Diretor diz que lavagem de roupa suja em público dificulta manutenção de parceria da Renault com Red Bull

As muitas críticas que a Red Bull fez à Renault nos últimos meses devem dificultar a manutenção da parceria com a Renault. Nada foi anunciado até agora, mas a RBR já indicou várias vezes que não segue com os franceses em 2016

Não é porque agora a Red Bull quer seguir com a Renault que a recíproca vai ser verdadeira. A montadora crê que o dano causado à sua imagem pelos rubro-taurinos nos últimos meses pode tornar difícil manter a parceria.

O contrato da Red Bull com a Renault vai até 2016, mas há semanas que a equipe tetracampeã mundial vem dando sinais de que não pretende continuar. O time, inclusive, já falou abertamente de negociações com a Ferrari e a Mercedes para o próximo ano, e ameaça deixar o esporte caso não consiga chegar a um acordo

Mas com os italianos e os alemães não muito propensos a firmar uma parceria, eles se veem em uma situação delicada.

Enquanto tudo isso acontecia, a Renault se mexeu para readquirir a Lotus e voltar a ter uma equipe própria no Mundial. Nenhum anúncio oficial foi feito, mas o objetivo ficou claro quando uma carta de intenções foi apresentada à receita britânica para evitar que o time de Enstone entrasse em administração judicial.

A Red Bull falou mal de mais da Renault para, agora, querer salvar o relacionamento (Foto: Getty Images)

À revista inglesa 'Autosport', Cyril Abiteboul comentou a respeito do dilema e tratou de deixar claro: "O importante é que vamos fazer o que é bom para a Renault. Se a gente tiver de fazer algo diferente do que está sendo antecipado, vai fazer. Tem que ser bom para a Renault e servir para o propósito da Renault dentro do esporte".

 
"Mas, francamente, quando você vê o modo como tudo está sendo tratado, será bem difícil vender para os meus superiores que é melhor fazer algo diferente do que está sendo planejado no momento. O que importa é a intenção da Red Bull e a da Renault, e é isso que precisa ser analisado", disse.
 
"Temos um longo e frutífero relacionamento com a Red Bull, que obviamente está mais perto do fim do que do começo. Eles deram declarações muito, muito fortes de que não gostariam de continuar com a Renault. Para mim, é difícil julgar qualquer outra coisa no momento", comentou.

A questão financeira da venda de motores para a Red Bull nem é o mais importante. "Você sempre pode ser pago por um contrato. Precisamos garantir que, estrategicamente, a F1 seja boa para a marca. Se nós fôssemos pagos, mas tivéssemos toda essa negatividade e todo esse estrago para a marca, não tenho certeza de que seria um acordo ideal para a Renault. Sabemos que o Mateschitz, o Christian Horner e o Helmut Marko fizeram comentários dando o contrato por encerrado. Eu não tenho nada a dizer pela Renault, então só posso me referir às frases da Red Bull", deixou claro o dirigente gaulês.

A parceria da Red Bull com a Renault teve início em 2007 e rendeu 50 vitórias em GPs, quatro títulos de Pilotos e outros quatro de Construtores.

(function(d, s, id) { var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0]; if (d.getElementById(id)) return; js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = “//connect.facebook.net/pt_BR/sdk.js#xfbml=1&version=v2.3”; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));

De: Renault | Para: Red Bull | Assunto: Breve poema"Agora você me quer, queridinha?Sai daqui e vai vender sua latinha…

Posted by Grande Prêmio on Sexta, 9 de outubro de 2015

PADDOCK GP
Assista à edição #1 da mesa-redonda do GRANDE PRÊMIO

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube