Diretor da Williams elogia Senna e diz que "não há motivos" para que time não pontue sempre

O desempenho de Bruno Senna no GP da Hungria agradou à cúpula da Williams, e o piloto foi elogiado por Mark Gillan, engenheiro-chefe do time. Gillan também comentou os altos e baixos da equipe e disse que, apesar disso, 2012 está sendo bem melhor que 2011

O sétimo lugar de Bruno Senna no GP da Hungria rendeu elogios de Mark Gillan, engenheiro-chefe da Williams. “Bruno teve seu melhor fim de semana em muito tempo”. Quanto ao desempenho da equipe de Grove na temporada, Gillan admitiu não estar completamente satisfeito, mas comparou com o difícil ano de 2011 para chegar à conclusão de que a atual temporada está sendo relativamente boa.

“Nós estamos realmente satisfeitos”, falou Gillan, em entrevista à revista inglesa ‘Autosport’, a respeito do fim de semana que Senna viveu em Budapeste. “Ele estava muito forte nos treinos livres. Na classificação, talvez ele não tenha conseguido a volta que queria no Q3 mas, na corrida, foi muito bem e fez um bom trabalho no fim defendendo sua posição”, completou. No trecho final da disputa, o brasileiro precisou conter os ataques do vice-líder do campeonato, Mark Webber.

Bruno Senna foi o sétimo colocado no GP da Hungria (Foto: Williams/LAT)

Ao falar da temporada de 2012, admitiu que o ano “tem sido uma montanha russa”. Mesmo com todos os altos e baixos, o saldo é positivo. “Eu tenho que lembrar de onde nós estávamos no ano passado”, comparou Gillan.

A Williams terminou 2011 com cinco pontos somados, somente, quatro de Rubens Barrichello e um de Pastor Maldonado. “Nós temos dez vezes mais pontos do que tínhamos no final do último ano e, como uma equipe, nós sabemos que nossa meta sempre deve ser terminar nos pontos”, contabilizou o engenheiro.

Com o carro que tem em mãos e com os resultados que seus pilotos já alcançaram na temporada de 2012, Gillan tem certeza de que a meta da Williams deve ser estar nos pontos em todas as corridas. “Não há motivos para que não possamos fazer isso”, assegurou o inglês. O primeiro passo para isso é “se classificar sempre entre os dez primeiros colocados. Se não conseguirmos fazer isso, aí será desapontador”.

“Na Hungria, conseguimos colocar os dois carros no Q3 pela primeira vez, e ficamos um pouco desapontados porque sentimos que talvez fosse possível andar ainda melhor”, avaliou Gillan. “Mas nós ainda estamos satisfeitos com os resultados que conquistamos neste ano e com como a equipe está indo”, ponderou.

“Também fizemos o pit-stop mais rápido de nossa história, abaixo de três segundos. Os mecânicos estão fazendo um grande trabalho e isso é um incentivo para eles”, contou Gillan, exaltando o feito dos funcionários do time.

O melhor resultado da Williams em 2012 foi a vitória de Maldonado no GP da Espanha. Contudo, desde então, o venezuelano não voltou a pontuar. Senna tem como melhor prova o GP da Malásia, que terminou em sexto, mas pontuou em seis oportunidades, contra apenas duas de seu companheiro.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube