Diretor da Williams afirma que dinheiro não é suficiente para manter piloto na F1 por muito tempo

Com Pastor Maldonado e Bruno Senna levando patrocínios para a Williams, a equipe é acusada de dar oportunidades apenas para pilotos que enchem os cofres da equipe. Para Toto Wolff, dinheiro até leva alguém para F1, mas não mantém para sempre

Atualmente, a Williams conta com dois dos pilotos mais inexperientes do grid, já que Bruno Senna e Pastor Maldonado estão disputando apenas a segunda temporada completa na F1. Com os dois levando patrocínios, a equipe foi acusada algumas vezes de dar prioridade para pilotos pagantes, apesar da vitória do venezuelano no GP da Espanha e da consistente temporada do brasileiro, que está apenas cinco pontos atrás do companheiro.

Diretor-executivo da Williams, Toto Wolff admite que o piloto que leva dinheiro pode conseguir um lugar na F1, mas que isso não é suficiente para mantê-lo na categoria por muito tempo. "Algumas coisas não podem ser aprendidas", disse o dirigente ao site ‘motorline.cc’.

Toto Wolff não crê que dinheiro mantenha um piloto na F1 por muito tempo (Foto: Williams/LAT)

"Eu acredito que um piloto com dinheiro e moderadamente talentoso pode entrar agora na F1. Mas ele nunca vai pilotar o carro no limite como alguém talentoso desde o nascimento”, explicou. “Percepção e inteligência de um piloto são coisas que você pode ver ao longo de uma corrida”, finalizou.

A declaração vem em um momento de indefinição da equipe para a próxima temporada, ao passo que a dupla ainda não foi confirmada e Valtteri Bottas, piloto reserva, é um dos cotados para assumir uma vaga na Williams em 2013.

Com 53 pontos somados nesta temporada, a Williams supera de longe a campanha de 2011, quando fez apenas cinco. Após 11 provas disputadas, a equipe está na sétima colocação no campeonato de construtores.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube