Diretor da Renault acirra guerra e culpa Red Bull por ter “ignorado padrões de qualidade” na Austrália

Cyril Abiteboul, diretor-esportivo da Renault, foi direto ao falar dos problemas que a marca vem enfrentando com a Red Bull. O francês criticou a postura da equipe austríaca e afirmou que a tetracampeã também tem culpa na má performance do GP da Austrália

Ao que parece, o clima entre Renault e Red Bull esquentou. E não é no bom sentido. A fabricante francesa entende que a equipe austríaca também tem um parcela de culpa na má performance do time na Austrália. De acordo com a marca do losango, a tetracampeã forçou mudanças de última hora nas unidades gaulesas para o início do campeonato, em Melbourne, no último fim de semana.

Segundo as explicações do diretor-esportivo da fornecedora gaulesa, Cyril Abiteboul, as alterações foram feitas às pressas depois de uma pressão "feroz" imposta pelo time de Dietrich Mateschitz, que buscada de todo jeito se aproximar da Mercedes e da Ferrari.

Cyril Abiteboul disse que a Red Bull também tem culpa pelos problemas (Foto: Getty Images)

"Nós tivemos um desenvolvimento de motor de última hora em que nos foi negado o processo normal de checagem, além de ignorado o nosso padrão de qualidade e os procedimentos de testes de validação", disse o francês em entrevista ao jornal 'L'Equipe'.

"E foram essas mudanças que causaram os problemas em Melbourne, e é no que estamos trabalhando na fábrica agora, antes da etapa de Sepang", completou.

"Nós fomos agressivos a com configuração porque a Red Bull queria um desenvolvimento feroz. Agora, temos de nos perguntar como fomos capazes de esquecer os nossos métodos tradicionais. Nós estamos construindo motores na F1 há 37 anos. Nós sabemos o que precisamos fazer", acrescentou o diretor.

Abiteboul insiste que nada está perdido e crê em uma completa recuperação ao longo da temporada, citando o exemplo de como as falhas apresentadas nos testes do início do ano em 2014 foram contornadas durante o restante do ano. "Se alguém tivesse dito antes da temporada 2014 que nós venceríamos três GPs, as pessoas teriam dado risada", contou Cyril.

"Nós vamos lutar por vitória em curto prazo? Não. Mas estaremos de volta. O objetivo de lutar em pé de igualdade com a Mercedes está aí, mas precisamos de mais tempo", explicou o francês.

Enquanto isso, em resposta às críticas feitas pela Red Bull, Abiteboul deseja que a esquadra de Milton Keynes deixe a Renault fazer o seu trabalho sem interferir. "Ganhamos juntos há anos, e atualmente estamos tendo problemas em conjunto. Até agora, nós seguimos e ouvidos todos os pedidos da Red Bull, mas claramente chassis e motores são dois universos muito diferentes. E todos precisam trabalhar em paz", encerrou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube