F1
10/11/2016 19:00

Do patriota que quebra acordos a nova função na Force India, Pérez mostra maturidade para papel de líder

Com a mesma personalidade que rompeu um contrato de patrocínio com uma marca de óculos por ofensas ao seu México, Sergio Pérez se coloca pronto para liderar a Force India. E é no papel de novo líder do time que mais cresceu nos últimos anos na F1 que ‘Checo’ deu as boas-vindas ao seu novo companheiro de equipe, o jovem francês Esteban Ocon
Warm Up, de Interlagos / FERNANDO SILVA, de Interlagos
 Com personalidade, Pérez rompeu contrato com uma marca de óculos por uma piada infame contra seu México (Foto: Force India)

Há quase cinco anos, na mesma Interlagos que recebe neste fim de semana a penúltima etapa da temporada 2016 do Mundial de F1, Sergio Pérez encerrava seu primeiro ano na categoria feliz por ter feito um ano bom pela Sauber. Naquela época, o mexicano tinha como maior referência seu companheiro de equipe, Kamui Kobayashi. Mas os anos se passaram, ‘Checo’ brilhou em 2012, fracassou na McLaren no ano seguinte e, na Force India, cresceu, amadureceu, voltou a conquistar pódios e ser um dos destaques da F1. Os dois últimos anos lapidaram seu caráter a ponto de mostrar atitude de vencedor dentro e fora da pista. 
 
Mais do que isso, Pérez assume uma postura de líder, sobretudo por ser a voz da experiência a partir do ano que vem, quando verá o jovem Esteban Ocon no lugar de Nico Hülkenberg do outro lado dos boxes. Mas fora das pistas, ‘Checo’ se converte também em líder do esporte mexicano, reforçando tal imagem ao defender seu país de um comentário infeliz proferido pela marca de óculos que o patrocinava até a última quarta-feira.
 
A Hawkers, marca dos óculos que Pérez costumava usar nos paddocks da F1, escreveu a seguinte mensagem no Twitter tão logo se confirmou a eleição de Donald Trump como novo presidente dos Estados Unidos. “Mexicanos, coloquem estas lentes para que ninguém note os olhos inchados amanhã na construção do muro”. Uma das promessas mais polêmicas — e absurdas — do novo governo republicano é justamente construir um enorme muro na fronteira entre EUA e México.
Como um líder, Pérez rompeu contrato com uma marca de óculos por uma piada infame contra seu México (Foto: Force India)
Tão logo soube dos comentários enviados por milhares de fãs pelo próprio Twitter, Pérez veio a público e anunciou o rompimento com a Hawkers. “Nunca vou deixar que faltem com respeito ao meu país”.
 
E nesta quinta-feira (10), Pérez, sob elogios da imprensa mexicana, falou sobre o tema e defendeu sua postura de patriota. “Foi uma pena, porque é uma grande marca. O erro acabou sendo de quem estava operando as redes sociais. Cheguei ao Brasil, vi todos os comentários, que não foram nenhum pouco bons. E neste momento optei por terminar minha relação com eles porque jamais posso aceitar comentários como esse sobre meu país”, reforçou.
 
“Então decidi romper com eles, e a partir de amanhã já vamos trabalhar para chegar a um acordo e encerrar o contrato”, reforçou o piloto nascido em Guadalajara.
Com personalidade, Pérez rompeu contrato com uma marca de óculos por uma piada infame contra seu México (Foto: Force India)
Pérez já sabia há algum tempo sobre seu novo companheiro de equipe, Esteban Ocon. Mas o anúncio oficial foi publicado nesta quinta-feira pela Force India. E Pérez, como autêntico líder, deu as boas-vindas ao jovem francês. Se em 2011 ‘Checo’ chegava a uma equipe tendo como principal referência seu companheiro de equipe, a partir do ano que vem será a vez de seu novo colega tê-lo como espelho.
 

“Estou muito feliz. A equipe se mostrou muito motivada em tê-lo. É um grande piloto, com grande caráter, sua performance no carro sempre foi muito boa. Havia muitos candidatos, mas estou feliz por ver a equipe fechar com ele. Estou muito ansioso para um novo piloto e também para aprender coisas novas com ele”, disse Pérez, refletindo humildade e personalidade de líder.
 
O fato é que, em termos de experiência, Pérez se torna de fato o novo líder da Force India. Mas depois de superar com autoridade o badalado Hülkenberg, sobretudo em 2016, o mexicano deixa claro que a meta para o ano que vem é continuar sendo superior ao seu colega de equipe para reforçar, na pista, sua condição de líder da ascendente equipe anglo-indiana.
 
“Sim! A verdade é que o papel de líder você acaba conquistando dentro da pista, liderando a equipe. E é o que eu tenho feito nos últimos anos com a equipe. Tive um grande companheiro de equipe, o Nico, e agora espero que continue sendo assim com Esteban. E que em 2017 a gente possa tentar buscar um top-3 do Mundial de Construtores”, concluiu ‘Checo’ ao ser questionado pelo GRANDE PRÊMIO.
 
O GRANDE PRÊMIO cobre 'in loco' o GP do Brasil de F1 com Flavio Gomes, Evelyn Guimarães, Fernando Silva e Rodrigo Berton. Acompanhe o noticiário aqui.