Diretor da McLaren pede paciência, mas traça meta para 2018: “Estar pelo menos com regularidade no pódio”

Éric Boullier está bastante otimista com o futuro da McLaren e aposta na volta da competitividade e dos bons resultados para 2018. No entanto, o diretor de corridas da equipe de Woking pediu prudência e disse que só vai ser possível ver o real potencial do time ao lado da Renault na primeira etapa da próxima temporada, na Austrália

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Depois de encerrar o casamento malsucedido com a Honda e anunciar a Renault como nova fornecedora pelos próximos três anos na F1, a McLaren só espera mesmo pela definição do futuro de Fernando Alonso, mas já começa a trabalhar visando 2018. O grande objetivo da equipe de Woking é voltar ao pódio, algo que não acontece desde o GP da Austrália de 2014. Mas Éric Boullier, embora confie no potencial da nova parceria, diz que ainda é cedo para falar sobre maiores expectativas e pede paciência sobre o que vai ser possível fazer no ano que vem.

 
A última vitória da McLaren aconteceu há quase cinco anos, em 25 de novembro de 2012, quando Jenson Button triunfou em Interlagos. Desde então, a perda de competitividade e a falta de bons resultados marcou a trajetória daquela que é uma das mais tradicionais e icônicas equipes da F1.
 
Em entrevista ao site ‘Crash.net’, Boullier prefere a prudência sobre o que é possível prever para o ano que vem, mas ao mesmo tempo está confiante de que nada poderá ser pior que os últimos anos ao lado da Honda.
Apesar de esperar por dias melhores, Éric Boullier pede paciência sobre o futuro da McLaren (Foto: Glenn Dunbar/McLaren)
“Ainda é um pouco cedo. Nosso objetivo é sermos competitivos e estar pelo menos com regularidade no pódio, se possível, e até melhor. Mas é um pouco cedo. Haverá algumas mudanças de regra para o ano que vem, com a introdução do Halo, esse tipo de coisas. E só estamos em setembro”, comentou o engenheiro francês.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Mesmo com os testes de pré-temporada durante o inverno, Boullier acredita que só vai ser possível ver o real potencial da nova McLaren na primeira corrida da temporada, o GP da Austrália, marcado para 25 de março.

 
“Ainda que tivéssemos começado a trabalhar antes no carro do ano que vem, precisamos esperar um pouco mais. E também precisamos esperar os testes e, obviamente, a Austrália para entender melhor em que posição estão as outras equipes em termos de performance”, complementou o diretor de corridas da McLaren.
’SOLDADINHO’ DA PENSKE?

CASTRONEVES TEM FALTA DE TÍTULO COMO MANCHA NA CARREIRA  

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube