Ecclestone critica indefinição da Renault, e Lotus agradece chefão da F1 por ajuda em almoço dos mecânicos em Suzuka

A crise financeira da Lotus ganhou contornos surreais neste fim de semana no Japão. A equipe não tem acesso à sua área de hospitalidade reservada no circuito de Suzuka e, por isso, os mecânicos e engenheiros ficariam sem almoço. Mas Bernie Ecclestone liberou o acesso ao espaço VIP Paddock Club. A equipe, via Twitter, agradeceu

Ansioso pela rápida definição a respeito da venda da Lotus para a Renault, Bernie Ecclestone não esconde a insatisfação com a demora em fechar a negociação por parte da montadora francesa. O chefe supremo da F1 deu uma entrevista à agência ‘Reuters’ nesta sexta-feira (25) e falou também sobre a situação surreal em que se encontra a Lotus em Suzuka neste fim de semana. A equipe, em crise financeira, sequer tem disponível no autódromo a área de hospitalidade, onde recebe convidados e onde os seus mecânicos e engenheiros fazem as refeições. Mas Bernie, que já pagou o salário de 400 funcionários antes do GP da Bélgica, deu mais uma força.

Sobre a Renault, o grande impasse está no fato de que a montadora exige que Bernie garanta o status de ‘equipe histórica’, algo que é oferecido a times como a Ferrari, a McLaren e a Mercedes. Por isso, as negociações ainda estão em curso.

Bernie Ecclestone está impaciente com a indecisão sobre venda da Lotus para a Renault (Foto: AP)

“Aparentemente, a Renault está assumindo o controle da Lotus. Aparentemente. Isso é o que está previsto. Se isso vai ser concluído, não sei. Se eles não concluírem a compra na segunda-feira ou não colocarem algum dinheiro em breve… a menos que a Renault venha para a festa, isso não vai acontecer”, disse Ecclestone, colocando em dúvida sua crença em uma negociação bem-sucedida.

“Para ser sincero contigo, é estranho que uma empresa do tamanho da Renault leve tanto tempo para tomar uma decisão. Eles estavam esperando por nós para fazer uma contribuição e lhes dar uma razão para fazer algo, o que fizemos há duas semanas. Então eu não sei”, bradou.

“Eles querem o mesmo tipo de acerto com a Mercedes e a mesma quantia em dinheiro. Então estamos tentando trabalhar com isso. O que fizemos para eles não é tudo o que precisamos fazer, mas fizemos isso para tentar ajudar e manter a Renault na F1. Nosso acordo é com a Renault e não com a Lotus”, explicou Bernie, garantindo que está fazendo o que está ao seu alcance para proporcionar o retorno da equipe francesa ao grid, evitando assim a saída de um time do Mundial.

A respeito da situação dos mecânicos da Lotus em Suzuka, Ecclestone liberou o acesso dos funcionários ao espaço VIP Paddock Club para que todos pudessem fazer suas refeições. O gesto de Bernie foi destacado pela Lotus que, via Twitter, agradeceu ao dirigente.

Chateado com a situação, o britânico torce para que a ocorrência não se repita. “Eles não têm de implorar [por alimentação] a ninguém porque nós estamos prestando atenção nisso. Não é legal para a equipe. Fizemos tudo o que poderíamos fazer, e além. Vamos esperar agora que alguém faça alguma coisa”, finalizou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube