Domenicali volta a cobrar melhora, mas reitera confiança no potencial da Ferrari: “Está em nossas mãos”

A Ferrari segue lutando para desenvolver a F2012 e ficar ainda mais forte na briga pelo título. Dentro do time, o pensamento é que, com um carro um pouco melhor, a taça não escapará das mãos de Fernando Alonso, líder do campeonato após 12 corridas

Autoconfiante, a Ferrari segue com o pensamento que depende de si para conquistar o título da temporada de 2012. Depois do abandono de Fernando Alonso na primeira volta do GP da Bélgica, que resultou na queda de sua vantagem na liderança do campeonato de 40 para 24 pontos, o chefe da equipe italiana, Stefano Domenicali, voltou a dizer que a Ferrari precisa melhorar seu carro para continuar na primeira posição.

O pensamento na fábrica do time mais vitorioso da história da F1 é que, com um carro mais capaz, o título de 2012 virá. “Deixamos a Bélgica conscientes de que o campeonato ainda está em nossas mãos”, declarou Domenicali, em entrevista ao site oficial da Ferrari. “Está nas mãos de todas as pessoas em Maranello, que têm de melhorar o nosso carro, porque ele ainda não está no nível em que deve estar”.

Alonso ficou pelo caminho na primeira curva do GP da Bélgica, depois da trapalhada de Romain Grosjean (Foto: Ferrari)

Apesar da diminuição da distância entre Alonso e o segundo colocado, agora Sebastian Vettel, Domenicali usa a primeira colocação do espanhol na tabela de classificação como fator motivador para a segunda metade da temporada de 2012. “A disputa ainda está muito aberta e Fernando ainda lidera o campeonato. É tomando base nisso que olhamos para a frente”, disse o dirigente.

O que Domenicali não quis fazer foi colocar a Ferrari na briga pela vitória do GP da Itália, que acontece neste domingo (9). É claro que o triunfo em Monza seria mais do que especial, mas o chefe da Ferrari prefere pensar no campeonato. “A realidade é que o número de pontos em disputa é o mesmo de todas as outras 19 corridas ao redor do mundo”, contabilizou. “Para resumir, eu gostaria de pensar que podemos deixar Monza marcando pontos muito especiais em uma corrida que é muito especial para nós”, completou.

A última vitória italiana em Monza veio em 2010, com o próprio Alonso, que venceu um duelo complicado com Jenson Button, da McLaren. Antes disso, o espanhol já triunfara em 2007, quando defendia a equipe inglesa. Ao todo, foram 18 vitórias rossas.

Tecnicamente, Domenicali definiu o fim de semana que está por vir como “complicado”, devido ao perfil do circuito de Monza. “Todas as equipes, incluindo nós, vão colocar seus carros com a mesma característica, para se adaptar à baixíssima pressão aerodinâmica que é única nesta pista, e sabemos que muitos dos nossos rivais são competitivos neste tipo de circuito”, analisou o italiano.

A Ferrari ocupa a quarta colocação no Mundial de Construtores. Nas 12 primeiras provas de 2012, o time somou 199 pontos, sendo 164 de Alonso e os outros 35, de Felipe Massa. Líder, a Red Bull tem 272 pontos na bagagem, seguida pela McLaren, com 218, e Lotus, com 207.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube