Diretor da Pirelli condiciona permanência na F1 na temporada 2017 a “um bom programa de testes”

Paul Hembery, diretor da Pirelli, foi direto ao falar sobre uma eventual renovação do contrato com a F1 para o período entre 2017 e 2019. A fabricante italiana exige um tempo maior de testes, como forma de preparação para as mudanças no regulamento

Diretor de competições da Pirelli, Paul Hembery acredita que será crucial que a empresa italiana tenha 18 dias de testes no próximo ano como forma de se preparar para o Mundial de 2017, ano que a F1 deve sofrer mudanças drásticas no regulamento. O pedido, entretanto, está condicionado à renovação do vínculo da fabricante como fornecedora oficial de pneus da categoria. 
 
Bernie Ecclestone já manifestou o desejo de ver a permanência da Pirelli por mais um período na F1, mesmo depois das falhas ocorridas em Spa-Francorchamps. O novo acordo vai valer entre 2017 e 2019. A única concorrente da marca de Milão no momento é a Michelin, que também se inscreveu no processo seletivo da F1. Entende-se que uma decisão deve acontecer nas próximas semanas.
 
Ainda, para 2017, a largura do pneu traseiro será de 425 mm e 325 mm no dianteiro, o que significa um aumento de 100 mm e 80 mm, respectivamente. A iniciativa pretende deixar os carros mais velozes, entre cinco e seis segundos por volta. 
Paul Hembery quer mais testes na F1 (Foto: Pirelli)
"A única coisa que precisa acontecer é ter um programa de testes adequados, e os principais pilotos devem estar envolvidos no desenvolvimento do produto que queremos entregar para a temporada", disse o inglês.
 
"Nós precisamos de seu envolvimento porque são eles que andam no limite, mais do qualquer  outros. Porém, neste momento, não temos nenhum teste, eles não estão envolvidos, então, como se pode imaginar, há uma enorme discrepância, e isso, na minha opinião, não é normal", acrescentou.
 
"Agora, estamos esperando uma decisão. E a primeira fase consiste em definir o que nós precisamos e há muitas propostas que foram apresentadas. Uma vez que isso seja definido, teremos de ver como encaixar as medidas em um calendário tão intenso quanto do ano que vem, e em um carro que será diferente do atual."
 
Questionado sobre o que realmente é necessário para a Pirelli, Hembery disse: "Eu gostaria de sugerir seis sessões de testes de três dias para cada ano."
 
De acordo com o diretor, os testes são uma condição e que, se o pedido não for atendido, a marca pode até deixar o campeonato. "Para nós, testar é uma condição. Você não pode continuar em um ambiente em que não pode fazer o seu trabalho", explicou o britânico.
 
"Não nos foi dado o apoio necessário para desenvolver tudo que gostaríamos, e temos feito pedidos sistematicamente. Por isso, sem um programa de testes não poderemos permanecer no esporte em 2017", declarou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube