carregando
F1

Ecclestone faz proposta para comprar circuito alemão de Nürburgring, informa agência

À venda devido aos problemas financeiros de sua proprietária, a Nürburgring GmhB, o circuito tem Bernie Ecclestone como um dos possíveis compradores

Warm Up / Redação GP, de São Paulo

Detentor dos direitos comerciais da F1, Bernie Ecclestone fez uma proposta para arrematar o circuito alemão de Nürburgring e garantir o futuro do GP da Alemanha. A informação é da agência de notícias ‘Reuters’.

O tradicional autódromo germânico está à venda devido à bancarrota de sua proprietária, a Nürburgring GmhB, uma empresa do governo do estado de Renânia-Palatinado. O motivo da falência foram as dívidas contraídas na construção do parque de diversões apelidado de ‘NüroDisney’. O Parlamento Europeu não autorizou o governo estadual a investir mais dinheiro no complexo para quitar esses débitos.
Circuito de Nürburgring foi colocado à venda no primeiro semestre de 2013 (Foto: GP3)
Um porta-voz do complexo se recusou a comentar a oferta de Ecclestone. “Não fazemos comentários sobre nenhum possível comprador. Mas todos que tiverem ofertas interessantes são muito bem-vindos. Estamos nos estágios finais do processo e queremos concluí-los no primeiro trimestre, para que o novo dono possa começar a temporada em abril”, disse.

Aos jornais alemães ‘Handeslblatt’ e ‘Wirtschaftwoche’, Ecclestone declarou: “Acreditamos que possamos fazer mais do que qualquer um pelo circuito. Uma decisão pode ser tomada já nas próximas semanas.”

Ecclestone já interveio na questão para garantir a realização do GP da Alemanha de 2013. Desde 2008, tem acontecido um revezamento entre as pistas de Nürburgring e de Hockenheim como sedes da prova, e o evento do ano passado só aconteceu porque a FOM (Formula One Management) e a pista assinaram um “contrato especial”, conforme o diretor-administrativo Karl-Josef Schmidt admitiu em entrevista ao GRANDE PRÊMIO na época do GP.

O processo de venda de Nürburgring tem gerado debate na Alemanha acerca dos investimentos públicos em autódromos. Protestos contra o leilão ocorreram nos últimos meses, mas os procedimentos burocráticos tiveram sequência apesar deles.