Diretor aposta em novo retorno da Honda à F1: “Pessoalmente, acho que vamos voltar”

Masashi Yamamoto, diretor-gerente da Honda para a F1, entende que a história da marca de Sakura com a principal categoria do esporte a motor não acabou, mas que um eventual regresso caberá às novas gerações

Carros de Red Bull e AlphaTauri vão contar com layout especial na Turquia (Vìdeo: Red Bull)

A história da Honda na Fórmula 1 é cíclica e marcada por despedidas e regressos. A primeira incursão da marca japonesa no Mundial durou de 1964 a 1968, primeiro como equipe própria. Na década de 1980, a montadora retornou como fornecedora de motores e trabalhou ao lado da Williams, Lotus e entrou para a história com uma aliança vitoriosa com a McLaren, que rendeu oito títulos mundiais entre 1988 e 1991. Depois, novo ciclo entre 2000 e 2008, que resultou na volta da equipe de fábrica ao grid, que durou até o fim daquele ano antes de ser vendida a Ross Brawn. A Honda, então, voltou à F1 em 2015, reeditou a aliança com a McLaren, mas diferente do fim dos anos 1980, a união resultou em enorme fracasso. Foi com a Red Bull, a partir de 2019, que os japoneses reencontraram o caminho das vitórias.

Em outubro do ano passado, no entanto, a Honda marcou para o fim da temporada 2021 o desfecho de mais um ciclo na Fórmula 1. Focada em desenvolver novas tecnologias sustentáveis, a marca vai encerrar seu projeto no Mundial justamente no momento em que está ao lado da Red Bull na luta pelo título contra a Mercedes.

Diante de tantas idas e vindas, fica sempre a pergunta: será que a Honda volta à Fórmula 1? E segundo Masashi Yamamoto, diretor-gerente da marca para a F1, o sentimento é positivo.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

MASASHI YAMAMOTO; HONDA; FÓRMULA 1;
Masashi Yamamoto crê no retorno da Honda à F1 (Foto: Mark Thompson/Getty Images/Red Bull Content Pool)

“Pessoalmente, acho que sim, vamos voltar”, respondeu o executivo em entrevista veiculada pelo site britânico The Race.

Mas Yamamoto-san deixou claro que um eventual retorno não será tão já. “Agora é uma situação em que a Honda tem de se concentrar no carbono neutro e temos de acelerar o projeto. Mas quando isso estiver caminhando bem, acho que haverá pessoas dentro da empresa que vão querer fazer a Fórmula 1”.

Quando perguntado se a conquista do título mundial influenciaria num potencial retorno da marca, o dirigente entende que tais situações não se relacionam.

“É difícil responder, mas provavelmente isso não vai ser afetado pelo resultado. Independentemente disso, a Honda vai ter muitas pessoas que amam a Fórmula 1, e principalmente aquelas pessoas que querem o desafio de desenvolver nossa tecnologia aqui sempre vão querer o desafio”, disse.

Quem é o favorito em cada pista que resta na temporada 2021 da Fórmula 1? Ouça já no Paddockast #124

“Espero que a geração jovem veja novamente que a F1 é um lugar muito bom para um desafio e volte”, complementou Yamamoto-san, confiante que o Mundial vai ser sempre parte do interesse da Honda. “Acho que sim. É a história da empresa, é muito importante”.

De qualquer forma, o diretor da Honda reforçou que a marca deixa a Fórmula 1 ao fim da temporada 2021. A montadora confirmou o acordo de cooperação com a Red Bull para transferência de tecnologia e propriedade intelectual para o desenvolvimento dos novos motores em um processo de transição que vai culminar com os trabalhos a cargo da Red Bull Powertrains, a nova divisão de motores da marca dos energéticos.

“O fim do projeto é neste ano. É por isso que estamos nos concentrando em buscar o título. O ano que vem vai ser uma transição, algumas pessoas vão ficar para fornecer o nosso trabalho para eles. A forma mais fácil que falar sobre isso é que vamos embora, como marketing e gestão, da pista”, explicou.

Feliz com o momento da Honda como parceira da Red Bull na luta pelo título, o dirigente só lamentou por um fato: não correr em 2021 diante do seu público. O GP do Japão, que aconteceria neste fim de semana, foi cancelado em razão dos efeitos da pandemia. Por isso, as homenagens que a Red Bull presta à Honda, em gesto de gratidão, acontecem na Turquia.

“É muito decepcionante e é uma pena porque queríamos mostrar o quão fortes são a Red Bull e a AlphaTauri, pensamos que poderíamos fazer isso. É uma não podermos fazer isso lá”, lastimou Yamamoto-san.

KIKO PORTO CAMPEÃO E A PERSPECTIVA DE MAIS TÍTULOS PARA O BRASIL | GIRO BR #29

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar