F1

Diretor da Renault vê comparação com Mercedes difícil e avalia: “Eles estão escondendo o jogo”

Diretor de engenharia da Renault, Rémi Taffin avaliou que é difícil mensurar a diferença de performance em relação à Mercedes. Na visão do dirigente, o time de Lewis Hamilton e Nico Rosberg ainda não apresentou todas suas armas
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Kevin Magnussen (Foto: Getty Images)
Diretor de engenharia da Renault, Rémi Taffin acredita que a Mercedes ainda está escondendo seu potencial. O time de Brackley dominou a F1 desde o início da era dos V6 turbo e não dá sinais de que pode ter seu reinado ameaçado.
 
Rémi Taffin ainda não sabe dizer o tamanho da diferença entre Renault e Mercedes (Foto: Frederic Le Floch/DPPI)
Ainda assim, Taffin acredita que é difícil mensurar a diferença em relação a atual campeão, uma vez que entende que o time de Lewis Hamilton e Rosberg ainda não mostrou tudo que pode fazer.
 
“Para ser sincero, é difícil comparar com a Mercedes”, disse. “Eles estão escondendo o jogo e só vão mostrar quando chegarmos ao Q3... em Silverstone”, apostou.
 
“Acho que deveríamos estar mais próximos a eles, mas a diferença ainda estará lá”, ponderou. “Dependendo de como nós avaliarmos esta temporada e dos passos que conseguirmos dar, acho que a meta ainda é, começando por 2017, lutar com eles se conseguirmos produzir, no geral, um bom carro”, seguiu.
 
Além disso, Taffin destacou que a Renault já tem definido seu cronograma de atualizações para 2016 e também já trabalha pensando em 2017.
 
“O programa está definido, sabemos quando queremos introduzir novas especificações”, anunciou. “Aí, também estamos olhando para 2017. Têm muitas coisas que estamos levando do ano passado que nós gostaríamos de mudar. Vamos tentar mudar tudo em uma tacada”, encerrou.
VEJA A EDIÇÃO #18 DO PADDOCK GP, QUE TRAZ BATTISTUZZI, ABORDA F1, INDY E STOCK CAR