além de um encaixe melhor com o motor Renault. As atividades na Catalunha mostraram confiabilidade, mas ainda resta a velocidade.
 
Mesmo assim, o jovem Norris vê a McLaren com pés no chão em um ambiente totalmente renovado. Lando veio do programa de pilotos da equipe, atuou como reserva em 2018 e chegou a guiar o carro em sete oportunidades, ao mesmo tempo em que disputava a F2. "Definitivamente, acho que temos uma grande melhora em relação ao ano passado", afirmou o britânico de 19 anos em entrevista aos jornalistas, incluindo o GRANDE PRÊMIO.
Lando Norris (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
"Obviamente, eu não era o piloto titular no ano passado, então não estava integrado ao time como estou agora. Mas, em termos de ambiente, a motivação de todos, acho que tudo funciona aqui como uma família e parece estar indo na direção correta."
 
"Não é perfeito. Tivemos alguns pequenos problemas e tivemos de superar algumas falhas que foram resolvidas de forma mais lenta que pensávamos. Mas o ponto é garantir que todos trabalharem na direção certa, de forma positiva. Creio que ainda vai demorar um pouco para tudo se encaixar por inteiro. Só que estamos indo no rumo certo, e isso é o mais importante. Todos estão motivados e estamos trabalhando muito aqui", completou.
 
Norris terminou a primeira semana de testes com o décimo melhor tempo e 236 voltas nos dois dias em que esteve no comando do carro. Sainz foi o 12º e também andou por mais de 200 giros - provavelmente, a maior quilometragem da McLaren em pré-temporada desde que era equipada com os motores da Mercedes.

GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ a pré-temporada da F1 em Barcelona com os repórteres Eric Calduch, Evelyn Guimarães e Vitor Fazio, e o fotógrafo Xavi Bonilla. Acompanhe tudo aqui.