F1

Diretor de Sepang aponta chances de retorno ao calendário da F1 em 2022, mas diz depender do Liberty Media

Não demorou muito para Sepang, fora do calendário da F1 desde 2017, considerar um retorno. Razlan Razali, diretor do autódromo, vê o cenário político favorável para a volta do GP da Malásia. Resta saber se o Liberty Media tem interesse

Grande Prêmio / Redação GP, de Berlim
Pouco mais de um ano após o último GP da Malásia de Fórmula 1, Sepang já se apronta para uma nova investida. Razlan Razali, diretor de corridas do autódromo malaio, revelou que o país está de olho em retornar ao calendário já em 2022.
 
Razali credita a nova visão do circuito malaio à mudança de poder no país. Mahathir Mohamad, primeiro ministro entre 1981 e 2003, foi um dos responsáveis por colocar a Malásia no mapa da F1 em 1999. O político voltou ao cargo em 2018, suficiente para retomar as esperanças dos fãs locais.
 
“Ele [Mohamad, primeiro ministro] já mostrou o interesse de que a Fórmula 1 retorne um dia”, disse Razali. “Mesmo assim, depois da última corrida em 2017, o país precisa esperar ao menos cinco anos para poder voltar”, seguiu.
O circuito de Sepang flerta com a Fórmula 1 (Foto: Leopard)
A saída da Malásia do calendário da Fórmula 1 foi fruto da insatisfação de Sepang com a antiga chefia da categoria. Sem o contrato desejado, o autódromo apostou as fichas na MotoGP. Mesmo assim, a chegada do Liberty Media ao poder, assim como as promessas de mudanças no futuro, parece capaz de causar uma reviravolta.
 
“A Fórmula 1 ainda vai seguir se desenvolvendo nos próximos dois ou três anos. As corridas também vão ficar melhores. Se eles [Liberty Media] quiserem mais corridas de rua... Talvez a gente queira voltar, mas eles não nos querem agora. Nós só podemos esperar”, encerrou.
 

Confira a programação do fim de semana do GP da Azerbaijão de F1
Horários de Brasília, GMT -3

SESSÃO DIA DATA HORA
TL1 Quinta 26/4 5h
TL2 Sexta 26/4 9h
TL3 Sábado 27/4 6h
TC Sábado 27/4 9h
GP Domingo 28/4 9h10