Ecclestone descarta retorno de Mosley e diz: “Todt está percebendo que precisamos mostrar os dentes”

Bernie Ecclestone afirmou que Jean Todt está percebendo, ainda que lentamente, que precisa impor um controle maior sobre o Mundial de F1. E ele deixou claro que Max Mosley não pretende voltar ao comando da FIA e da categoria

A presença ao lado de Max Mosley em uma entrevista para uma TV alemã não foi nada mais do que uma entrevista. Mosley não pretende voltar ao comando da FIA, e Bernie Ecclestone entende que Jean Todt está percebendo do que a F1 precisa neste momento: um dirigente mais enérgico.
 
À RTL, Mosley, antecessor de Todt na presidência da FIA, alertou que a F1 atual está presa demais às montadoras, especialmente à Ferrari e à Mercedes, e que uma fabricante independente precisa entrar no Mundial.
Bernie Ecclestone acompanha GP da Rússia no paddock (Foto: AP)
 
E, conforme Ecclestone tem dito recentemente, o problema de Todt é o desejo de deixar todos contentes. No momento, a categoria convive com a ameaça da Red Bull de sair do grid e levar consigo as duas escuderias que mantém.
 
“Eu acho que o Jean está lentamente, mas com certeza, percebendo que nós temos que mostrar os dentes e agir. Se houver um pouco de dor, é assim que é”, declarou o britânico de 84 anos ao jornal ‘The Telegraph’.
 
Ecclestone também descartou que Mosley vá voltar como um consultor na concepção do novo regulamento da F1 para a temporada 2017. “Não, não, não. Ele não tem mais nada a ver com a F1. Só estava lá porque a TV queria fazer uma entrevista. Não era para ser divertido, era para ser sério, mas deixa pra lá”, acrescentou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube