Diretor de operações da Lotus diz que time não tirou máximo do E20 no fim de semana em Cingapura

Alan Permane, diretor de operações da Lotus, afirmou que o time não extraiu tudo que podia do E20 neste fim de semana. Dirigente crê que desempenho ruim na sexta-feira interferiu no resultado de Cingapura

 

Alan Permane, diretor de operações da Lotus, acredita que o fraco desempenho em Cingapura seja resultado de uma performance ruim nos treinos de sexta-feira. Na visão do dirigente, o sexto lugar de Kimi Räikkönen e o sétimo de Romain Grosjean não refletem um problema específico do E20, mas uma falha da equipe no acerto do carro.
 
“Definitivamente, não tiramos o máximo do carro este fim de semana”, disse Permane em entrevista à revista britânica ‘Autosport’. “Tivemos uma sexta-feira muito ruim, mas entendemos onde erramos. Nós recuperamos muito disso, mas não tudo”, reconheceu.
Permane afirmou que desempenho ruim na classificação afetou resultado de Kimi e Romain (Foto: Lotus/ Andrew Ferraro/LAT Photographic)
Ainda, Permane ponderou que as colocações finais em Marina Bay são resultado de uma performance ruim na classificação. “Nenhum dos dois pilotos teve uma boa sessão de classificação”, disse. “Kimi foi mais lento no Q2 com os pneus gastos – e perdeu um pouco em todos os setores da volta. Romain poderia ter conseguido quarto ou quinto, não o oitavo”, considerou. 
 
Por fim, o dirigente reconheceu que o time não deu sorte com o safety-car, já que o carro de segurança entrou na pista logo que o finlandês foi para os boxes. 
 
“Aí na corrida nós fomos muito azados com o safety-car para o Kimi. Nós o chamados e o safety-car saiu nessa hora, então arruinou as nossas chances de bater o [Nico] Rosberg”, falou. “Dito isto, acho que não poderíamos ter batido Paul di Resta, por exemplo”, completou. 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube