F1

Diretora-executiva diz que resultado no Japão não define futuro de Kobayashi na Sauber

Monisha Kaltenborn, diretora-executiva da Sauber, afirmou que o terceiro lugar conquistado por Kamui Kobayashi no GP do Japão não vai definir permanência do nipônico na equipe suíça

Warm Up / Redação GP, de São Paulo

► Veja as melhores imagens do GP do Japão de F1
► Vettel supera Piquet, iguala Fangio e entra para rol dos dez maiores vencedores da história da F1


Kamui Kobayashi ainda não tem contrato para a temporada de 2013 da F1. Sem saber o que fará no próximo ano, o nipônico fechou sua prova de casa com um ótimo terceiro lugar no traçado de Suzuka, mas Monisha Kaltenborn, diretora-executiva da Sauber, afirmou que o resultado do GP do Japão não vai selar o futuro do piloto. 
 
A dirigente destacou que a Sauber não pretende resumir a questão do contrato de Kobayashi a uma única corrida e frisou que o time conhece bem as qualidades do piloto. 

Kobayashi acredita que resultado no Japão pode ajudá-lo a garantir vaga para 2013 (Foto: Sauber)
“Na verdade, nós dissemos antes da corrida que não queremos reduzir isso a uma única prova e como ele se saiu aqui”, disse Kaltenborn. “Acho que nós o conhecemos muito bem e sabemos bem as suas qualidades. Ele teve muita participação no desenvolvimento do carro, então podemos julgar tudo isso e este pódio é muito bom para ele, porque ele finalmente conseguiu e merece isso”, frisou. 
 
Kaltenborn admitiu que a equipe tem olhado para alguns pilotos, mas afirmou que ainda há tempo para definir sua dupla de 2013. “É claro que nós temos olhado para alguns pilotos e estamos avaliando isso internamente, mas nós não vamos nos apressar para tomar nenhuma decisão e ainda temos tempo suficiente na temporada.”
 
Kobayashi, por outro lado, avaliou que o resultado em Suzuka será importante para seu futuro. Questionado se estava guiando por sua carreira, o nipônico respondeu: “Sim, claro!”
 
“Mas, às vezes, eu preciso usar a pressão. Não é para temer demais, talvez eu precise aproveitá-la, mas as últimas dez voltas foram muito difíceis”, considerou.