F1
05/04/2017 14:13

Doria reitera que privatização vai garantir Interlagos na F1, mas Ecclestone se mostra indeciso por compra

João Doria, prefeito de São Paulo, quer transferir a administração de Interlagos para a esfera privada, uma tentativa de garantir a permanência do circuito na F1. Bernie Ecclestone, dado como um possível comprador por Doria, garante que ainda não tomou nenhuma decisão sobre o assunto
Warm Up / Redação GP, de Porto Alegre
 Mesmo com chuva, público marca presença em Interlagos (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
 

O futuro de Interlagos segue se desenhando, e o leilão do circuito – passo final no processo de privatização – parece ser uma realidade cada vez mais concreta. João Doria, prefeito de São Paulo, voltou a garantir que o autódromo vai ser gerido pela esfera privada nos próximos anos, medida que tem como objetivo garantir a sequência da F1 no país. 
 
"A privatização do autódromo é a garantia da continuidade da F1", assegurou Doria, falando à agência ‘Reuters’. "Eu entendo que F1 é importante, mas com dinheiro privado, não com dinheiro público. E é perfeitamente possível que ela continue funcionando com dinheiro privado e com um autódromo privado", defendeu.
 
Mais do que exaltar a privatização, Doria também reforçou uma possibilidade que já era cogitada: Bernie Ecclestone, recém deposto do comando da F1, foi dado como nome certo no leilão de Interlagos – algo que o próprio Bernie não confirma ainda.
João Doria e Bernie Ecclestone se reuniram em São Paulo nesta quinta-feira (Foto: Secom/Prefeitura de São Paulo)
"Ele [Ecclestone] já manifestou interesse, vai participar do leilão do autódromo", apontou Doria. "Tenho o sentimento também de que fundos internacionais vão participar desse leilão", completou.
 
Mas, da parte de Ecclestone, não há nada definido. O britânico só sabe que Interlagos será vendido, mas não manifestou nenhum interesse concreto. “Eles querem vender, não vão subsidiar nada por lá. Não vão injetar nenhum dinheiro e querem se livrar. Ainda não decidi se ‘sim, vou comprar ou ‘não, não vou comprar’. Vamos esperar e ver”, falou.
 
Caso Ecclestone não queira participar do leilão, uma porta se abre para um gigante. O Liberty Media, grupo que comprou a F1 em 2016, é visto por Ecclestone como um possível comprador do circuito paulistano. “Eles provavelmente vão pensar nisso”, cogitou.

O próprio Doria faz sua parte para trazer a turma de Chase Carey para o leilão. "Eu disse a Chase que ele deveria comprar, acho que eles provavelmente irão pensar nisso", disse.

O prefeito também manteve o posicionamento a respeito de colocar outros tipos de atração na área, como um museu com os principais feitos do automobilismo brasileiro. Doria já manifestou a intenção de batizar o local com o nome de Ayrton Senna.
 
O GP do Brasil de 2017 está marcado para 12 de novembro. A corrida será a penúltima da temporada, antecedendo a decisão em Abu Dhabi.
 
O GP da China, o segundo da F1 em 2017, acontece neste fim de semana, e o GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades em Xangai AO VIVO e em TEMPO REAL.
 

PADDOCK GP #72 TRAZ ÁTILA ABREU E DISCUTE ETAPAS DA STOCK CAR, F1, INDY E MOTOGP