Diretor da Force India admite que motores de 2014 podem interferir na disputa pelo título

Bob Fernley disse que teme que o desenvolvimento dos V6 turbo de 1,6 L desequilibre a disputa pelo título na próxima temporada. Ele também contou que as fornecedoras terão mais força nas opiniões em 2014

Na próxima temporada da F1, o regulamento terá algumas mudanças drásticas, mas a que tem chamado mais a atenção é a grande alteração nos motores. Os atuais propulsores aspirados V8 de 2,4 L serão substituídos pelos V6 turbo de 1,6 L. De olho nesta mudança tão significativa para a categoria, Bob Fernley, diretor da Force India, não deseja que isso desequilibre a disputa por posições já na próxima temporada.

“Não pode ser como foi no passando quando a diferença entre os motores era muito grande. Será uma pena se ficarmos assim”, disse Fernley ao site da revista britânica ‘Autosport’.

Bob Fernley não deseja um grid desequilibrado no próximo ano (Foto: Force India)

Nos últimos anos, visando uma economia dentro da categoria, a FIA [Federação Internacional de Automobilismo] congelou o desenvolvimento de propulsores e permitiu apenas alterações pontuais para equilibrar a disputa pelo título.

O dirigente admitiu que, por conta do alto custo dos novos motores neste primeiro ano de desenvolvimento, as fabricantes vão ter mais força nas opiniões envolvendo o V6. “Temos que levar em consideração o que os fabricantes de motores querem fazer”, explicou. “Eles estão colocando muito dinheiro no desenvolvimento desses motores e teremos de ouvi-los. O espaço será um pouco maior do que o visto hoje, mas, no geral [o desempenho do motor], não deve ser um grande diferencial”, comentou o dirigente..

Sem a divulgação oficial do regulamento, as equipes ainda não sabem como será a homologação dos novos motores – tal situação ainda está sendo conversado com calma entre os 11 times que forma o grid e ainda não há data para um desfecho a respeito do tema.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube