F1

Ecclestone fala em adoção do terceiro carro como solução permanente para evitar grid magro na F1

Bernie Ecclestone continua explosivo em suas recentes declarações. Agora, o dirigente afirmou que a F1 precisa de um terceiro carro para evitar problemas como os vividos com o fracasso de Caterham e Marussia. O inglês também se voltou contra a imprensa online e disse que vai restringir o acesso dos jornalistas desse tipo de mídia ao paddock da F1

Warm Up / Redação GP, de Curitiba
Bernie Ecclestone continua implacável em suas declarações à imprensa. Depois de dizer que a F1 não precisa se reinventar para alcançar o público jovem, praticamente descartar um investimento maior em redes sociais e desdenhar as equipes menores, o dirigente inglês agora disse que possui duas grandes metas para as próximas temporadas do Mundial. A primeira é evitar uma repetição do fracasso vivido por times como Caterham e Marussia neste ano e a segunda é reduzir o acesso dos jornalistas de mídia online ao paddock da F1.

As duas menores escuderias do grid atravessam um período de delicada situação financeira. Ambas estão sob administração legal e estiveram fora das etapas dos EUA e do Brasil. Enquanto a Marussia esboça um esforço para retornar, a Caterham fez uso de um crowdfunding — uma espécie de vaquinha online — para viabilizar sua participação na última prova do ano, em Abu Dhabi, neste fim de semana.

Os atuais contratos da F1 estabelecem que as equipes têm permissão para se ausentar de até três etapas do Mundial, daí o trabalho das duas esquadras para alinhar em Marina de Yas. No futuro, entretanto, Ecclestone admitiu ser imperativo que o grid permaneça com ao menos 20 carros. Portanto, segundo o britânico, as negociações vão em direção ao formato de um grid com um terceiro carro por equipe. Para o inglês, a solução poderia ser permanente.
Bernie Ecclestone disse que terceiro carro pode ser solução permanente (Foto: Getty Images)
"Estamos conversando sobre isso para ser algo a longo prazo", disse Ecclestone à publicação inglesa 'City A.M.'. "Nós estamos falando sobre diferentes opções para um terceiro carro. Os acordos dizem que as equipes precisam correr com um terceiro carro se o limite não for atendido. Estamos aqui somente buscando o melhor caminho a seguir", completou.

Com relação ao outro objetivo para 2015, Bernie afirmou que vai restringir o credenciamento para a imprensa online, porque é o atual modelo é "uma piada".

"Escolha uma prova, entre no paddock e conheça os pilotos. Como fazer isso? Simples: crie um site. Vou ter mais atenção com relação ao credenciamento, porque é uma piada", acrescentou.
BOLÃO GRANDE PRÊMIO EUROBIKE
A DECISÃO DA F1 EM ABU DHABI


Participe do bolão da F1 GRANDE PRÊMIO EUROBIKE: dê seus palpites para o GP de Abu Dhabi deste fim de semana que define o campeão da temporada 2014. 

Será que Lewis Hamilton vai jogar pelo resultado e ser segundo colocado para ficar com o bicampeonato? E Nico Rosberg, vai para o tudo ou nada, vence e dá uma ajudinha para fazer com que Felipe Massa e companhia tentem superar o rival?
 

Não perca tempo e aposte já.
ENTRE O FRACASSO RETUMBANTE E A VITÓRIA EMOCIONANTE

Decidir campeonatos não é novidade para Lewis Hamilton. Em sua oitava na temporada na F1, o inglês chega à última etapa com chance de ser campeão pela quarta vez. Proporcionalmente, só Sebastian Vettel brigou por tantos campeonatos quanto ele. O fato de ter essa bagagem deixa o inglês em vantagem sobre Nico Rosberg, que pela primeira vez se encontra nessa situação.

Em 2010, Lewis foi o azarão. Embora se visse em condições matemáticas de sonhar, era apenas o quarto, atrás da dupla da Red Bull e de Fernando Alonso. Nessa corrida, foi segundo — Vettel ganhou e levou; nas outras duas ocasiões, Hamilton foi bem mal. Em uma, sofreu uma derrota retumbante. Em outra, foi campeão, mas de forma emocionante.


Leia o CONTA-GIRO com as decisões de Hamilton no GRANDE PRÊMIO.