Diretor da Ferrari aprova ritmo de corrida da F138, mas busca evolução nas classificações

Pat Fry destacou o “ritmo de corrida razoável” da Ferrari neste princípio de Mundial, mas lembrou que o ritmo de classificação é imprescindível para que a escuderia de Maranello brigue pelo título em 2013


Ainda que o ritmo de corrida seja cada vez mais importante na F1 atual, a performance na classificação não será deixada de lado pela Ferrari. É o que garante o diretor-técnico Pat Fry. O britânico aprovou o desempenho da F138 de Fernando Alonso e Felipe Massa nos chamados long-runs, mas disse que um bom ritmo de classificação é importante para que a equipe conquiste seus objetivos e lute até o fim da temporada pelos títulos do Mundial de Pilotos e também de Construtores.

A prova inicial da temporada indicou bem que a classificação, pelo menos em teoria, passou a ter uma importância menor em termos de resultado. Kimi Räikkönen, vencedor do GP da Austrália, largou em sétimo e triunfou em Melbourne ao adotar uma estratégia de pneus ousada, parando uma vez a menos em relação aos seus oponentes. O êxito da tática traçada pela Lotus levantou o debate sobre a importância do ritmo de classificação nesta temporada.
A Ferrari trabalha para deixar a F138 de Massa e Alonso mais rápida nas classificações (Foto: Ferrari/ Studio Colombo)

Entretanto, Fry disse que a Ferrari trabalha intensamente para colocar a F138 cada vez mais forte em termos de volta rápida.
 
“Nós mostramos um ritmo de corrida bastante razoável e andamos bem com todos os tipos de pneus que nós usamos. Entretanto, ainda temos um caminho pela frente para sermos rápidos em classificação e estamos trabalhando duro nisso neste momento”, disse o diretor-técnico em entrevista ao site oficial da Ferrari no preview do GP da China, que será disputado no domingo (14).

“Estamos nos concentrando nos trechos longos, ainda que eles não sejam tão longos quanto no passado porque, neste ano, nós esperamos mais pit-stops durante a corrida”, acrescentou o engenheiro.

“Entretanto, não ignoramos nosso ritmo de classificação. Estou certo que há mais por vir pela frente, assim como temos de aprender mais sobre o carro e começar a tirar o melhor desempenho dele”, garantiu o dirigente britânico.

Na visão de Fry, os objetivos da Ferrari só serão conquistados se o ritmo de classificação for sensivelmente melhorado. Desde 2010, a escuderia de Maranello largou na frente apenas em quatro oportunidades, todas com Fernando Alonso. A título de comparação, a Red Bull largou na pole 43 vezes neste período.

O diretor-técnico, ex-McLaren, está confiante na busca pelo seu objetivo neste princípio de temporada. “A chave será tentar e avançar nosso programa de desenvolvimento do carro mais rápido do que as outras equipes. Este é um ciclo complicado, que vai levar o ano todo, e precisamos ao menos igualar nosso ritmo de 2012 se quisermos ter um melhor desempenho na classificação.”

“Até agora, estamos trabalhando bem, todos os caminhos, do projeto à manufatura, melhoraram em relação ao ano passado. Além disso, a nossa correlação aerodinâmica é melhor”, concluiu Fry.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube