Diretor da Lotus nega existência de oferta de compra da Renault e afirma: “Acionistas me disseram que não estamos à venda”

O diretor-geral e co-dono da Lotus, Gerard López, garantiu que não sabe de qualquer proposta de compra da Renault e assegurou que ouviu dos acionistas que a empresa não está disponível para a venda

A boataria sobre a Renault comprar a Lotus para dar sequência ao seu projeto na F1 ganhou muita força nas últimas semanas, mas segundo o diretor-geral da equipe de Enstone, Gerard López, não existe uma proposta da companhia francesa.
 
Enfrentando um pedido de liquidação feito por alguns de seus credores, a Lotus enfrenta um momento desfavorável financeiramente – apesar de ter se recuperado em relação ao ano passado. Mesmo assim, López garantiu que os acionistas da empresa não pensam em venda.
A Renault volta? (Foto: Glenn Dunbar/LAT Photographic)
"Como diretor-geral desta companhia, eu não sei dessa oferta. Sei que a Renault está analisando cuidadosamente seu envolvimento com a F1", falou à revista inglesa 'Speedweek'.
 
"Sabemos que quando se trata de retornar a ser uma equipe de fábrica, os candidatos de sempre vão estar na mesa e somos a melhor opção. Mas não há oferta. Os acionistas me disseram repetidamente que a Lotus não está à venda", disse.
 
A Renault de fato está repensando sua participação na F1, hoje por meio do fornecimento de motores para Red Bull e Toro Rosso. Caso realmente haja negócio para os franceses voltarem a ser equipe no Mundial, a Red Bull segue em seu acordo até ele expirar, em 2017. 
 
Segundo informações da revista inglesa, o acordo pode ser selado numa reunião entre López e o diretor-geral da Renault, Carlos Ghosn, no final de semana do GP da Hungria.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube