Dono do gatilho mais rápido do Oeste, Vettel vence duelo com Hamilton e lidera treino 3 no Texas

Sebastian Vettel cravou o tempo de 1min36s490 e liderou o terceiro treino livre da F1 em Austin. O piloto da Red Bull superou Lewis Hamilton, em 0s25, depois que o adversário dominou boa parte da atividade

Sebastian Vettel é mesmo o dono do gatilho mais rápido do Velho Oeste. Depois de liderar os dois primeiros treinos de forma dominante, o xerife alemão voltou a impor a lei na terceira atividade em Austin, neste sábado (18). Cavalgando um touro vermelho, o piloto cravou o tempo de 1min36s490, terminando com uma vantagem de 0s25 para o forasteiro Lewis Hamilton.

Na verdade, quem dominou boa parte da sessão foi piloto da McLaren, que tocou o terror na cidade de Austin até Vettel aparecer, nos minutos finais, como em qualquer bom drama faroeste, para fazer valer a lei.

O latino Pastor Maldonado mostrou que não quer ser apenas um personagem coadjuvante nesse enredo. Com o carro da Williams, o venezuelano cravou 1min37s001, terminando em terceiro. Na sequência, apareceu Fernando Alonso e Nico Rosberg.

Felipe Massa foi um dos pilotos que mais completou voltas, conquistando a sexta colocação. Mark Webber, Sergio Pérez, Nico Hülkenberg e Jenson Button completaram o grupo dos dez primeiros. Bruno Senna fechou em 11º.

'Rei do Velho Oeste', Vettel segue dando as cartas em Austin (Foto: Getty Images)

Saiba como foi o terceiro treino livre do GP dos Estados Unidos

Com a temperatura do ar beirando os 13º e do asfalto, em 16ºC, o terceiro treino livre do GP dos Estados Unidos começou às 9h pelo horário local, 13h de Brasília. Tão logo a sessão foi iniciada, todos os 24 pilotos, ainda com pneus duros, deixaram os boxes para a realização das primeiras voltas de instalação e reconhecimento do asfalto do Circuito das Américas. Mas todos retornaram ao pit-lane em seguida.

Aos sete minutos de sessão, Kimi Räikkönen, vencedor em Abu Dhabi, foi o primeiro a registrar volta cronometrada. O finlandês da Lotus marcou 1min49s1, mas logo foi batido pelos carros de Jean-Éric Vergne e Daniel Ricciardo, da Toro Rosso. Pouco tempo depois e ainda sem a presença das favoritas Ferrari, McLaren e Red Bull, a Mercedes dava as cartas, com Nico Rosberg na ponta, seguido pelo heptacampeão Michael Schumacher.

Schumacher, antes de retornar aos boxes em Austin, não percebeu a aproximação do carro de Felipe Massa e virou à esquerda para entrar ao pitlane, ‘fechando a porta’ do piloto e quase tocando na Ferrari do brasileiro, que gesticulou muito, reclamando da manobra do seu ex-companheiro de equipe em 2006. Schumacher tinha 1min39s483 como melhor volta e havia caído para quarto lugar, sendo superado pelas Sauber de Kamui Kobayashi e Sergio Pérez. Lá na frente, Rosberg ainda seguia líder, com 1min38s221.

Pérez, aliás, vinha em boa volta, com direito a primeira melhor parcial naquele início de treino. Contudo, o mexicano forçou a ultrapassagem para cima de Charles Pic, se chocando com a Marussia do jovem francês. Definitivamente, ‘Checo’, que parece não ter muito apreço pelos pilotos da equipe anglo-russa, não vive a melhor das fases desde que anunciou sua transferência para a McLaren, em outubro.

Com as McLaren na pista, a ordem do terceiro treino livre mudou um pouco. A Mercedes de Rosberg deixou a ponta, que passou a ser ocupada por Jenson Button. O britânico, aliás, fez uma volta perfeita e registrou a melhor parcial nos três setores do Circuito das Américas, marcando 1min37s973, 0s248 mais rápido que o alemão. Lewis Hamilton também vinha em posição razoável, quarto, atrás de Nico e também de Kobayashi.

Depois de um começo discreto, a Williams também apareceu com destaque em Austin. Primeiro com Pastor Maldonado. O venezuelano, que foi mal no primeiro dia de treinos livres, cravou o terceiro melhor tempo quando faltavam 28 minutos para o fim da sessão. Bruno Senna, repetindo o desempenho da sexta-feira, figurava em oitavo, 1s579 atrás do líder. Mas pilotos de ponta como Massa, Fernando Alonso, Mark Webber e Sebastian Vettel ainda não haviam marcado tempos competitivos.

Button seguia baixando seu tempo volta após volta e liderava com certa tranquilidade ao marcar 1min37s528, sendo seguido, dessa vez, por Hamilton, que marcou tempo 0s388 acima do companheiro de equipe. Em sua primeira volta verdadeiramente rápida, Vettel assinalou o terceiro melhor tempo, 0s496 atrás de Button. Schumacher, Rosberg, Maldonado, Kobayashi, Romain Grosjean, Bruno Senna e Nico Hülkenberg completavam os dez primeiros.

Em seguida, Hamilton deu o troco em Button. Com volta registrada em 1min7s492, o britânico superou o companheiro de equipe por apenas 0s046. As Red Bull de Vettel e Webber vinham em terceiro e quarto, respectivamente. Quem não estava rápido era o outro carro taurino, de Vergne, que teve problemas e ficou parado na grama na saída da curva 7. A posição em que ficou estacionado o Toro Rosso do piloto francês obrigou a direção de prova a sinalizar o trecho com bandeira amarela.

Faltando apenas 16 minutos para o fim do treino, as Ferrari estavam bem atrás da McLaren e Red Bull. Contudo, a programação da equipe de Maranello era bem diferente das rivais, já que a prioridade era o trabalho com os pneus e a avaliação do ritmo de corrida. Por isso Alonso figurava em 19º, duas posições atrás de Massa. Senna, por sua vez, vinha bem melhor e era o décimo colocado.

Os últimos minutos do terceiro treino livre foram reservados pelos pilotos para a realização de voltas rápidas com pneus médios. Todos os pilotos do grid, com exceção de Grosjean, deixaram os boxes com os novos compostos, o que gerou muito tráfego na nova pista texana.

Mesmo com o asfalto longe dos níveis ideais de aderência, os tempos estavam em queda. Para se ter uma ideia. Massa pulou do fundo do grid para marcar o terceiro melhor tempo, 0s477 em sua primeira volta realmente rápida. Boa performance da Ferrari, que tinha, como convidados do brasileiro, Tony Kanaan e Rubens Barrichello, que acompanhavam o treino dos boxes da equipe de Maranello.

Mas aí apareceu Vettel para destruir, mais uma vez, os tempos de todo mundo em Austin. Faltando dois minutos para o fim do treino, o alemão mostrou porque é o grande favorito ao título e à vitória nos Estados Unidos. Seu tempo. 1min36s490, foi 1s002 melhor que o de Hamilton. Nem mesmo Webber, com 1min37s532, chegou perto do tempo do alemão. Maldonado vinha em um ótimo quarto lugar, enquanto Alonso, rival direto de Seb na luta pelo título, era apenas o 14º.

Já com o cronômetro zerado, Alonso reagiu e se aproximou um pouco do tempo de Vettel. Com 1min37s180, o espanhol assumiu a segunda colocação. Mas logo o bicampeão mundial foi superado pelo bom Maldonado e também por Hamilton, caindo para quarto. Considerando a supremacia da Red Bull, Lewis fez uma grande volta e ficou a apenas 0s258 de Vettel, que segue invicto em Austin antes da definição do grid de largada.

No geral, Massa teve um bom desempenho no Texas e fechou a manhã com um sexto lugar. Senna, mantendo o bom desempenho da Williams nos Estados Unidos, terminou o treino livre em 11º, 1s079 atrás do tempo de Vettel.

F1, GP dos Estados Unidos, Circuito das Américas, treino livre 3:

 

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube